Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Servidores de Balneário Camboriú voltam a discutir greve nesta semana
Divulgação PMBC

Terça, 12/6/2018 13:52.

O Sindicato dos Servidores de Balneário Camboriú (SISEMBC) agendou para esta quinta-feira (14) a continuidade da assembleia para tratar de reivindicações do funcionalismo.

Nas pauta deste novo encontro está a deflagração de greve por tempo indeterminado, caso a administração não responda aos reclames dos servidores. São cerca de 85 reivindicações.

O SISEMBC defende, entre outros pleitos, o aumento do cartão-alimentação de R$ 335,46 para R$ 500, para todos os servidores.

O vale-alimentação tem caráter indenizatório, não soma no limite da Lei de Responsabilidade Fiscal, mas se concedido a todos os servidores, no valor de R$ 500,00, aumentaria a despesa anual da prefeitura em R$ 25 milhões.

Hoje o vale-alimentação é pago a 2.611 dos 5.970 servidores.  

A nova assembleia, marcada para acontecer na Câmara de Vereadores, começará a discutir uma comissão de mobilização de greve para angariar adesões nos locais de trabalho e redes sociais.

Segundo a assessoria da prefeitura, ainda não há nenhuma novidade sobre o assunto. Por enquanto os pedidos do sindicato estão sendo avaliados.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Servidores de Balneário Camboriú voltam a discutir greve nesta semana

Divulgação PMBC
Terça, 12/6/2018 13:52.

O Sindicato dos Servidores de Balneário Camboriú (SISEMBC) agendou para esta quinta-feira (14) a continuidade da assembleia para tratar de reivindicações do funcionalismo.

Nas pauta deste novo encontro está a deflagração de greve por tempo indeterminado, caso a administração não responda aos reclames dos servidores. São cerca de 85 reivindicações.

O SISEMBC defende, entre outros pleitos, o aumento do cartão-alimentação de R$ 335,46 para R$ 500, para todos os servidores.

O vale-alimentação tem caráter indenizatório, não soma no limite da Lei de Responsabilidade Fiscal, mas se concedido a todos os servidores, no valor de R$ 500,00, aumentaria a despesa anual da prefeitura em R$ 25 milhões.

Hoje o vale-alimentação é pago a 2.611 dos 5.970 servidores.  

A nova assembleia, marcada para acontecer na Câmara de Vereadores, começará a discutir uma comissão de mobilização de greve para angariar adesões nos locais de trabalho e redes sociais.

Segundo a assessoria da prefeitura, ainda não há nenhuma novidade sobre o assunto. Por enquanto os pedidos do sindicato estão sendo avaliados.

Publicidade

Publicidade