Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Canal do Marambaia continua sendo poluído clandestinamente

Se a estação custava R$28 milhões e agora custa R$ 6 milhões, é evidente que alguém tentou roubar a cidade

Quarta, 5/12/2018 7:44.
Divulgação
Coletas de ontem à tarde: esgoto quase cristalino e água poluída por produto químico.

Publicidade

Ontem à tarde, após receberem fotografia que mostrava o Canal do Marambaia com água quase preta, técnicos da Emasa foram ao local, colheram amostras e constataram que a água estava sendo poluída possivelmente por produto químico.

A coleta no ponto em que a água nas fotografias aparece preta revelou que o líquido é quase cristalino.

Em outro ponto os técnicos constataram mais uma vez poluição por um líquido branco, talvez restos de tinta ou material de construção.

A cor escura é proveniente da agitação do lodo existente no fundo do canal.

O Canal do Marambaia é objeto de uma campanha que envolve o desejo de moradores pelo saneamento do canto norte da praia central, mas também um vigoroso lobby para obrigar a prefeitura a adquirir uma estação de tratamento de esgoto.

O assunto é suspeito. A primeira proposta do fornecedor dessa estação fixava o preço entre R$ 25 e R$ 28 milhões. Como a direção da Emasa não aceitou valor tão elevado, ele foi caindo e agora ronda os R$ 6 milhões.

Parece evidente que se algo custava 28 e cai para 6, em algum momento alguém tentou roubar a cidade.

A Emasa pretende resolver os problemas no canto norte não com a estação e sim com ampliação da rede de esgotos e combate às ligações irregulares.

O filme deixa clara a existência de um poluidor clandestino.

A foto mostra a poluição por um produto esbranquiçado.

Lodo agitado deixou o canal negro


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Divulgação
Coletas de ontem à tarde: esgoto quase cristalino e água poluída por produto químico.
Coletas de ontem à tarde: esgoto quase cristalino e água poluída por produto químico.

Canal do Marambaia continua sendo poluído clandestinamente

Se a estação custava R$28 milhões e agora custa R$ 6 milhões, é evidente que alguém tentou roubar a cidade

Publicidade

Quarta, 5/12/2018 7:44.

Ontem à tarde, após receberem fotografia que mostrava o Canal do Marambaia com água quase preta, técnicos da Emasa foram ao local, colheram amostras e constataram que a água estava sendo poluída possivelmente por produto químico.

A coleta no ponto em que a água nas fotografias aparece preta revelou que o líquido é quase cristalino.

Em outro ponto os técnicos constataram mais uma vez poluição por um líquido branco, talvez restos de tinta ou material de construção.

A cor escura é proveniente da agitação do lodo existente no fundo do canal.

O Canal do Marambaia é objeto de uma campanha que envolve o desejo de moradores pelo saneamento do canto norte da praia central, mas também um vigoroso lobby para obrigar a prefeitura a adquirir uma estação de tratamento de esgoto.

O assunto é suspeito. A primeira proposta do fornecedor dessa estação fixava o preço entre R$ 25 e R$ 28 milhões. Como a direção da Emasa não aceitou valor tão elevado, ele foi caindo e agora ronda os R$ 6 milhões.

Parece evidente que se algo custava 28 e cai para 6, em algum momento alguém tentou roubar a cidade.

A Emasa pretende resolver os problemas no canto norte não com a estação e sim com ampliação da rede de esgotos e combate às ligações irregulares.

O filme deixa clara a existência de um poluidor clandestino.

A foto mostra a poluição por um produto esbranquiçado.

Lodo agitado deixou o canal negro


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade