Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Estação de esgoto de Balneário Camboriú recebe licença ambiental

Quinta, 11/10/2018 11:44.
Ivan Rupp/Divulgação/PMBC
O diretor da Emasa, Douglas Beber, o prefeito Fabrício, André Adriano Dick, do IMA e Ike Gevaerd, secretário do Meio Ambiente

Publicidade

Aconteceu nesta quinta-feira (11), no gabinete do prefeito Fabrício Oliveira, a entrega da Licença Ambiental de Operação, que regulariza o sistema da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), de Balneário Camboriú.

A licença já tinha sido assinada digitalmente pelo Instituto do Meio Ambiente (ex-FATMA), mas o ato político na prefeitura marcou um feito histórico, já que até hoje a Empresa Municipal de Água e Saneamento (Emasa) não tinha a licença. A solenidade contou com a presença do presidente do Instituto, André Adriano Dick.

A licença precisará ser renovada a cada quatro anos.

"É uma grande conquista para Balneário Camboriú. A Empresa Municipal de Água e Saneamento (EMASA) nunca teve essa licença, cumprimos todas as condicionantes para consegui-lá e vamos mantê-la. Irá beneficiar principalmente as futuras construções que virão a se instalar na cidade", declarou em nota, o prefeito.

Antes da licença ambiental, os empreendimentos na cidade precisavam construir uma estação de tratamento de esgoto própria.

"Foi um trabalho em equipe, os técnicos do meio ambiente e Emasa não mediram esforços para atender pedidos do Instituto”, destacou o secretário do Meio Ambiente, Ike Gevaerd.

Mais por vir

A busca pela licença foi motivada pelo Ministério Público, através de um Termo de Ajustamento de Conduta, envolvendo IMA, Prefeitura de Balneário Camboriú e Emasa.

O promotor do Meio Ambiente, Isaac Newton Belota Sabbá Guimarães, explicou que o TAC envolve vários compromissos como um programa de educação ambiental, saneamento do Rio Camboriú e a licença da ETE.

Como os prazos ainda estão correndo, o Ministério Público segue aguardando que as partes cumpram tudo o que foi acordado.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Estação de esgoto de Balneário Camboriú recebe licença ambiental

Ivan Rupp/Divulgação/PMBC
O diretor da Emasa, Douglas Beber, o prefeito Fabrício, André Adriano Dick, do IMA e Ike Gevaerd, secretário do Meio Ambiente
O diretor da Emasa, Douglas Beber, o prefeito Fabrício, André Adriano Dick, do IMA e Ike Gevaerd, secretário do Meio Ambiente

Publicidade

Quinta, 11/10/2018 11:44.

Aconteceu nesta quinta-feira (11), no gabinete do prefeito Fabrício Oliveira, a entrega da Licença Ambiental de Operação, que regulariza o sistema da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), de Balneário Camboriú.

A licença já tinha sido assinada digitalmente pelo Instituto do Meio Ambiente (ex-FATMA), mas o ato político na prefeitura marcou um feito histórico, já que até hoje a Empresa Municipal de Água e Saneamento (Emasa) não tinha a licença. A solenidade contou com a presença do presidente do Instituto, André Adriano Dick.

A licença precisará ser renovada a cada quatro anos.

"É uma grande conquista para Balneário Camboriú. A Empresa Municipal de Água e Saneamento (EMASA) nunca teve essa licença, cumprimos todas as condicionantes para consegui-lá e vamos mantê-la. Irá beneficiar principalmente as futuras construções que virão a se instalar na cidade", declarou em nota, o prefeito.

Antes da licença ambiental, os empreendimentos na cidade precisavam construir uma estação de tratamento de esgoto própria.

"Foi um trabalho em equipe, os técnicos do meio ambiente e Emasa não mediram esforços para atender pedidos do Instituto”, destacou o secretário do Meio Ambiente, Ike Gevaerd.

Mais por vir

A busca pela licença foi motivada pelo Ministério Público, através de um Termo de Ajustamento de Conduta, envolvendo IMA, Prefeitura de Balneário Camboriú e Emasa.

O promotor do Meio Ambiente, Isaac Newton Belota Sabbá Guimarães, explicou que o TAC envolve vários compromissos como um programa de educação ambiental, saneamento do Rio Camboriú e a licença da ETE.

Como os prazos ainda estão correndo, o Ministério Público segue aguardando que as partes cumpram tudo o que foi acordado.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade