Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Reunião de emergência revela série de pendências do Centro de Eventos
Divulgação PMBC

Quinta, 10/1/2019 10:06.

Na manhã desta quarta-feira (9) aconteceu reunião no Centro de Eventos de Balneário Camboriú para tratar sobre as pendências do empreendimento. A imprensa não foi comunicada previamente sobre o encontro.

A reunião contou com representantes de secretarias municipais como Turismo, Obras, Planejamento e Saúde; da Emasa, da Celesc, do Corpo de Bombeiros e a engenheira responsável pela obra, Ana Moser.

O secretário municipal de Turismo, Miro Teixeira, comentou que a intenção era colocar frente a frente todos os atores que influenciarão na liberação da obra e que cada um fizesse uma lista das pendências. Ele revelou que ficou surpreso com a quantidade de itens que ainda devem ser concluídos.

Por exemplo, ainda falta ligar a água e resolver pendências necessárias para o Habite-se.

Ainda não foram entregues diversos itens licitados pelo Estado como divisórias, climatização e elevadores, o que pode atrasar ainda mais a entrega definitiva do empreendimento.

Outros equipamentos também estão em falta, como cancelas, grades, catracas e controle de acesso e automação.

Miro contou que há necessidade até de um acesso rodoviário indicado pela concessionária Arteris.

Essa lista de pendências será encaminhada ao novo governo do Estado para cobrar respostas e uma data, porque o município tem pressa e um evento da área têxtil pré-agendado para junho deste ano.

Reunião sobre o tema foi marcada para o dia 17 deste mês, na capital. Miro adiantou que existe a preocupação com a continuidade do projeto frente às mudanças no Governo do Estado, por isso a movimentação desses agentes locais.

Em paralelo, um grupo consultivo fez levantamento dos valores cobrados por metro quadrado em outros centros de eventos do Estado. A ideia é apresentar esses números e chegar a um valor para uso do espaço. Apesar da gestão do centro de eventos também ainda estar indefinida, o secretário municipal de Turismo defende a necessidade de definição de um valor, para começar a negociar eventos, já que são de grande porte e precisam de tempo para planejamento.

O município está preocupado com a conclusão da obra, pois colocá-lo em funcionamento o quanto antes terá impacto significativo sobre a economia da cidade e da região.

Durante a transição de governos seria realizada a inauguração, mas com a obra inacabada e após muitos conflitos de agenda do então presidente Michel Temer, o prefeito Fabrício Oliveira veio a público anunciar que não participaria de nenhum ato, visto que a obra não estava concluída.

Depois disso, a obra não foi inaugurada oficialmente.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Reunião de emergência revela série de pendências do Centro de Eventos

Divulgação PMBC

Publicidade

Quinta, 10/1/2019 10:06.

Na manhã desta quarta-feira (9) aconteceu reunião no Centro de Eventos de Balneário Camboriú para tratar sobre as pendências do empreendimento. A imprensa não foi comunicada previamente sobre o encontro.

A reunião contou com representantes de secretarias municipais como Turismo, Obras, Planejamento e Saúde; da Emasa, da Celesc, do Corpo de Bombeiros e a engenheira responsável pela obra, Ana Moser.

O secretário municipal de Turismo, Miro Teixeira, comentou que a intenção era colocar frente a frente todos os atores que influenciarão na liberação da obra e que cada um fizesse uma lista das pendências. Ele revelou que ficou surpreso com a quantidade de itens que ainda devem ser concluídos.

Por exemplo, ainda falta ligar a água e resolver pendências necessárias para o Habite-se.

Ainda não foram entregues diversos itens licitados pelo Estado como divisórias, climatização e elevadores, o que pode atrasar ainda mais a entrega definitiva do empreendimento.

Outros equipamentos também estão em falta, como cancelas, grades, catracas e controle de acesso e automação.

Miro contou que há necessidade até de um acesso rodoviário indicado pela concessionária Arteris.

Essa lista de pendências será encaminhada ao novo governo do Estado para cobrar respostas e uma data, porque o município tem pressa e um evento da área têxtil pré-agendado para junho deste ano.

Reunião sobre o tema foi marcada para o dia 17 deste mês, na capital. Miro adiantou que existe a preocupação com a continuidade do projeto frente às mudanças no Governo do Estado, por isso a movimentação desses agentes locais.

Em paralelo, um grupo consultivo fez levantamento dos valores cobrados por metro quadrado em outros centros de eventos do Estado. A ideia é apresentar esses números e chegar a um valor para uso do espaço. Apesar da gestão do centro de eventos também ainda estar indefinida, o secretário municipal de Turismo defende a necessidade de definição de um valor, para começar a negociar eventos, já que são de grande porte e precisam de tempo para planejamento.

O município está preocupado com a conclusão da obra, pois colocá-lo em funcionamento o quanto antes terá impacto significativo sobre a economia da cidade e da região.

Durante a transição de governos seria realizada a inauguração, mas com a obra inacabada e após muitos conflitos de agenda do então presidente Michel Temer, o prefeito Fabrício Oliveira veio a público anunciar que não participaria de nenhum ato, visto que a obra não estava concluída.

Depois disso, a obra não foi inaugurada oficialmente.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade