Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

TDC em áreas de proteção ambiental causa polêmica inútil
Divulgação
Morro do Careca poderá ser a primeira área contemplada pelo TDC

Quinta, 8/11/2018 13:56.

A minuta de um projeto de lei que será discutido hoje à tardinha no Conselho da Cidade de Balneário Camboriú, alterando aspectos do Plano Diretor, está causando polêmica devido a um artigo que estabelece a possibilidade da Transferência de Direito de Construir (TDC) a quem doar ao município áreas de preservação ou proteção ambiental.

A polêmica até certo ponto é inútil, porque a Lei 2686, o Plano Diretor de Balneário Camboriú, já estabelece em seu artigo 201 que “a transferência do direito de construir poderá ser autorizada ao proprietário dos seguintes imóveis: … imóvel para Proteção ou Preservação de Área Verde”.

As áreas de preservação possuem baixíssimo direito de construir e transferir esse direito para outro terreno tem pouco impacto.

Existem ainda áreas verdes que são de interesse da cidade e não possuem potencial construtivo algum, se não for encontrada uma forma de aproveitá-las, remunerando na forma de TDC adequadamente o proprietário, podem virar áreas de invasão, favelas, com custo muito mais elevado para a sociedade.

Esse mecanismo possibilita ao município estabelecer políticas de preservação combinadas com o desenvolvimento de novas opções turísticas, como os diversos parques em morrarias idealizados em 2017 pelo ex-secretário do planejamento Edson Kratz.

Uniformizar a forma de tratar a TDC é o principal objetivo do projeto. Entretanto é essencial que o município estabeleça quais áreas são de interesse público e podem ser fruto de TDC, para que o instrumento não se torne uma moeda de troca.

No momento existe um problema concreto a ser resolvido: o parque de voo livre no Morro do Careca, uma das principais atrações turísticas da cidade, cuja área pertence a um particular que aceita ceder a propriedade desde que possa transferir o seu direito de construir.

A reunião do Conselho da Cidade será hoje às 18h na Câmara de Vereadores.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Policia

Marinha só costuma agir depois que ocorre um acidente 


Cidade

Volume de resíduos não é um indicador seguro da quantidade de turistas


Policia

Praça central de Balneário Camboriú é o ponto preferido também de andarilhos e usuários 


Política


Publicidade


Publicidade


Cidade

Balneário Camboriú adotará entrega voluntária em ponto da prefeitura  


Divulgação

Excelente opção para os micro empreendedores, pequenas empresas e freelancers.


Especial

Festival de música eletrônica reuniu milhares de pessoas na virada do ano, em Rio Negrinho


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

TDC em áreas de proteção ambiental causa polêmica inútil

Divulgação
Morro do Careca poderá ser a primeira área contemplada pelo TDC
Morro do Careca poderá ser a primeira área contemplada pelo TDC
Quinta, 8/11/2018 13:56.

A minuta de um projeto de lei que será discutido hoje à tardinha no Conselho da Cidade de Balneário Camboriú, alterando aspectos do Plano Diretor, está causando polêmica devido a um artigo que estabelece a possibilidade da Transferência de Direito de Construir (TDC) a quem doar ao município áreas de preservação ou proteção ambiental.

A polêmica até certo ponto é inútil, porque a Lei 2686, o Plano Diretor de Balneário Camboriú, já estabelece em seu artigo 201 que “a transferência do direito de construir poderá ser autorizada ao proprietário dos seguintes imóveis: … imóvel para Proteção ou Preservação de Área Verde”.

As áreas de preservação possuem baixíssimo direito de construir e transferir esse direito para outro terreno tem pouco impacto.

Existem ainda áreas verdes que são de interesse da cidade e não possuem potencial construtivo algum, se não for encontrada uma forma de aproveitá-las, remunerando na forma de TDC adequadamente o proprietário, podem virar áreas de invasão, favelas, com custo muito mais elevado para a sociedade.

Esse mecanismo possibilita ao município estabelecer políticas de preservação combinadas com o desenvolvimento de novas opções turísticas, como os diversos parques em morrarias idealizados em 2017 pelo ex-secretário do planejamento Edson Kratz.

Uniformizar a forma de tratar a TDC é o principal objetivo do projeto. Entretanto é essencial que o município estabeleça quais áreas são de interesse público e podem ser fruto de TDC, para que o instrumento não se torne uma moeda de troca.

No momento existe um problema concreto a ser resolvido: o parque de voo livre no Morro do Careca, uma das principais atrações turísticas da cidade, cuja área pertence a um particular que aceita ceder a propriedade desde que possa transferir o seu direito de construir.

A reunião do Conselho da Cidade será hoje às 18h na Câmara de Vereadores.

Publicidade

Publicidade