Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Confusão marca processo seletivo de ACTs na Educação
Divulgação PMBC

Quinta, 1/2/2018 16:14.

O processo seletivo para admitidos em caráter temporário (ACTs) da rede municipal de ensino gerou falatório porque foram tantos contratempos que os candidatos estão confusos sobre a validade do processo.

O edital foi lançado no site da Fepese no final do ano passado e a prova foi aplicada no dia 20 de janeiro. Desde então já foram publicados três termos de esclarecimento e a prova chegou a ser anulada para uma parte dos candidatos.

A confusão não se limitou ao edital. Segundo os próprios comunicados da Fepese, houve também problemas na computação da pontuação dos candidatos por erros no processamento eletrônico, o que levou à reclassificação de aprovados com exigência de nível fundamental e superior, após as listas terem sido publicadas.

Professor de oficinas

O principal problema do edital aconteceu quanto aos cargos de professores de oficina. O edital definia que esses cargos tinham exigência de nível superior, mas aceitavam como “não habilitado” candidatos de nível médio. A diferença é que o salário para os não habilitados é menor do que os com diploma.

No dia 25 foi publicado um comunicado no site da Fepese, reconhecendo que os cargos haviam sido descritos como “nível superior” erroneamente e que deveriam ser todos “nível médio”. O mesmo comunicado anulou a prova para os candidatos de nível médio e avisou que uma nova data de prova seria agendada.

Ontem, dia 31 de janeiro, foi publicado que como aqueles candidatos de nível superior estavam habilitados conforme o edital, seriam considerados. Ou seja, a prova foi aplicada para dois níveis de escolaridade, mas só os de nível superior foram classificados.

O que diz a Educação

A Secretaria de Educação contestou que tivesse ocorrido erro no edital, apesar do comunicado reconhecendo isso. Afirma no entanto, que ocorreu erro na aplicação da prova.

“Foi aplicada a mesma prova para os professores inscritos nos níveis Médio e Superior, ou seja, os professores inscritos para Professor de Oficinas - Nível Médio, fizeram a prova aplicada aos de nível Superior”, diz a Educação.

A assessoria repassou que uma nova prova será realizada para os candidatos de nível médio e que a Educação aguarda a Fepese para divulgar a data. Eles não terão que arcar com novas inscrições.

O edital é de formação de cadastro de reserva, por isso não há garantia de oferta de vagas imediatas. Conforme a necessidade da pasta, os ACTs começam a ser chamados após a publicação pela Fepese do resultado final. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Esportes

Jogo de estreia será no ginásio da Barra às 20h ingressos à venda


Cidade

Centro de Eventos de Balneário Camboriú será o maior do Sul do país  


Cidade

Toda a comunidade pode participar no próximo domingo


Cidade

Obra é cara e mal explicada 


Publicidade


Variedades

A chegada do bom velhinho também dá inicio a uma intensa programação cultural  


Geral

Participe da votação online!


Informe Comercial


Cultura

A entrada é gratuita, com contribuição de um quilo de alimento não perecível


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Confusão marca processo seletivo de ACTs na Educação

Divulgação PMBC
Quinta, 1/2/2018 16:14.

O processo seletivo para admitidos em caráter temporário (ACTs) da rede municipal de ensino gerou falatório porque foram tantos contratempos que os candidatos estão confusos sobre a validade do processo.

O edital foi lançado no site da Fepese no final do ano passado e a prova foi aplicada no dia 20 de janeiro. Desde então já foram publicados três termos de esclarecimento e a prova chegou a ser anulada para uma parte dos candidatos.

A confusão não se limitou ao edital. Segundo os próprios comunicados da Fepese, houve também problemas na computação da pontuação dos candidatos por erros no processamento eletrônico, o que levou à reclassificação de aprovados com exigência de nível fundamental e superior, após as listas terem sido publicadas.

Professor de oficinas

O principal problema do edital aconteceu quanto aos cargos de professores de oficina. O edital definia que esses cargos tinham exigência de nível superior, mas aceitavam como “não habilitado” candidatos de nível médio. A diferença é que o salário para os não habilitados é menor do que os com diploma.

No dia 25 foi publicado um comunicado no site da Fepese, reconhecendo que os cargos haviam sido descritos como “nível superior” erroneamente e que deveriam ser todos “nível médio”. O mesmo comunicado anulou a prova para os candidatos de nível médio e avisou que uma nova data de prova seria agendada.

Ontem, dia 31 de janeiro, foi publicado que como aqueles candidatos de nível superior estavam habilitados conforme o edital, seriam considerados. Ou seja, a prova foi aplicada para dois níveis de escolaridade, mas só os de nível superior foram classificados.

O que diz a Educação

A Secretaria de Educação contestou que tivesse ocorrido erro no edital, apesar do comunicado reconhecendo isso. Afirma no entanto, que ocorreu erro na aplicação da prova.

“Foi aplicada a mesma prova para os professores inscritos nos níveis Médio e Superior, ou seja, os professores inscritos para Professor de Oficinas - Nível Médio, fizeram a prova aplicada aos de nível Superior”, diz a Educação.

A assessoria repassou que uma nova prova será realizada para os candidatos de nível médio e que a Educação aguarda a Fepese para divulgar a data. Eles não terão que arcar com novas inscrições.

O edital é de formação de cadastro de reserva, por isso não há garantia de oferta de vagas imediatas. Conforme a necessidade da pasta, os ACTs começam a ser chamados após a publicação pela Fepese do resultado final. 

Publicidade

Publicidade