Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Centro de Eventos de Balneário Camboriú não ficará pronto neste ano
Nilson Probst/Arquivo Página 3.
Filipe Mello, Raimundo Colombo, Edson Piriquito e Eduardo Pinho Moreira prometeram e não cumpriram.

Quinta, 18/4/2019 7:38.

O governo de Santa Catarina lançou ontem (17) licitação no valor de R$ 11.566.457,09 para o sistema de climatização do Centro de Eventos de Balneário Camboriú, com abertura das propostas em 20 de maio e prazo de execução de sete meses.

Isso significa que a climatização não ficará pronta neste ano e sem ar condicionado é impossível o centro de eventos funcionar.

A licitação para divisórias (elas são móveis, específicas para centros de eventos) foi concluída e está em fase de contrato junto à Caixa Econômica Federal. O pregão para os elevadores ainda não foi lançado, o que deve ocorrer em maio.

Concessão

O centro de eventos será administrado pela iniciativa privada e um grupo de estudos pretende definir até o final deste mês o termo de referência, o valor da concessão e outros documentos necessários para encaminhar a licitação.

Após essa etapa haverá audiências públicas e ainda não foi definido se elas serão em Florianópolis ou Balneário Camboriú.

Pelo andamento dos trabalhos é improvável que antes de agosto a licitação para a concessão seja lançada, mas esse prazo deixou de ser crítico devido ao atraso nas obras.

O Centro de Eventos de Balneário Camboriú é um exemplo da irresponsabilidade dos políticos com o dinheiro público. A ordem de serviço foi assinada em 19 de agosto de 2015 e a obra deveria ficar pronta em dezembro de 2016 ao custo de R$ 90 milhões.

Será entregue com três anos de atraso e com investimentos ao redor de R$ 140 milhões.

Dois dos políticos que assinaram a ordem de serviço para a obra, o ex-prefeito Edson Piriquito e o ex-governador Raimundo Colombo, concorreram nas eleições de 2018 e foram reprovados nas urnas.
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Centro de Eventos de Balneário Camboriú não ficará pronto neste ano

Nilson Probst/Arquivo Página 3.
Filipe Mello, Raimundo Colombo, Edson Piriquito e Eduardo Pinho Moreira prometeram e não cumpriram.
Filipe Mello, Raimundo Colombo, Edson Piriquito e Eduardo Pinho Moreira prometeram e não cumpriram.

Publicidade

Quinta, 18/4/2019 7:38.

O governo de Santa Catarina lançou ontem (17) licitação no valor de R$ 11.566.457,09 para o sistema de climatização do Centro de Eventos de Balneário Camboriú, com abertura das propostas em 20 de maio e prazo de execução de sete meses.

Isso significa que a climatização não ficará pronta neste ano e sem ar condicionado é impossível o centro de eventos funcionar.

A licitação para divisórias (elas são móveis, específicas para centros de eventos) foi concluída e está em fase de contrato junto à Caixa Econômica Federal. O pregão para os elevadores ainda não foi lançado, o que deve ocorrer em maio.

Concessão

O centro de eventos será administrado pela iniciativa privada e um grupo de estudos pretende definir até o final deste mês o termo de referência, o valor da concessão e outros documentos necessários para encaminhar a licitação.

Após essa etapa haverá audiências públicas e ainda não foi definido se elas serão em Florianópolis ou Balneário Camboriú.

Pelo andamento dos trabalhos é improvável que antes de agosto a licitação para a concessão seja lançada, mas esse prazo deixou de ser crítico devido ao atraso nas obras.

O Centro de Eventos de Balneário Camboriú é um exemplo da irresponsabilidade dos políticos com o dinheiro público. A ordem de serviço foi assinada em 19 de agosto de 2015 e a obra deveria ficar pronta em dezembro de 2016 ao custo de R$ 90 milhões.

Será entregue com três anos de atraso e com investimentos ao redor de R$ 140 milhões.

Dois dos políticos que assinaram a ordem de serviço para a obra, o ex-prefeito Edson Piriquito e o ex-governador Raimundo Colombo, concorreram nas eleições de 2018 e foram reprovados nas urnas.
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade