Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
“O DNA da cidade está em mim”, DJ Danee

#BC54anos

Sexta, 27/7/2018 14:04.
Triphotos
Daniel Waltrick Pinto, o Danee

Publicidade

Nascido e criado em Balneário Camboriú, Daniel Waltrick Pinto, o Danee, é um dos nomes que despontam na música eletrônica do sul do país.

Ele começou a tocar profissionalmente em 2006 e sem se render ao caminhos óbvios, escolheu ter uma postura de dedicação e aprendizado constante, buscando informações em sites e fóruns de discussão de fora já que por aqui ainda não existia nada nesse sentido.

“Logo no começo da carreira aconteceu uma fatalidade na minha família que me desestabilizou bastante, pensei em parar e não levar adiante, mas meus pais e meus amigos não deixaram isso acontecer e hoje sou muito agradecido a eles por me darem apoio e segurança pra que eu consiga desenvolver o meu melhor”, relatou.

Apesar dos desafios iniciais Danee persistiu e além de conquistar espaço em palcos consagrados como do Warung, também esteve à frente do 128bpm, núcleo de valorização de artistas e acabou se tornando um representante de Balneário nas apresentações fora daqui.

“O DNA da cidade está em mim e isso influencia muito a maneira de me apresentar, temos vocação pra entreter, receber e nos divertir”, afirma.

Para ele, Balneário Camboriú é uma das maiores referências no seu trabalho, especialmente por todo legado do entretenimento e também pelo acesso aos grandes artistas, comparável apenas aos grandes centros.

“Quando as pessoas perguntam de onde eu sou, logo arregalam o olho quando ouvem a resposta, a cidade tem um status de “paraíso” e isso causa sim um efeito muito positivo”, conta.

Segundo Danee, é grande o número de pessoas de fora que conhecem seu trabalho nas noites daqui e se tornam seus contratantes para eventos fora, o que reforça a ideia que Balneário é uma vitrine importante também na cena eletrônica.

“Desde sempre Balneário Camboriú teve clubes e noites históricas, a começar pelo Baturité, que marcou várias gerações, inclusive meus pais iam. Desde cedo frequento os clubes buscando ouvir atentamente todos os artistas e me manter atualizado, temos o privilégio de assistir os melhores DJs, nos clubes mais celebrados no mundo atualmente, tudo isso aqui ao lado de casa”, destacou.

Agora Danee dá início a um novo capítulo em sua história, se dedicando também à produção musical. Ele adiantou que tem um EP pronto para ser lançado, junto com o projeto Unterwelt80. “Os planos são continuar estudando para aperfeiçoar cada vez mais esse trabalho também”, finalizou.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

“O DNA da cidade está em mim”, DJ Danee

Triphotos
Daniel Waltrick Pinto, o Danee
Daniel Waltrick Pinto, o Danee

Publicidade

Sexta, 27/7/2018 14:04.

Nascido e criado em Balneário Camboriú, Daniel Waltrick Pinto, o Danee, é um dos nomes que despontam na música eletrônica do sul do país.

Ele começou a tocar profissionalmente em 2006 e sem se render ao caminhos óbvios, escolheu ter uma postura de dedicação e aprendizado constante, buscando informações em sites e fóruns de discussão de fora já que por aqui ainda não existia nada nesse sentido.

“Logo no começo da carreira aconteceu uma fatalidade na minha família que me desestabilizou bastante, pensei em parar e não levar adiante, mas meus pais e meus amigos não deixaram isso acontecer e hoje sou muito agradecido a eles por me darem apoio e segurança pra que eu consiga desenvolver o meu melhor”, relatou.

Apesar dos desafios iniciais Danee persistiu e além de conquistar espaço em palcos consagrados como do Warung, também esteve à frente do 128bpm, núcleo de valorização de artistas e acabou se tornando um representante de Balneário nas apresentações fora daqui.

“O DNA da cidade está em mim e isso influencia muito a maneira de me apresentar, temos vocação pra entreter, receber e nos divertir”, afirma.

Para ele, Balneário Camboriú é uma das maiores referências no seu trabalho, especialmente por todo legado do entretenimento e também pelo acesso aos grandes artistas, comparável apenas aos grandes centros.

“Quando as pessoas perguntam de onde eu sou, logo arregalam o olho quando ouvem a resposta, a cidade tem um status de “paraíso” e isso causa sim um efeito muito positivo”, conta.

Segundo Danee, é grande o número de pessoas de fora que conhecem seu trabalho nas noites daqui e se tornam seus contratantes para eventos fora, o que reforça a ideia que Balneário é uma vitrine importante também na cena eletrônica.

“Desde sempre Balneário Camboriú teve clubes e noites históricas, a começar pelo Baturité, que marcou várias gerações, inclusive meus pais iam. Desde cedo frequento os clubes buscando ouvir atentamente todos os artistas e me manter atualizado, temos o privilégio de assistir os melhores DJs, nos clubes mais celebrados no mundo atualmente, tudo isso aqui ao lado de casa”, destacou.

Agora Danee dá início a um novo capítulo em sua história, se dedicando também à produção musical. Ele adiantou que tem um EP pronto para ser lançado, junto com o projeto Unterwelt80. “Os planos são continuar estudando para aperfeiçoar cada vez mais esse trabalho também”, finalizou.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade