Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Projeto de cobertura do camelódromo foi aprovado pelo Legislativo

Mas ainda há uma divergência interna

Quinta, 2/8/2018 15:20.

Publicidade

Foi aprovado na sessão desta quarta-feira (1) o projeto de lei do Executivo, que autoriza a deliberação do Conselho da Cidade, liberando o condomínio do Camelódromo a executar a obra de cobertura daquele centro comercial.

Não houve unanimidade, mas também não foram computados votos contrários. O projeto foi aprovado com 12 votos favoráveis, uma abstenção (do vereador Nilson Probst/MDB) e cinco ausências (dos vereadores Aldemar Bola/PSDB, André Meirinho/PP, Leonardo Piruka/PP, Marcelo Achutti/PP e Moacir Schmidt/PSDB).

Nilson justificou que os vereadores deixaram de votar porque ficaram sabendo de uma divergência interna entre os comerciantes sobre a cobertura do camelódromo.

O advogado de um comerciante contrário à obra protocolou na Câmara de Vereadores um documento pedindo que eles analisassem “com frieza” os objetivos do projeto.

Ele alega no documento que a obra é “voluptuária” ou seja, desnecessária e para sua aprovação em assembleia interna, deveria ter dois terços de votos dos condôminos, entretanto o condomínio considerou a obra “útil”, quando a maioria dos votos basta para aprovação.

A reportagem questionou a defesa do comerciante insatisfeito e foi informada que por enquanto o documento foi protocolado apenas no Legislativo e que a questão da ação judicial está sendo avaliada, até porque existiria a possibilidade de veto do prefeito.

O síndico do condomínio, Nelson Oliveira, contesta as alegações. Ele garante que a obra é útil e tem caráter de segurança, pois o contato das lonas da atual cobertura com os equipamentos de ar condicionado já causou pequenos incidentes, sem contar o conforto ao público e a transformação estética daquele espaço.

Além da maioria dos condôminos, ele destaca o apoio em um abaixo-assinado com mais de cinco mil assinaturas favoráveis à reforma.

Nelson Oliveira agradeceu aos vereadores que votaram favoravelmente. “Quem votou pela aprovação, votou pela requalificação daquela área de Balneário Camboriú”, disse.

A obra

O custo está estimado em mais de R$ 2 milhões, que serão pagos pelos comerciantes.

O condomínio já começou uma chamada de capital para a realização da obra e espera apenas os trâmites burocráticos na prefeitura para dar início às primeiras etapas. Se for liberada ainda este ano, já existe uma quantia em caixa para dar início à instalação de estacas e preparação do solo.

Para não atrapalhar o movimento, as intervenções deverão acontecer na parte da manhã e nos dias de menor fluxo. A obra em si na cobertura deve ser realizada após o Carnaval de 2019.

Como é hoje:

Foto: JC Drones

Como vai ficar:


 


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Projeto de cobertura do camelódromo foi aprovado pelo Legislativo

Publicidade

Quinta, 2/8/2018 15:20.

Foi aprovado na sessão desta quarta-feira (1) o projeto de lei do Executivo, que autoriza a deliberação do Conselho da Cidade, liberando o condomínio do Camelódromo a executar a obra de cobertura daquele centro comercial.

Não houve unanimidade, mas também não foram computados votos contrários. O projeto foi aprovado com 12 votos favoráveis, uma abstenção (do vereador Nilson Probst/MDB) e cinco ausências (dos vereadores Aldemar Bola/PSDB, André Meirinho/PP, Leonardo Piruka/PP, Marcelo Achutti/PP e Moacir Schmidt/PSDB).

Nilson justificou que os vereadores deixaram de votar porque ficaram sabendo de uma divergência interna entre os comerciantes sobre a cobertura do camelódromo.

O advogado de um comerciante contrário à obra protocolou na Câmara de Vereadores um documento pedindo que eles analisassem “com frieza” os objetivos do projeto.

Ele alega no documento que a obra é “voluptuária” ou seja, desnecessária e para sua aprovação em assembleia interna, deveria ter dois terços de votos dos condôminos, entretanto o condomínio considerou a obra “útil”, quando a maioria dos votos basta para aprovação.

A reportagem questionou a defesa do comerciante insatisfeito e foi informada que por enquanto o documento foi protocolado apenas no Legislativo e que a questão da ação judicial está sendo avaliada, até porque existiria a possibilidade de veto do prefeito.

O síndico do condomínio, Nelson Oliveira, contesta as alegações. Ele garante que a obra é útil e tem caráter de segurança, pois o contato das lonas da atual cobertura com os equipamentos de ar condicionado já causou pequenos incidentes, sem contar o conforto ao público e a transformação estética daquele espaço.

Além da maioria dos condôminos, ele destaca o apoio em um abaixo-assinado com mais de cinco mil assinaturas favoráveis à reforma.

Nelson Oliveira agradeceu aos vereadores que votaram favoravelmente. “Quem votou pela aprovação, votou pela requalificação daquela área de Balneário Camboriú”, disse.

A obra

O custo está estimado em mais de R$ 2 milhões, que serão pagos pelos comerciantes.

O condomínio já começou uma chamada de capital para a realização da obra e espera apenas os trâmites burocráticos na prefeitura para dar início às primeiras etapas. Se for liberada ainda este ano, já existe uma quantia em caixa para dar início à instalação de estacas e preparação do solo.

Para não atrapalhar o movimento, as intervenções deverão acontecer na parte da manhã e nos dias de menor fluxo. A obra em si na cobertura deve ser realizada após o Carnaval de 2019.

Como é hoje:

Foto: JC Drones

Como vai ficar:


 


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade