Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Com licitação paralisada estacionamento rotativo pode não sair neste ano

Faltam ao governo de Balneário Camboriú gestão e projetos claros

Terça, 30/10/2018 8:09.
Reprodução Digicon.

Publicidade

A suspensão cautelar no último dia 25 por parte do Tribunal de Contas do Estado do processo licitatório para o estacionamento rotativo em Balneário Camboriú tende a inviabilizar a instalação daquele serviço na cidade ainda neste ano.

Se isso ocorrer será a segunda temporada seguida em que a atual administração tenta e não consegue implantar o rotativo.

O ponto principal que levou à suspensão da licitação é omissão e subjetividade na descrição do objeto a ser contratado que a prefeitura definiu como “locação de parquímetros”.

Tramita no TCE outra representação alegando que locação de parquímetros foi uma maquiagem promovida pelo governo municipal já que o objeto da licitação vai muito além disso.

Por outro lado ninguém da administração veio a público até o momento explicar porque na licitação lançada dois meses atrás e suspensa pela justiça a quantidade de parquímetros era 18 e agora aumentou para 140.

Esse fato mostra a falta de projetos e comando que impera hoje na administração de Balneário Camboriú.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Reprodução Digicon.

Com licitação paralisada estacionamento rotativo pode não sair neste ano

Faltam ao governo de Balneário Camboriú gestão e projetos claros

Publicidade

Terça, 30/10/2018 8:09.

A suspensão cautelar no último dia 25 por parte do Tribunal de Contas do Estado do processo licitatório para o estacionamento rotativo em Balneário Camboriú tende a inviabilizar a instalação daquele serviço na cidade ainda neste ano.

Se isso ocorrer será a segunda temporada seguida em que a atual administração tenta e não consegue implantar o rotativo.

O ponto principal que levou à suspensão da licitação é omissão e subjetividade na descrição do objeto a ser contratado que a prefeitura definiu como “locação de parquímetros”.

Tramita no TCE outra representação alegando que locação de parquímetros foi uma maquiagem promovida pelo governo municipal já que o objeto da licitação vai muito além disso.

Por outro lado ninguém da administração veio a público até o momento explicar porque na licitação lançada dois meses atrás e suspensa pela justiça a quantidade de parquímetros era 18 e agora aumentou para 140.

Esse fato mostra a falta de projetos e comando que impera hoje na administração de Balneário Camboriú.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade