Jornal Página 3
Colunistas
Cultura

Projeções são gratuitas e acontecem nos meses de outubro, novembro e dezembro


Geral

Filas se formaram nos dois sentidos da BR-101


Cidade


Variedades

Shows de rock, workshops e acessórios do mundo cervejeiro no BS Hall


Agora Balneario


Publicidade


Publicidade

Resort de Balneário Camboriú terá programação especial para crianças e adultos


publicidade

COB usa verba de loterias para salário de cartolas
EBC.

SÉRGIO RANGEL
RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Além de financiar o esporte olímpico, a Lei Piva também ajuda o presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman, a agradar seu aliados.

A legislação permite ao comitê destinar parte da verba carimbada para remunerar os presidentes das confederações filiadas com salário.

Cada dirigente de entidade recebe R$ 22 mil, valor que pode ser dividido com outros diretores. Em um ano, o valor salarial pode chegar ao total de R$ 264 mil.

As confederações formam o principal núcleo de sustentação de Nuzman e o elegem nos pleitos da presidência do COB, a cada quatro anos. O pagamento é classificado por opositores como uma espécie de "mensalinho" para o cartola agradar seus aliados.

No entanto, essa decisão de remunerar ou não os dirigentes cabe a cada confederação, que pode aplicar esse valor em projetos esportivos.
Durval Balen, presidente da confederação de tiro esportivo, disse que abriu mão da remuneração para repassá-la à sua entidade.

"Abri mão desta remuneração à minha pessoa, fazendo com que tais recursos fossem agregados aos valores dos repasses feitos para a CBTE", afirmou à Folha.

Outros dirigentes consultados pela reportagem também disseram que não ficam com o "mensalinho". Da mesma forma, há quem não abra mão da remuneração.

Questionado na sexta (6), o COB não informou quantos cartolas são beneficiados.

Dirigentes também recebem valores de diária do COB durante eventos internacionais, como Jogos Olímpicos e Pan-Americanos.

Eles ganham até mesmo quando da Olimpíada de 2016, realizada no Rio.

As confederações são maioria no colégio eleitoral do comitê olímpico nacional.

Na última eleição, 30 representantes de confederações, três membros natos do COB -Nuzman, entre eles- e o representante dos atletas, o ex-jogador de vôlei de praia Emanuel Rego, votaram.

Nuzman está à frente do comitê desde 1995, e foi eleito em outubro de 2016 para seu sexto mandato. A administração se encerra em 2020. 


Domingo, 8/10/2017 7:18.


publicidade






publicidade





Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br