Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Descobertos dois grandes desvios no rio Camboriú

Isso explica a redução drástica do nível na captação

Quinta, 13/12/2018 9:55.
Waldemar Cezar Neto.
Monitoramento do rio foi intensificado desde o início da semana

Publicidade

Autoridades acabam de descobrir na manhã desta quinta-feira (13) duas grandes barreiras desviando água do rio Camboriú para lavouras no município de Camboriú.

Isso explica a queda brusca do nível da água na captação da Emasa e o fato do nível estar normal nos pontos de monitoramento do Rio do Meio e no Braço.

As autoridades removeram as barreiras, mas é necessária uma atitude jurídica que impeça os donos de lavouras de desviar água.

Por lei, a prioridade é consumo humano, animais e lavouras, nessa ordem.

O rio Camboriú continua com nível baixo no ponto de captação, situado em Camboriú em frente ao colégio agrícola. A situação piorou porque ontem pela manhã estava com 73 cm e hoje são 62 cm como mostra o histograma.

Outros dois pontos de medição na bacia hidrográfica mostram o nível do rio normal o que reforçou a suspeita que além da estiagem o desvio clandestino de água para lavouras e outros usos estivesse afetando o estoque.

A melhor solução é chover, mas as previsões meteorológicas ainda não são claras.

A Epagri prevê chuva fraca e escassa nos próximos dias; o CPTEC/IMPE dá 80% de probabilidade de chover sábado e domingo e o Climatempo aponta que haverá a partir de hoje cinco dias de chuvas fracas, totalizando 43mm no período como pode ser visto no gráfico abaixo..

Ontem (12) o presidente da Câmara de Vereadores em exercício da função de prefeito de Balneário Camboriú, Roberto Souza Jr. declarou "situação de atenção" por causa do nível crítico do Rio Camboriú.

Ele pretendia declarar situação de emergência, mas a Defesa Civil recomendou essa nomenclatura que é mais apropriada à situação.

Para a Epagri, órgão do governo do Estado, a situação é de emergência.

A recomendação é economizar até a situação voltar ao normal o que historicamente sempre ocorreu próximo à virada do ano.

Nunca na história o rio Camboriú deixou as cidades de Camboriú e Balneário Camboriú sem água.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Waldemar Cezar Neto.
Monitoramento do rio foi intensificado desde o início da semana
Monitoramento do rio foi intensificado desde o início da semana

Descobertos dois grandes desvios no rio Camboriú

Isso explica a redução drástica do nível na captação

Publicidade

Quinta, 13/12/2018 9:55.

Autoridades acabam de descobrir na manhã desta quinta-feira (13) duas grandes barreiras desviando água do rio Camboriú para lavouras no município de Camboriú.

Isso explica a queda brusca do nível da água na captação da Emasa e o fato do nível estar normal nos pontos de monitoramento do Rio do Meio e no Braço.

As autoridades removeram as barreiras, mas é necessária uma atitude jurídica que impeça os donos de lavouras de desviar água.

Por lei, a prioridade é consumo humano, animais e lavouras, nessa ordem.

O rio Camboriú continua com nível baixo no ponto de captação, situado em Camboriú em frente ao colégio agrícola. A situação piorou porque ontem pela manhã estava com 73 cm e hoje são 62 cm como mostra o histograma.

Outros dois pontos de medição na bacia hidrográfica mostram o nível do rio normal o que reforçou a suspeita que além da estiagem o desvio clandestino de água para lavouras e outros usos estivesse afetando o estoque.

A melhor solução é chover, mas as previsões meteorológicas ainda não são claras.

A Epagri prevê chuva fraca e escassa nos próximos dias; o CPTEC/IMPE dá 80% de probabilidade de chover sábado e domingo e o Climatempo aponta que haverá a partir de hoje cinco dias de chuvas fracas, totalizando 43mm no período como pode ser visto no gráfico abaixo..

Ontem (12) o presidente da Câmara de Vereadores em exercício da função de prefeito de Balneário Camboriú, Roberto Souza Jr. declarou "situação de atenção" por causa do nível crítico do Rio Camboriú.

Ele pretendia declarar situação de emergência, mas a Defesa Civil recomendou essa nomenclatura que é mais apropriada à situação.

Para a Epagri, órgão do governo do Estado, a situação é de emergência.

A recomendação é economizar até a situação voltar ao normal o que historicamente sempre ocorreu próximo à virada do ano.

Nunca na história o rio Camboriú deixou as cidades de Camboriú e Balneário Camboriú sem água.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade