Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Milheiros poderão vender comida de restaurantes na praia

Enquanto isso lixo na areia é motivo de reclamações

Terça, 2/1/2018 9:12.

Publicidade

Um acordo “exótico” firmado pela prefeitura de Balneário Camboriú, alguns donos de restaurantes e a associação dos pontos de milho e churros prevê que os milheiros poderão receber pedidos e entregar comida nas praias.

O assessor parlamentar da prefeitura, Omar Tomalih, disse que existe uma brecha na lei municipal que impede a prefeitura de reprimir a entrega de comida na praia, por isto foi fechado esse acordo.

Na verdade a concessão municipal não permite aos milheiros esse tipo de atividade.

Tramita na Câmara de Vereadores projeto prevendo que os restaurantes –e não os milheiros- vendam comida na praia, mas enquanto não for aprovado não existe lei que ampare a atividade que envolve também questões de higiene.

Da forma como foi feito, o acordo transforma a praia numa terra de ninguém, sem regramento, qualquer restaurante ou lanchonete da cidade poderá vender comida desde que feche acordo com um ou mais milheiros.

Lixo na praia foi a principal reclamação nas redes

A liberação para vender comida deve aumentar a quantidade de pessoas reclamando sobre a sujeira deixada pelos frequentadores na praia central.

Desde o começo da semana passada o desrespeito com o ambiente aumentou e as principais críticas nas redes após a virada do ano foi nesse sentido.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3

Milheiros poderão vender comida de restaurantes na praia

Enquanto isso lixo na areia é motivo de reclamações

Publicidade

Terça, 2/1/2018 9:12.

Um acordo “exótico” firmado pela prefeitura de Balneário Camboriú, alguns donos de restaurantes e a associação dos pontos de milho e churros prevê que os milheiros poderão receber pedidos e entregar comida nas praias.

O assessor parlamentar da prefeitura, Omar Tomalih, disse que existe uma brecha na lei municipal que impede a prefeitura de reprimir a entrega de comida na praia, por isto foi fechado esse acordo.

Na verdade a concessão municipal não permite aos milheiros esse tipo de atividade.

Tramita na Câmara de Vereadores projeto prevendo que os restaurantes –e não os milheiros- vendam comida na praia, mas enquanto não for aprovado não existe lei que ampare a atividade que envolve também questões de higiene.

Da forma como foi feito, o acordo transforma a praia numa terra de ninguém, sem regramento, qualquer restaurante ou lanchonete da cidade poderá vender comida desde que feche acordo com um ou mais milheiros.

Lixo na praia foi a principal reclamação nas redes

A liberação para vender comida deve aumentar a quantidade de pessoas reclamando sobre a sujeira deixada pelos frequentadores na praia central.

Desde o começo da semana passada o desrespeito com o ambiente aumentou e as principais críticas nas redes após a virada do ano foi nesse sentido.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade