Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Acadêmicos do Tatuapé é bicampeã em São Paulo

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Diego Padgurschi/Folhapress.
Quadra da escola bicampeã do Carnaval de São Paulo.
Quadra da escola bicampeã do Carnaval de São Paulo.

Quarta, 14/2/2018 7:21.

(FOLHAPRESS) - A Acadêmicos do Tatuapé foi a escola vencedora do Grupo Especial do Carnaval 2018 de São Paulo. Com enredo em homenagem ao Estado do Maranhão, a agremiação da zona leste da capital paulista se torna bicampeã, com duas vitórias seguidas.

A tradicional Peruche, que homenageou Martinho da Vila, e a Independente Tricolor, que chegou ao grupo especial neste ano, caíram para o Grupo de Acesso.

A decisão do título só foi confirmada na última nota do último quesito. A escola tirou nota 10 em todos os quesitos anteriores. A única nota 9,9 da Tatuapé foi eliminada pelo critério da apuração, já que, das quatro avaliações dos jurados, a menor é eliminada (e só é considerada no desempate).

TENSÃO

A disputa foi tão acirrada que a Acadêmicos do Tatuapé conquistou o título justamente no desempate. Outras três escolas somaram os mesmos 270 pontos da campeã (Mocidade Alegre, Mancha Verde e Tom Maior).

A regra do desempate leva em conta a ordem dos quesitos lidos no dia da apuração. Essa sequência foi definida em sorteio realizado pela liga das escolas de samba de SP, nesta segunda-feira (12).

Como o quesito mestre-sala e porta-bandeira foi o último a ter suas notas reveladas, ele seria o primeiro a ser analisado no desempate. Em caso de novo empate, seria observado o penúltimo quesito lido, e assim por diante.

Ou seja, se o sorteio feito na segunda-feira tivesse determinado outra ordem de leitura dos quesitos, uma outra escola que também somou 270 pontos poderia ter levado o título. O quesito alegoria definiu o vencedor este ano.

DESFILE

A Tatuapé foi a quinta escola a entrar na avenida no primeiro dia de desfiles, na última sexta (9). A escola exaltou o Maranhão a partir de diversos aspectos. Em seu primeiro carro, falou do encontro da cultura francesa com a abundância da natureza local. Cheio de verde e de plantas, o carro deu o tom colossal do desfile da escola.

O Estado nordestino foi abordado também pela força da cultura negra e pelo folclore popular, como o bumba meu boi e os cultos afro-brasileiros.

A bateria foi outro destaque do desfile da Tatuapé, que inovou ao incorporar a batida do reggae à percussão, fazendo referência ao gosto maranhense pelo estilo musical jamaicano.

ACESSO

Já no Grupo de Acesso, as duas melhores colocadas foram a Águia de Ouro e a Colorados do Brás, que sobem ao Grupo Especial em 2019.
A Águia de Ouro, que havia caído em 2017, falou da história e da influência dos povos árabes no Brasil neste ano.

Já a Colorado do Brás desbancou escolas tradicionais como Nenê, Camisa Verde e Branco e Leandro de Itaquera e volta ao Grupo especial após 25 anos. 


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Policia

Polícia procura Ford Fiesta prateado, PJA 2400 de Juazeiro, BA.


Policia

Homem ligou para a despachante para informar que o matador havia sido preso  


Saúde

Pacientes vão ao hospital sem necessidade e sobrecarregam o serviço 


Esportes

Atleta de Balneário Camboriú conquistou a vitória no Sub-18 em São Paulo


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade