Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Administração de Balneário Camboriú desrespeita isonomia no comércio ambulante

Prefeito deixou para a última hora providência recomendada pelo Ministério Público

Segunda, 3/12/2018 9:51.
PMBC
O prefeito.

Publicidade

Desde fevereiro de 2015 o Ministério Público (MP), através da promotoria da moralidade administrativa, insiste para que a prefeitura de Balneário Camboriú tenha procedimentos “transparentes, justos e honestos” para concessão de alvarás a vendedores ambulantes, mas não será nesse verão que isso ocorrerá.

Nessa terça-feira (4) vence o prazo dado pela promotoria ao prefeito Fabrício Oliveira para que ele informe que providências tomou para “garantir os procedimentos transparentes, justos e honestos”.

Na sexta-feira o prefeito enviou à Câmara de Vereadores projeto de lei com algumas mudanças na legislação, dentre elas a previsão que os alvarás futuramente serão concedidos por sorteio público.

Deixar para a última hora providências recomendadas pela promotoria mostra que o prefeito e seus assessores parecem gostar de correr o risco de serem processados por improbidade.

Semanas atrás ocorreu fato semelhante quando o prefeito desconsiderou recomendação para demitir nomeados irregularmente o que levou à ameaça de processo e demissões realizadas às pressas.



Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
PMBC
O prefeito.
O prefeito.

Administração de Balneário Camboriú desrespeita isonomia no comércio ambulante

Prefeito deixou para a última hora providência recomendada pelo Ministério Público

Publicidade

Segunda, 3/12/2018 9:51.

Desde fevereiro de 2015 o Ministério Público (MP), através da promotoria da moralidade administrativa, insiste para que a prefeitura de Balneário Camboriú tenha procedimentos “transparentes, justos e honestos” para concessão de alvarás a vendedores ambulantes, mas não será nesse verão que isso ocorrerá.

Nessa terça-feira (4) vence o prazo dado pela promotoria ao prefeito Fabrício Oliveira para que ele informe que providências tomou para “garantir os procedimentos transparentes, justos e honestos”.

Na sexta-feira o prefeito enviou à Câmara de Vereadores projeto de lei com algumas mudanças na legislação, dentre elas a previsão que os alvarás futuramente serão concedidos por sorteio público.

Deixar para a última hora providências recomendadas pela promotoria mostra que o prefeito e seus assessores parecem gostar de correr o risco de serem processados por improbidade.

Semanas atrás ocorreu fato semelhante quando o prefeito desconsiderou recomendação para demitir nomeados irregularmente o que levou à ameaça de processo e demissões realizadas às pressas.



Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade