Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Prefeitura de Balneário Camboriú buscará alternativa para estacionamento rotativo

Foi publicada a revogação da licitação.

Quarta, 12/9/2018 15:00.
Ivan Rupp/Divulgação/PMBC

Publicidade

Depois que a licitação para implantar o estacionamento rotativo em Balneário Camboriú empacou em dificuldades jurídicas, a administração municipal pensa em alugar as ferramentas para implantação do serviço.

Foi publicado hoje o cancelamento da licitação.

Agora uma das alternativas é o sistema adotado em Rio do Sul que chegou a ser avaliado superficialmente pela assessoria do prefeito Fabrício Oliveira e descartado.

Em Rio do Sul o estacionamento rotativo é administrado, há cerca de 18 anos, pela APAE que fica com 70% do lucro e distribui outros 30% para mais três entidades beneficentes. Isso representa cerca de R$ 45 mil mensais.

Até dois meses atrás eram 800 vagas e agora são 1.500, com faturamento bruto entre R$ 110 mil e R$ 150 mil mensais.

Rio do Sul é uma cidade com 70 mil habitantes e 52.000 veículos. Em Balneário Camboriú são 102 mil habitantes, 90 mil veículos e um movimento expressivo de turistas.

Segundo o presidente da APAE de Rio do Sul, Ivan Casagrande Concer, o recente aumento na quantidade de vagas rotativas não impactou significativamente o faturamento.

“É um sistema prático e enxuto” avaliou.

O Página 3 consultou a empresa que forneceu a tecnologia para Rio do Sul. O custo, para software e 80 equipamentos portáteis de cobrança é R$ 21.300,000 mensais.

A expectativa do setor de trânsito da prefeitura é que o faturamento bruto em Balneário Camboriú ronde R$ 1 milhão mensais.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Prefeitura de Balneário Camboriú buscará alternativa para estacionamento rotativo

Ivan Rupp/Divulgação/PMBC

Publicidade

Quarta, 12/9/2018 15:00.

Depois que a licitação para implantar o estacionamento rotativo em Balneário Camboriú empacou em dificuldades jurídicas, a administração municipal pensa em alugar as ferramentas para implantação do serviço.

Foi publicado hoje o cancelamento da licitação.

Agora uma das alternativas é o sistema adotado em Rio do Sul que chegou a ser avaliado superficialmente pela assessoria do prefeito Fabrício Oliveira e descartado.

Em Rio do Sul o estacionamento rotativo é administrado, há cerca de 18 anos, pela APAE que fica com 70% do lucro e distribui outros 30% para mais três entidades beneficentes. Isso representa cerca de R$ 45 mil mensais.

Até dois meses atrás eram 800 vagas e agora são 1.500, com faturamento bruto entre R$ 110 mil e R$ 150 mil mensais.

Rio do Sul é uma cidade com 70 mil habitantes e 52.000 veículos. Em Balneário Camboriú são 102 mil habitantes, 90 mil veículos e um movimento expressivo de turistas.

Segundo o presidente da APAE de Rio do Sul, Ivan Casagrande Concer, o recente aumento na quantidade de vagas rotativas não impactou significativamente o faturamento.

“É um sistema prático e enxuto” avaliou.

O Página 3 consultou a empresa que forneceu a tecnologia para Rio do Sul. O custo, para software e 80 equipamentos portáteis de cobrança é R$ 21.300,000 mensais.

A expectativa do setor de trânsito da prefeitura é que o faturamento bruto em Balneário Camboriú ronde R$ 1 milhão mensais.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade