Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Mais de 40 fiscais da Fazenda estão atuando nas praias de Balneário Camboriú

Segunda, 23/12/2019 9:42.
Divulgação

Publicidade

A Secretaria da Fazenda está contando com 43 fiscais que estão atuando nas praias de Balneário Camboriú, sendo 30 somente na praia central. A principal atribuição deles é coibir a venda de produtos ilegais, e fiscalizar quiosques, pontos de churros e milho e restaurantes – principalmente a atuação de garçons na faixa de areia (21 restaurantes da cidade solicitaram autorização para esse tipo de atendimento na praia central).

Segundo o diretor do departamento de Fiscalização Fazendária da prefeitura, Gilberto Aires Hostins, na praia central atuarão 30 fiscais com dois carros de apoio, em Laranjeiras quatro fiscais, no Estaleiro dois e no Estaleirinho dois. No período noturno haverá cinco profissionais fiscalizando a cidade, com um carro de apoio.

“Foram contratados 50 fiscais temporários, dos quais 43 estão na fiscalização externa, seis internos como apoio administrativo e um não se apresentou (será substituído)”, conta.

Gilberto pede o apoio da comunidade, que pode abordar os fiscais e denunciar o comércio ilegal e clandestino, além da prática de esportes fora de horário e local permitido na faixa de areia, presença de animais na areia da praia, prática de panfletagem em locais e horários não permitidos, principalmente na Avenida Atlântica (compreendendo a faixa de areia), e qualquer atividade suspeita envolvendo quiosques, pontos de churros e milho e restaurantes.

“Também fiscalizaremos e atenderemos denúncias sobre estacionamentos clandestinos que costumam ‘se multiplicar’ nesta época do ano, aplicamos intimações, advertências e autos de infração quanto a obras executadas de forma irregular, e somos os responsáveis e atendemos as denúncias sobre reserva e uso indevido de espaço público (tanto pelos pontos de aluguel de cadeiras e guarda-sóis como as barracas instaladas para o Réveillon), tais como praias, calçadas e outros logradouros públicos”, diz.

O diretor aproveita para lembrar que o preço (por vezes abusivo) do aluguel de cadeiras e guarda-sóis não é de competência da Secretaria da Fazenda e deve ser denunciado diretamente ao Procon que atende de segunda a sexta-feira das 13h às 18h na Rua 2.000, nº 856. Telefone: 3367-0619.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação

Mais de 40 fiscais da Fazenda estão atuando nas praias de Balneário Camboriú

Publicidade

Segunda, 23/12/2019 9:42.

A Secretaria da Fazenda está contando com 43 fiscais que estão atuando nas praias de Balneário Camboriú, sendo 30 somente na praia central. A principal atribuição deles é coibir a venda de produtos ilegais, e fiscalizar quiosques, pontos de churros e milho e restaurantes – principalmente a atuação de garçons na faixa de areia (21 restaurantes da cidade solicitaram autorização para esse tipo de atendimento na praia central).

Segundo o diretor do departamento de Fiscalização Fazendária da prefeitura, Gilberto Aires Hostins, na praia central atuarão 30 fiscais com dois carros de apoio, em Laranjeiras quatro fiscais, no Estaleiro dois e no Estaleirinho dois. No período noturno haverá cinco profissionais fiscalizando a cidade, com um carro de apoio.

“Foram contratados 50 fiscais temporários, dos quais 43 estão na fiscalização externa, seis internos como apoio administrativo e um não se apresentou (será substituído)”, conta.

Gilberto pede o apoio da comunidade, que pode abordar os fiscais e denunciar o comércio ilegal e clandestino, além da prática de esportes fora de horário e local permitido na faixa de areia, presença de animais na areia da praia, prática de panfletagem em locais e horários não permitidos, principalmente na Avenida Atlântica (compreendendo a faixa de areia), e qualquer atividade suspeita envolvendo quiosques, pontos de churros e milho e restaurantes.

“Também fiscalizaremos e atenderemos denúncias sobre estacionamentos clandestinos que costumam ‘se multiplicar’ nesta época do ano, aplicamos intimações, advertências e autos de infração quanto a obras executadas de forma irregular, e somos os responsáveis e atendemos as denúncias sobre reserva e uso indevido de espaço público (tanto pelos pontos de aluguel de cadeiras e guarda-sóis como as barracas instaladas para o Réveillon), tais como praias, calçadas e outros logradouros públicos”, diz.

O diretor aproveita para lembrar que o preço (por vezes abusivo) do aluguel de cadeiras e guarda-sóis não é de competência da Secretaria da Fazenda e deve ser denunciado diretamente ao Procon que atende de segunda a sexta-feira das 13h às 18h na Rua 2.000, nº 856. Telefone: 3367-0619.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade