Jornal Página 3
Trump quer derrubar e trocar reforma da saúde de Obama imediatamente

(FOLHAPRESS) - O presidente eleito dos EUA, Donald Trump, defendeu nesta terça-feira (10) a derrubada imediata da lei de reforma da saúde promovida por seu antecessor, Barack Obama, e a substituição rápida por um novo modelo.

Conhecido como Obamacare, o programa regula os preços dos seguros privados de saúde e expande planos públicos e subsídios para as classes mais baixas. Segundo o governo, mais de 11,5 milhões foram beneficiadas.

Os republicanos, porém, consideram a reforma um desperdício de dinheiro público, além de ter aumentado as restrições na cobertura e dificultado a livre concorrência entre os planos privados. O resultado, dizem, foi uma crise financeira no setor.

Ao jornal "The New York Times" Trump pressionou seus correligionários, que são maioria no Congresso, a derrubar a reforma já na próxima semana e discutir uma lei substituta o mais rápido possível.

"O Obamacare foi um evento catastrófico. Acho que a derrubada e a substituição têm que vir juntas, simplesmente porque os democratas vão tentar consertá-lo. Eles precisam vir juntos."

O bilionário, no entanto, não deve ter seu pedido de celeridade atendido. Tanto Paul Ryan, presidente da Câmara, quanto o líder no Senado, Mitch McConnell, querem a derrubada imediata do programa.

Por outro lado, os parlamentares do partido querem fazer uma análise minuciosa da reforma, o que faria com que a substituição levasse de dois a três anos, contra as poucas semanas que deseja o presidente eleito.

Mas o republicano disse que não há motivos para a demora e que não aceitará nenhum adiamento. "Muito tempo para mim seria semanas. Não podemos derrubá-la e vir com um outro plano dois anos depois."

AMEAÇA

As primeiras restrições devem ser aprovadas nesta semana. Na quinta (12), o Senado deverá aprovar uma emenda ao Orçamento que coloca limites ao financiamento de programas de saúde.

Trump ainda ameaçou a fazer campanha contra os democratas que impedirem a derrubada do Obamacare. "Pode não ser aprovado na primeira vez ou na segunda, mas os democratas que não tentem rejeitá-la", disse.

"Há dez pessoas que vão tentar a reeleição [para o Congresso, em 2018, em Estados onde ele venceu]. Ganhei em alguns dos Estados por números que ninguém viu. Estarei nas ruas deles fazendo campanha." 


Quarta, 11/1/2017 5:51.




Geral

Situação é de alerta especialmente em encostas


Política

Eles terão que apresentar resposta à acusação nos próximos dias


Geral

Algumas informações foram omitidas por terem caráter pessoal


Policia


Geral

Sepultamento será às 17h


Política


Esportes

Agora começam os preparativos para 2ª etapa, de julho


Impresso

Edição mergulha nos acontecimentos de maio: veja onde adquirir o seu exemplar 


Publicidade

E tenha acesso a conteúdos exclusivos bem antes de cair na rede


Publicidade


Publicidade


publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br