Jornal Página 3

Acadêmicos do Tatuapé é bicampeã em São Paulo
Diego Padgurschi/Folhapress.
Quadra da escola bicampeã do Carnaval de São Paulo.
Quadra da escola bicampeã do Carnaval de São Paulo.

Quarta, 14/2/2018 7:21.

(FOLHAPRESS) - A Acadêmicos do Tatuapé foi a escola vencedora do Grupo Especial do Carnaval 2018 de São Paulo. Com enredo em homenagem ao Estado do Maranhão, a agremiação da zona leste da capital paulista se torna bicampeã, com duas vitórias seguidas.

A tradicional Peruche, que homenageou Martinho da Vila, e a Independente Tricolor, que chegou ao grupo especial neste ano, caíram para o Grupo de Acesso.

A decisão do título só foi confirmada na última nota do último quesito. A escola tirou nota 10 em todos os quesitos anteriores. A única nota 9,9 da Tatuapé foi eliminada pelo critério da apuração, já que, das quatro avaliações dos jurados, a menor é eliminada (e só é considerada no desempate).

TENSÃO

A disputa foi tão acirrada que a Acadêmicos do Tatuapé conquistou o título justamente no desempate. Outras três escolas somaram os mesmos 270 pontos da campeã (Mocidade Alegre, Mancha Verde e Tom Maior).

A regra do desempate leva em conta a ordem dos quesitos lidos no dia da apuração. Essa sequência foi definida em sorteio realizado pela liga das escolas de samba de SP, nesta segunda-feira (12).

Como o quesito mestre-sala e porta-bandeira foi o último a ter suas notas reveladas, ele seria o primeiro a ser analisado no desempate. Em caso de novo empate, seria observado o penúltimo quesito lido, e assim por diante.

Ou seja, se o sorteio feito na segunda-feira tivesse determinado outra ordem de leitura dos quesitos, uma outra escola que também somou 270 pontos poderia ter levado o título. O quesito alegoria definiu o vencedor este ano.

DESFILE

A Tatuapé foi a quinta escola a entrar na avenida no primeiro dia de desfiles, na última sexta (9). A escola exaltou o Maranhão a partir de diversos aspectos. Em seu primeiro carro, falou do encontro da cultura francesa com a abundância da natureza local. Cheio de verde e de plantas, o carro deu o tom colossal do desfile da escola.

O Estado nordestino foi abordado também pela força da cultura negra e pelo folclore popular, como o bumba meu boi e os cultos afro-brasileiros.

A bateria foi outro destaque do desfile da Tatuapé, que inovou ao incorporar a batida do reggae à percussão, fazendo referência ao gosto maranhense pelo estilo musical jamaicano.

ACESSO

Já no Grupo de Acesso, as duas melhores colocadas foram a Águia de Ouro e a Colorados do Brás, que sobem ao Grupo Especial em 2019.
A Águia de Ouro, que havia caído em 2017, falou da história e da influência dos povos árabes no Brasil neste ano.

Já a Colorado do Brás desbancou escolas tradicionais como Nenê, Camisa Verde e Branco e Leandro de Itaquera e volta ao Grupo especial após 25 anos. 


Publicidade


Colunistas
Policia

Batida policial aconteceu em edifício de luxo na Avenida Atlântica


Geral

Os dois faleceram praticamente na mesma hora


Política

Opine!


Cidade

O clima esquentou e os promotores da reunião preferiram cancelá-la.  


Educação

Eleição apertada conduz mestre e doutor em química à direção daquela universidade  


Policia

Jovem de 23 anos perdeu a vida 


Cultura


Cidade

Manancial fornece 200 mil litros de água por dia