Jornal Página 3
Cidade

Desta vez será com hoteleiros e donos de restaurantes


Geral

Por sorte não houve feridos. Empresa emitiu nota sobre o ocorrido. 


Saúde

Organizações habilitadas poderão administrar hospital e unidades de pronto atendimento


Cidade

Ela quer propor a separação de resíduos em três níveis


Geral

Da praça Tamandaré até a praça das Figueiras  


Cidade

Supervisor dos agentes de trânsito solicita colaboração da população


Esportes

Equipe de atletismo da Fundação de Esportes se destacou


Geral


Empregos

Santa Catarina tem segundo melhor saldo de empregos no país em agosto


Publicidade


Publicidade

Leia a publicação do Convention Bureau 


publicidade

Outdoors em Curitiba protestam contra Lula, que depõe nesta quarta-feira

ANA LUIZA ALBUQUERQUE, CATIA SEABRA E ESTELITA HASS CARAZZAI
CURITIBA, PR (FOLHAPRESS) - "Seja bem-vindo!", anuncia um outdoor a poucos metros do Aeroporto Internacional Afonso Pena, em Curitiba (PR). A recepção seria comum não fosse por um detalhe no cartaz -uma ilustração do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva dentro de uma cela, acompanhado dos dizeres "A 'República de Curitiba' te espera de grades abertas #somostodoslavajato".

Lula depõe ao juiz Sergio Moro nesta quarta-feira (13), às 14h, em ação na qual é acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro devido a supostas relações ilícitas com a empreiteira Odebrecht.

O outdoor próximo ao aeroporto não é o único. Segundo a advogada Paula Bettega, líder do grupo pró-Lava Jato "Lava Togas", há outros 32 espalhados pela cidade. A ação foi coordenada por outras duas frentes de apoio à operação: o Vem pra Rua, que ganhou exposição na esteira do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), e o Brasil Estou Aqui, organização regional.

Questionada sobre o financiamento para a montagem dos cartazes, Bettega diz que foi realizada uma "vaquinha", divulgada pelo WhatsApp, que contou com doações de profissionais liberais, ativistas, aposentados e estudantes. A advogada, entretanto, afirmou que não tem autorização para passar à reportagem o custo da ação.

Não fossem os outdoors, a iminente chegada do ex-presidente à "República de Curitiba" passaria despercebida aos olhares desatentos.

A oposição a Lula marcou presença silenciosa -e irregular- apenas em uma praça em frente à sede da Justiça Federal, no bairro do Ahú. Foi ali o lugar escolhido em março de 2016 pelo grupo "Acampamento Lava Jato" para montar uma ocupação, que permanece até hoje.

Nesta terça, entretanto, a ocupação estava proibida por determinação da prefeitura. Em nota, a Secretaria de Comunicação Social de Curitiba informou que decisão da 5ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba, atendendo pedido da Procuradoria-Geral do Município, vedou que os movimentos montassem estruturas em espaços públicos sem autorização prévia.

A reportagem foi ao local por volta das 16h. Encontravam-se por lá uma barraca verde e amarela e um varal com camisas do grupo e alguns "pixulekos", como ficaram conhecidos os bonecos do ex-presidente. Três mulheres estavam sentadas dentro da instalação, mas se recusaram a falar com a reportagem.

Por enquanto, o único sinal do ex-presidente Lula é na forma de "pixuleko". Ele ainda não chegou à cidade, que permanece calma.

DIA D

Nesta quarta-feira (13), o Curitiba Contra a Corrupção realiza uma manifestação contra Lula e a favor da Lava Jato em frente ao museu Oscar Niemeyer, no centro cívico, às 13h. O protesto conta com o apoio do MBL (Movimento Brasil Livre), que ajudou com a mobilização, mas não chamou ato próprio.

Ao final da tarde, por volta das 17h, os ativistas pretendem marchar até a sede da Polícia Federal, aguardando o fim do depoimento de Lula.

No outro lado do espectro ideológico, a frente de apoio ao ex-presidente Lula vai se concentrar na praça Generoso Marques, em frente ao Paço da Liberdade, no centro de Curitiba. O ato terá início às 15h e contará com carro de som. O evento está sendo chamado de 2ª Jornada de Lutas Pela Democracia.

TV

O PT levará ao ar, na noite desta terça-feira (12), inserções na qual afirma que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é vítima de ódio e perseguição.

"Por que tanto ódio contra quem tanto fez pelo povo brasileiro", inicia o comercial.

Exibindo cenas da caravana protagonizada por Lula no Nordeste, a propaganda afirma que o ex-presidente fez o povo "andar de cabeça erguida".

"Enquanto eles perseguem Lula, o povo nas ruas abraça Lula", diz a campanha.

"Enquanto eles compartilham ódio, nós compartilhamos esperança".

Levada ao ar na véspera do depoimento do ex-presidente ao juiz Sergio Moro, a inserção é encerrada com a afirmação de que "o Brasil vai voltar a sonhar". 


Quarta, 13/9/2017 7:00.




publicidade




Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br