Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Moradores de rua e carroceiros: prefeitura planeja ações para travar o crescimento

Sexta, 14/9/2018 10:27.

Esta semana aconteceram duas reuniões para tratar de problemas que só crescem na cidade e estão preocupando os responsáveis: moradores de rua em situação de risco e carroceiros que não respeitam a legislação municipal e estão rodando o dia todo.

A secretária da Inclusão Social Christina Barichello disse que os agentes estão abordando diariamente, média de 42 moradores de rua, mas que o problema só cresce porque eles recebem ajuda da população.

“Todos reclamam do problema, mas não entendem que dar comida e esmola não vai fazer ele sair das ruas, porque é cômodo. Se todo mundo que se aposenta quer vir morar em Balneário Camboriú porque é bom, imagina eles, que ganham comida dos restaurantes, ajuda da população. As pessoas precisam entender que não estão ajudando, estão aumentando o problema”, disse Christina.

Entre os moradores de rua, ‘uns 30’ são locais, usuários de drogas e álcool e estes o municipio tem que tratar, oferecer um novo projeto de vida. Os outros devem retornar a suas cidades para tratar-se e o municipio oferece passagens.

Da reunião participaram a Polícia Militar, a Guarda Municipal, Bombeiros, Convention Bureau e ficou decidido que será feita uma campanha com placas e folderes pedindo que as pessoas não dêem esmolas, que os restaurantes não deem comida, orientando que a melhor forma de ajudar é discar 156, que é um resgate social.

Carroceiros

O assunto dos carroceiros que estão circulando em grande número e em qualquer horário, desrespeitando a legislação de 2008, que estabelece que eles podem trabalhar das 20h até às 6h da manhã em determinadas ruas (estabelecidas em lei) foi tratado em reunião no gabinete do prefeito esta semana, na presença dos secretários Gabriel Castanheira, da Segurança, Ike Gevaerd, do Meio Ambiente e Christina Barichello, da Inclusão Social.

Dali saíram duas decisões: as carroças que estiverem circulando fora do horário serão apreendidas e recolhidas, a principio na secretaria de Obras na Barra e a abordagem será feita pela Guarda Municipal; e antes disso, provavelmente no final deste mês, a prefeitura chamará uma reunião com todos os catadores para orientá-los sobre as medidas que serão tomadas, caso não cumpram a legislação existente.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Moradores de rua e carroceiros: prefeitura planeja ações para travar o crescimento

Sexta, 14/9/2018 10:27.

Esta semana aconteceram duas reuniões para tratar de problemas que só crescem na cidade e estão preocupando os responsáveis: moradores de rua em situação de risco e carroceiros que não respeitam a legislação municipal e estão rodando o dia todo.

A secretária da Inclusão Social Christina Barichello disse que os agentes estão abordando diariamente, média de 42 moradores de rua, mas que o problema só cresce porque eles recebem ajuda da população.

“Todos reclamam do problema, mas não entendem que dar comida e esmola não vai fazer ele sair das ruas, porque é cômodo. Se todo mundo que se aposenta quer vir morar em Balneário Camboriú porque é bom, imagina eles, que ganham comida dos restaurantes, ajuda da população. As pessoas precisam entender que não estão ajudando, estão aumentando o problema”, disse Christina.

Entre os moradores de rua, ‘uns 30’ são locais, usuários de drogas e álcool e estes o municipio tem que tratar, oferecer um novo projeto de vida. Os outros devem retornar a suas cidades para tratar-se e o municipio oferece passagens.

Da reunião participaram a Polícia Militar, a Guarda Municipal, Bombeiros, Convention Bureau e ficou decidido que será feita uma campanha com placas e folderes pedindo que as pessoas não dêem esmolas, que os restaurantes não deem comida, orientando que a melhor forma de ajudar é discar 156, que é um resgate social.

Carroceiros

O assunto dos carroceiros que estão circulando em grande número e em qualquer horário, desrespeitando a legislação de 2008, que estabelece que eles podem trabalhar das 20h até às 6h da manhã em determinadas ruas (estabelecidas em lei) foi tratado em reunião no gabinete do prefeito esta semana, na presença dos secretários Gabriel Castanheira, da Segurança, Ike Gevaerd, do Meio Ambiente e Christina Barichello, da Inclusão Social.

Dali saíram duas decisões: as carroças que estiverem circulando fora do horário serão apreendidas e recolhidas, a principio na secretaria de Obras na Barra e a abordagem será feita pela Guarda Municipal; e antes disso, provavelmente no final deste mês, a prefeitura chamará uma reunião com todos os catadores para orientá-los sobre as medidas que serão tomadas, caso não cumpram a legislação existente.

Publicidade

Publicidade