Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Camboriú e Balneário Camboriú encaminham integração no esgoto
Google.
Cidades irmãs separadas por erros históricos dos seus políticos.

Sexta, 25/1/2019 16:03.

O prefeito Fabrício Oliveira divulgou na tarde desta sexta-feira (25) que ele e o prefeito da Camboriú, Elcio Rogerio Kuhnen, entraram em acordo para que Balneário Camboriú, através da Emasa, implante a rede e trate o esgoto na vizinha cidade.

Nova reunião foi marcada para terça-feira para aprofundar o assunto.

Camboriú concedeu o serviço de água a uma empresa privada pelo prazo de 35 anos, um negócio superior a R$ 1 bilhão, mas espantosamente o esgoto ficou a cargo da prefeitura que não tem capacidade de investimento para realizar a obra.

A municipalização da água em Camboriú foi “um negócio da China”, a concessionária paga à Emasa R$ 0,82 por metro cúbico de água tratada e vende aos consumidores por quase R$ 2,00.

Sem tratamento de esgoto em Camboriú, onde vivem cerca de 80 mil pessoas, não tem como resolver a poluição do rio Camboriú e da praia central de Balneário Camboriú

Na conversa entre os dois prefeitos, Élcio também teria concordado que a Emasa dobre a capacidade do Parque Linear, um reservatório de água bruta localizado em Camboriú.

Os entendimentos entre os prefeitos sobre a implantação do esgoto são preliminares, não existe um estudo atualizado da fonte de recursos, necessidade de investimentos e retorno do empreendimento.

Para qualquer acordo ambos os prefeitos dependem de aprovação das respectivas câmaras de vereadores.

No passado, quando da criação da Emasa, Balneário Camboriú propôs e Camboriú não aceitou a criaçao de uma única empresa de saneamento para ambas as cidades.

Com esse erro histórico Balneário evoluiu para quase 100% de cobertura de água e esgoto e Camboriú continuou com enormes dificuldades.

Dessa vez Balneário tem um argumento mais incisivo, setores da sociedade se movimentam para pedir à justiça a proibição de novas construções em Camboriú se o esgoto não for tratado com seriedade.

Os prefeitos Fabrício e Élcio acertando iniciativas em comum. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Cidade

 Prefeitura começará a internar usuários de drogas


Mundo

Um dos principais destinos turísticos do mundo sofre com algas desde 2015


Geral

O cantor Armandinho organiza o festival, que tem entrada gratuita


Política

Derrota do governo é resposta de Maia à queda de Bebianno


Publicidade


Publicidade


Política

Ele aparentemente fez escolhas erradas em seu caminho político 


Divulgação

Excelente opção para os micro empreendedores, pequenas empresas e freelancers.


Policia

Gaúcho comeu no restaurante e não tinha dinheiro para pagar


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Camboriú e Balneário Camboriú encaminham integração no esgoto

Google.
Cidades irmãs separadas por erros históricos dos seus políticos.
Cidades irmãs separadas por erros históricos dos seus políticos.
Sexta, 25/1/2019 16:03.

O prefeito Fabrício Oliveira divulgou na tarde desta sexta-feira (25) que ele e o prefeito da Camboriú, Elcio Rogerio Kuhnen, entraram em acordo para que Balneário Camboriú, através da Emasa, implante a rede e trate o esgoto na vizinha cidade.

Nova reunião foi marcada para terça-feira para aprofundar o assunto.

Camboriú concedeu o serviço de água a uma empresa privada pelo prazo de 35 anos, um negócio superior a R$ 1 bilhão, mas espantosamente o esgoto ficou a cargo da prefeitura que não tem capacidade de investimento para realizar a obra.

A municipalização da água em Camboriú foi “um negócio da China”, a concessionária paga à Emasa R$ 0,82 por metro cúbico de água tratada e vende aos consumidores por quase R$ 2,00.

Sem tratamento de esgoto em Camboriú, onde vivem cerca de 80 mil pessoas, não tem como resolver a poluição do rio Camboriú e da praia central de Balneário Camboriú

Na conversa entre os dois prefeitos, Élcio também teria concordado que a Emasa dobre a capacidade do Parque Linear, um reservatório de água bruta localizado em Camboriú.

Os entendimentos entre os prefeitos sobre a implantação do esgoto são preliminares, não existe um estudo atualizado da fonte de recursos, necessidade de investimentos e retorno do empreendimento.

Para qualquer acordo ambos os prefeitos dependem de aprovação das respectivas câmaras de vereadores.

No passado, quando da criação da Emasa, Balneário Camboriú propôs e Camboriú não aceitou a criaçao de uma única empresa de saneamento para ambas as cidades.

Com esse erro histórico Balneário evoluiu para quase 100% de cobertura de água e esgoto e Camboriú continuou com enormes dificuldades.

Dessa vez Balneário tem um argumento mais incisivo, setores da sociedade se movimentam para pedir à justiça a proibição de novas construções em Camboriú se o esgoto não for tratado com seriedade.

Os prefeitos Fabrício e Élcio acertando iniciativas em comum. 

Publicidade

Publicidade