Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Jamil Albuquerque, de engraxate a ONU levando Balneário na bagagem

#BC54anos

Segunda, 6/8/2018 15:07.
Arquivo Pessoal
Jamil, seguidor de Napoleon Hill, levando a arte de lidar com pessoas mundo afora

Publicidade

Por Jamil Albuquerque

“Saí daqui dessa cidade, onde engraxava sapatos na rodoviária da Avenida do Estado do Calinho Rosa, vendia picolé pro Seo Adauto na Rua Holanda e era empacotador no supermercado Vitória em frente a Casas d’água, na época que ela se chamava Lauro Martins, para vender mais de meio milhão de livros, dos meus seis títulos lançados, num país que vender mil livros é uma grande tarefa, dar aula na Universidade da Califórnia, ser ouvidor convidado da ONU e receber o título de cidadão honorário de algumas cidades deste país.

Vez por outra me pego cantando aquela velha canção Rock&Roll do trio, Sá, Rodrix e Guarabira, onde eles falam das aventuras de andarem pelas estradas. Assim me sinto eu, ao andar pelo Brasil e alguns países.

No mês de junho fiz palestra em São Paulo, Santos, Curitiba, Brasília e Porto Alegre na mesma semana. Foi meu recorde. Em quase todos os lugares falo que moro em Balneário Camboriú. Essa informação agrega valor ao meu currículo. Cheguei aqui em 1975, naquela época a cidade tinha 12 mil habitantes, segundo o Censo. A Vila Real era muito longe do Bairro das Nações. O Dão, o Gil e o Bola moravam na roça e eu morava na periferia. Hoje moramos no mesmo lugar e estamos no centro do mundo.

Certa vez perguntei ao Mike, irmão do Paulo Bossa, figura lendária e dono do Status, a melhor zona da cidade na década de 80, como foi ir morar no Japão? Ele me respondeu que quem soubesse viver em Balneário Camboriú, saberia viver em qualquer lugar do mundo. Ou seja, esta cidade é uma escola. Terra de empreendedores. Aqui vimos muitos Reis Midas (tudo que tocam vira ouro) e muitos Reis Merda (tudo que tocam vira cáca). É um aprendizado contínuo. Eu sou um professor que tenho um currículo acadêmico e ser de Balneário Camboriú acrescenta ainda mais ao meu currículo.

Longa vida a Balneário Camboriú!”

Jamil Albuquerque é economista, especialista em marketing, metodologia, professor de gerenciamento de cidades, professor convidado da Universidade da Califórnia, membro do conselho de Administração da Embelleze, gestor da marca MasterMind no Brasil e em oito países de língua portuguesa. Tem vários livros publicados, entre eles o best-seller ‘A arte de lidar com pessoas’ e livros como ‘A lei do triunfo para o século XXI’ e ‘Vivendo e aprendendo a jogar’.

 


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Jamil Albuquerque, de engraxate a ONU levando Balneário na bagagem

Arquivo Pessoal
Jamil, seguidor de Napoleon Hill, levando a arte de lidar com pessoas mundo afora
Jamil, seguidor de Napoleon Hill, levando a arte de lidar com pessoas mundo afora

Publicidade

Segunda, 6/8/2018 15:07.

Por Jamil Albuquerque

“Saí daqui dessa cidade, onde engraxava sapatos na rodoviária da Avenida do Estado do Calinho Rosa, vendia picolé pro Seo Adauto na Rua Holanda e era empacotador no supermercado Vitória em frente a Casas d’água, na época que ela se chamava Lauro Martins, para vender mais de meio milhão de livros, dos meus seis títulos lançados, num país que vender mil livros é uma grande tarefa, dar aula na Universidade da Califórnia, ser ouvidor convidado da ONU e receber o título de cidadão honorário de algumas cidades deste país.

Vez por outra me pego cantando aquela velha canção Rock&Roll do trio, Sá, Rodrix e Guarabira, onde eles falam das aventuras de andarem pelas estradas. Assim me sinto eu, ao andar pelo Brasil e alguns países.

No mês de junho fiz palestra em São Paulo, Santos, Curitiba, Brasília e Porto Alegre na mesma semana. Foi meu recorde. Em quase todos os lugares falo que moro em Balneário Camboriú. Essa informação agrega valor ao meu currículo. Cheguei aqui em 1975, naquela época a cidade tinha 12 mil habitantes, segundo o Censo. A Vila Real era muito longe do Bairro das Nações. O Dão, o Gil e o Bola moravam na roça e eu morava na periferia. Hoje moramos no mesmo lugar e estamos no centro do mundo.

Certa vez perguntei ao Mike, irmão do Paulo Bossa, figura lendária e dono do Status, a melhor zona da cidade na década de 80, como foi ir morar no Japão? Ele me respondeu que quem soubesse viver em Balneário Camboriú, saberia viver em qualquer lugar do mundo. Ou seja, esta cidade é uma escola. Terra de empreendedores. Aqui vimos muitos Reis Midas (tudo que tocam vira ouro) e muitos Reis Merda (tudo que tocam vira cáca). É um aprendizado contínuo. Eu sou um professor que tenho um currículo acadêmico e ser de Balneário Camboriú acrescenta ainda mais ao meu currículo.

Longa vida a Balneário Camboriú!”

Jamil Albuquerque é economista, especialista em marketing, metodologia, professor de gerenciamento de cidades, professor convidado da Universidade da Califórnia, membro do conselho de Administração da Embelleze, gestor da marca MasterMind no Brasil e em oito países de língua portuguesa. Tem vários livros publicados, entre eles o best-seller ‘A arte de lidar com pessoas’ e livros como ‘A lei do triunfo para o século XXI’ e ‘Vivendo e aprendendo a jogar’.

 


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade