Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

“Trambolho” não tem licença válida e deve ser retirado hoje da Avenida Brasil
Divulgação

Quinta, 1/11/2018 9:45.

Fontes da prefeitura disseram ontem ao Página 3 que a estrutura ("parklet") colocada sobre o passeio da Avenida Brasil entre as ruas 971 e 981 deverá ser removida hoje porque está fora das normas, constitui ocupação ilegal do espaço público e não tem licenciamento formal da Secretaria do Planejamento.

A estrutura, para as pessoas “conviverem” teria sido autorizada pelo ex-assessor parlamentar da prefeitura Omar Tomalih e por Samir Dawud, diretor de fiscalização de obras.

Nenhum dos dois possuía ou possui autoridade para permitir o equipamento e Samir, inclusive, tem entre suas atribuições exatamente o contrário, zelar para que a ocupação ilegal do espaço público não ocorra.

Tomalih negou interferência, dise que procurado pelo interessado o encaminhou pelos trâmites normais. A reportagem não conseguiu ouvir Samir.

O empresário que mandou construir a estrutura tem uma loja de lanches pequena e com o "parklet", ganha espaço para seu empreendimento.

Tramita na Câmara de Vereadores projeto de André Meirinho propondo a regulamentação desse tipo de estrutura, mas a ideia não é instalá-los sobre as calçadas, espaço que deveria ser sagrado para os pedestres.

Apesar de o prefeito Fabrício Oliveira ter garantido nos palanques da campanha eleitoral e em seu plano de governo que a mobilidade do pedestre seria tratada de maneira prioritária, na prática isso não se concretizou.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

“Trambolho” não tem licença válida e deve ser retirado hoje da Avenida Brasil

Divulgação

Publicidade

Quinta, 1/11/2018 9:45.

Fontes da prefeitura disseram ontem ao Página 3 que a estrutura ("parklet") colocada sobre o passeio da Avenida Brasil entre as ruas 971 e 981 deverá ser removida hoje porque está fora das normas, constitui ocupação ilegal do espaço público e não tem licenciamento formal da Secretaria do Planejamento.

A estrutura, para as pessoas “conviverem” teria sido autorizada pelo ex-assessor parlamentar da prefeitura Omar Tomalih e por Samir Dawud, diretor de fiscalização de obras.

Nenhum dos dois possuía ou possui autoridade para permitir o equipamento e Samir, inclusive, tem entre suas atribuições exatamente o contrário, zelar para que a ocupação ilegal do espaço público não ocorra.

Tomalih negou interferência, dise que procurado pelo interessado o encaminhou pelos trâmites normais. A reportagem não conseguiu ouvir Samir.

O empresário que mandou construir a estrutura tem uma loja de lanches pequena e com o "parklet", ganha espaço para seu empreendimento.

Tramita na Câmara de Vereadores projeto de André Meirinho propondo a regulamentação desse tipo de estrutura, mas a ideia não é instalá-los sobre as calçadas, espaço que deveria ser sagrado para os pedestres.

Apesar de o prefeito Fabrício Oliveira ter garantido nos palanques da campanha eleitoral e em seu plano de governo que a mobilidade do pedestre seria tratada de maneira prioritária, na prática isso não se concretizou.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade