Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Teco e Neco Padaratz levaram Balneário Camboriú para os grandes picos do mundo

#BC54anos

Sexta, 27/7/2018 14:04.
Arquivo Pessoal

Publicidade

Os esportistas que levaram o nome de Balneário Camboriú mais longe foram os irmãos Flávio (Teco) Padaratz e seu irmão Percy (Neco) Padaratz que juntos somaram quatro títulos na World Men’s Qualifying Series (WQS) de surfe.

Em seu livro “O que as Escolas não Ensinam”, lançado em março passado, o pai de ambos, Percy, conta o motivo de trazer a família para Balneário Camboriú enquanto ele continuava indo e vindo diariamente trabalhar em Blumenau: os meninos queriam surfar.

O irmão mais velho, Teco, duas vezes campeão da WQS, contou em texto enviado ao Página 3 que é um espírito livre e que essa característica ele acredita ter adquirido por morar em Balneário Camboriú.

Leia o que ele escreveu:

“Eu fui morar no exterior logo cedo, aos 15 anos, quando fui para Califórnia, trabalhar e estudar. Logo depois disso já ingressei no circuito mundial de surf profissional e ao longo de 16 anos viajando e competindo mundo afora, pude levar a bandeira brasileira aos quatro cantos do planeta. Passei muito da nossa cultura para outros povos. Passei também muitas dificuldades, sobretudo na adaptação às outras culturas, onde aprendi a ser um cidadão global. Aprendi que em cada país temos maneiras diferentes de lidar com a mesma situação, mas apenas através do respeito à estas diferenças é que podemos nos adaptar a cada lugar. Posso dizer que vivi uma vida livre, onde eu poderia buscar todos meus objetivos, e de uma certa forma percebi isso desde muito cedo, pois em Balneário Camboriú eu tinha essa liberdade de ir e vir para qualquer lugar, sem restrições. Com apenas uma pequena bicicleta, ou até mesmo a pé, podíamos vivenciar uma região grande e cheia de opções de surf pra todos os lados. Acho que foi daí que eu peguei esse meu espírito aventureiro e desbravador para conhecer os mais alucinantes picos de ondas do planeta. As condições de surf competição em BC, na época, eram perfeitas. Tínhamos campeonatos na cidade e região quase todos os fins de semana. Isso me deu muita experiência em competição logo cedo, o que me ajudou muito quando me tornei profissional, e a pressão dos campeonatos apareceu. Já ingressei no circuito mundial com muita experiência nas costas. Graças ao ambiente extremamente competitivo da região de Balneário Camboriú, onde tudo começou pra mim”.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Arquivo Pessoal

Teco e Neco Padaratz levaram Balneário Camboriú para os grandes picos do mundo

#BC54anos

Publicidade

Sexta, 27/7/2018 14:04.

Os esportistas que levaram o nome de Balneário Camboriú mais longe foram os irmãos Flávio (Teco) Padaratz e seu irmão Percy (Neco) Padaratz que juntos somaram quatro títulos na World Men’s Qualifying Series (WQS) de surfe.

Em seu livro “O que as Escolas não Ensinam”, lançado em março passado, o pai de ambos, Percy, conta o motivo de trazer a família para Balneário Camboriú enquanto ele continuava indo e vindo diariamente trabalhar em Blumenau: os meninos queriam surfar.

O irmão mais velho, Teco, duas vezes campeão da WQS, contou em texto enviado ao Página 3 que é um espírito livre e que essa característica ele acredita ter adquirido por morar em Balneário Camboriú.

Leia o que ele escreveu:

“Eu fui morar no exterior logo cedo, aos 15 anos, quando fui para Califórnia, trabalhar e estudar. Logo depois disso já ingressei no circuito mundial de surf profissional e ao longo de 16 anos viajando e competindo mundo afora, pude levar a bandeira brasileira aos quatro cantos do planeta. Passei muito da nossa cultura para outros povos. Passei também muitas dificuldades, sobretudo na adaptação às outras culturas, onde aprendi a ser um cidadão global. Aprendi que em cada país temos maneiras diferentes de lidar com a mesma situação, mas apenas através do respeito à estas diferenças é que podemos nos adaptar a cada lugar. Posso dizer que vivi uma vida livre, onde eu poderia buscar todos meus objetivos, e de uma certa forma percebi isso desde muito cedo, pois em Balneário Camboriú eu tinha essa liberdade de ir e vir para qualquer lugar, sem restrições. Com apenas uma pequena bicicleta, ou até mesmo a pé, podíamos vivenciar uma região grande e cheia de opções de surf pra todos os lados. Acho que foi daí que eu peguei esse meu espírito aventureiro e desbravador para conhecer os mais alucinantes picos de ondas do planeta. As condições de surf competição em BC, na época, eram perfeitas. Tínhamos campeonatos na cidade e região quase todos os fins de semana. Isso me deu muita experiência em competição logo cedo, o que me ajudou muito quando me tornei profissional, e a pressão dos campeonatos apareceu. Já ingressei no circuito mundial com muita experiência nas costas. Graças ao ambiente extremamente competitivo da região de Balneário Camboriú, onde tudo começou pra mim”.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade