Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Dia da Árvore: plano de arborização começa a dar frutos em Balneário Camboriú

Quinta, 20/9/2018 18:05.
Divulgação PMBC
Árvores retiradas do canteiro central da Rua 3100 ganharam uma nova paisagem

Publicidade

Hoje, 21 de setembro, é Dia da Árvore, mas será que em uma cidade de concreto, como costuma ser lembrada Balneário Camboriú, existem motivos para celebrar? Existem sim.

Há exatamente um ano o prefeito Fabrício Oliveira assinava um projeto de lei que criava o plano de arborização da cidade. Seis meses depois esse projeto virou lei e desde então vem norteando as decisões que envolvem o plantio na cidade, uma espécie de plano diretor de arborização.

Foi um marco para Balneário Camboriú. A ideia começou a ser construída durante o governo Rubens Spernau, mas não foi levada adiante durante o governo Edson Piriquito, sendo retomada agora.

A bióloga da Secretaria de Obras, Arlete Tomazoni, que participou do processo desde o início, comemora os reflexos que já começam a aparecer.

Ela conta que além dos projetos de reurbanização seguirem as normas, também já estão recebendo consultas da comunidade buscando informações sobre espécies ideais e até calçadas verdes.

A lei estipula normas sobre espécies, distâncias, manejo e conservação da arborização urbana. Leia na íntegra aqui.

Reurbanizações

Plantio de mudas no Binário Sul

De acordo com Arlete, o prolongamento da Quarta Avenida (Binário Sul) também seguiu as normas e padrões da nova lei.

Só no trecho entre Rua 2650 até 3020 foram plantadas cerca de 140 mudas de queresmeiras roxa e rosa; Ingá feijão; Bolão Ouro; Sibipirunas; Ipê-rosa, amarelo e branco.

Arlete explica que a variação de espécies é importante para evitar pragas e garantir flores durante todo o ano.

A Rua 3100, um eixo importante de conexão do Binário Sul, também teve planejamento para definir a remoção e plantio de árvores.

Do canteiro central foram retiradas 16 árvores da espécie Ficus, elas foram transplantadas quase que imediatamente em um terreno da prefeitura entre o Fórum e a Avantis. O espaço está sendo usado por um novo grupo de escoteiros, que havia solicitado árvores que oferecessem sombra.

Arlete esclarece que o espaço foi escolhido também porque o Ficus é uma espécie invasora e suas raízes precisam de espaço.Nenhuma árvore foi perdida.

Houve críticas nas redes sociais sobre a remoção das árvores da 3100, mas a verdade é que naquele trecho serão plantadas novas espécies, mais adequadas ao local. "Não vamos perder árvores, na verdade vamos adicionar. A tendência é melhorar", pontuou Arlete.

Serão usadas árvores das espécies Quaresmeira, Sibipiruna, Ipê Amarelo , Ipê Rosa e Ingá.

Já na Terceira Avenida haverá mudanças em breve, com o prolongamento do sentido único.

O canteiro central começará a ser removido na próxima semana e os 40 coqueiros do trecho serão replantados em uma área da Marginal Oeste , onde serão abertos bolsões. Enquanto a obra não começa, elas ficarão em uma vala, com seus torrões protegidos. "Não vamos perder nada", concluiu a bióloga.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Dia da Árvore: plano de arborização começa a dar frutos em Balneário Camboriú

Divulgação PMBC
Árvores retiradas do canteiro central da Rua 3100 ganharam uma nova paisagem
Árvores retiradas do canteiro central da Rua 3100 ganharam uma nova paisagem

Publicidade

Quinta, 20/9/2018 18:05.

Hoje, 21 de setembro, é Dia da Árvore, mas será que em uma cidade de concreto, como costuma ser lembrada Balneário Camboriú, existem motivos para celebrar? Existem sim.

Há exatamente um ano o prefeito Fabrício Oliveira assinava um projeto de lei que criava o plano de arborização da cidade. Seis meses depois esse projeto virou lei e desde então vem norteando as decisões que envolvem o plantio na cidade, uma espécie de plano diretor de arborização.

Foi um marco para Balneário Camboriú. A ideia começou a ser construída durante o governo Rubens Spernau, mas não foi levada adiante durante o governo Edson Piriquito, sendo retomada agora.

A bióloga da Secretaria de Obras, Arlete Tomazoni, que participou do processo desde o início, comemora os reflexos que já começam a aparecer.

Ela conta que além dos projetos de reurbanização seguirem as normas, também já estão recebendo consultas da comunidade buscando informações sobre espécies ideais e até calçadas verdes.

A lei estipula normas sobre espécies, distâncias, manejo e conservação da arborização urbana. Leia na íntegra aqui.

Reurbanizações

Plantio de mudas no Binário Sul

De acordo com Arlete, o prolongamento da Quarta Avenida (Binário Sul) também seguiu as normas e padrões da nova lei.

Só no trecho entre Rua 2650 até 3020 foram plantadas cerca de 140 mudas de queresmeiras roxa e rosa; Ingá feijão; Bolão Ouro; Sibipirunas; Ipê-rosa, amarelo e branco.

Arlete explica que a variação de espécies é importante para evitar pragas e garantir flores durante todo o ano.

A Rua 3100, um eixo importante de conexão do Binário Sul, também teve planejamento para definir a remoção e plantio de árvores.

Do canteiro central foram retiradas 16 árvores da espécie Ficus, elas foram transplantadas quase que imediatamente em um terreno da prefeitura entre o Fórum e a Avantis. O espaço está sendo usado por um novo grupo de escoteiros, que havia solicitado árvores que oferecessem sombra.

Arlete esclarece que o espaço foi escolhido também porque o Ficus é uma espécie invasora e suas raízes precisam de espaço.Nenhuma árvore foi perdida.

Houve críticas nas redes sociais sobre a remoção das árvores da 3100, mas a verdade é que naquele trecho serão plantadas novas espécies, mais adequadas ao local. "Não vamos perder árvores, na verdade vamos adicionar. A tendência é melhorar", pontuou Arlete.

Serão usadas árvores das espécies Quaresmeira, Sibipiruna, Ipê Amarelo , Ipê Rosa e Ingá.

Já na Terceira Avenida haverá mudanças em breve, com o prolongamento do sentido único.

O canteiro central começará a ser removido na próxima semana e os 40 coqueiros do trecho serão replantados em uma área da Marginal Oeste , onde serão abertos bolsões. Enquanto a obra não começa, elas ficarão em uma vala, com seus torrões protegidos. "Não vamos perder nada", concluiu a bióloga.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade