Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Centro de Eventos: audiência pública oficializa a concessão e gera discussões

Quinta, 25/7/2019 12:23.
Fotos Renata Rutes

Publicidade

Texto e fotos por Renata Rutes

Aconteceu nesta quarta-feira (24), no Teatro Municipal Bruno Nitz, a audiência pública com o Governo do Estado, onde foi apresentada ao trade turístico, políticos e moradores de Balneário Camboriú como será a concessão para empresas interessadas em administrar o Centro de Eventos de Balneário Camboriú. O valor do contrato é R$ 144 milhões e prevê 20 anos de concessão. A outorga inicial é de R$ 10 milhões a serem pagos ao poder concedente (Governo do Estado), e vencerá a empresa que pagar mais.

Ficará disponível para consulta pública, pelos próximos 30 dias (até 23 de agosto), um termo de referência (https://especial.sc.gov.br/ppi/centro-de-eventos-balneario-camboriu/), documento com mais de 200 páginas onde qualquer interessado pode apresentar sugestões sobre o assunto. A concessão do Centro de Eventos é a primeira do Programa de Parcerias e Investimentos do Estado de Santa Catarina (PPI-SC), conduzido pela SCPar. A licitação está sob responsabilidade da Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina (Santur).

O que gerou polêmica é que o Governo do Estado pede repasse de 5% do valor bruto de arrecadação que a empresa vencedora receberá com os eventos. Foi questionado se Balneário Camboriú receberá alguma verba do tipo, e os representantes do governo estadual negaram, dizendo que ‘não é viável’ e que deveria ter sido feito um consórcio anterior, e isso não aconteceu. Nesse momento, algumas pessoas gritaram ‘Fabrício, pega nosso dinheiro de volta’ e o prefeito riu e chegou a fazer um sinal pedindo para o público esperar.

O Página 3 cobriu o evento e conversou com pessoas envolvidas no assunto, desde representantes do governo estadual e municipal, entidades, vereadores e trade turístico. Confira.

Governo do Estado

FLÁVIA DIDOMENICO, presidente da Santur – “A expectativa com a audiência é conseguir a melhor solução para a situação do Centro de Eventos de Balneário Camboriú. Não é obrigatório fazê-la, mas a realizamos exatamente para mostrar transparência nesse processo. Não é só licitar a empresa que terá a concessão, falta também a parte física (um elevador interno, paredes divisórias para salas de convenções e ar-condicionado – a empresa responsável terá que mobiliar). Há todo um rito legal, mas esperamos que, se não atrasarem os recursos, tudo esteja pronto e o Centro de Eventos seja entregue entre dezembro e janeiro. Existem pessoas que acham que o poder público deveria administrar o equipamento, mas estudos mostram a ineficiência disso. Concessão é a melhor forma para esse caso, e é a primeira do tipo em Santa Catarina. Já soubemos que há empresas interessadas, mas não houve nenhuma negociação ainda. Agora temos que unificar nosso esforços, precisamos do apoio de toda a região, para que consigamos oferecer o melhor produto ao público que deseja realizar eventos futuros em Balneário Camboriú. Todos esperam há muito tempo, e o governador Moisés pioriza essa obra. Já tivemos muitas solicitações de eventos futuros, e inclusive nomeamos o Carlos Eduardo de Sá, que irá atuar nessa área de captação de eventos, que podem acontecer a partir de julho/2020. Até o momento já temos 12 pré-reservas de eventos, seis formaturas, cinco feiras e um congresso”.


GUSTAVO SALVADOR PEREIRA, presidente da SCPar, que está conduzindo o PPI-SC – “A SCPar é a responsável pela agenda de desestatização do Governo de Santa Catarina, é uma ferramenta para privatizar, como é o caso do Centro de Eventos de Balneário Camboriú. Hoje a concessão é a melhor forma de administração para o futuro desse equipamento turístico tão importante. Sabemos que a expectativa de todos é grande, pois tende a auxiliar no desenvolvimento econômico não só de Balneário, mas de toda a região. Fizemos estudos, entendemos os números, e conseguimos ver que a concessão é a forma mais eficiente de gestão. Pesquisamos em lugares que tiveram sucesso com isso, como Salvador e Rio de Janeiro. Para quem tiver dúvidas, está aberto por 30 dias o termo de referência. Podem participar empresas até internacionais, e esperamos atrair grandes empresários, que tenham eficiência para administrar da melhor forma esse empreendimento. O valor do contrato é de R$ 144 milhões, que é algo atraente, além da região em si também incentivar os interessados em participarem da licitação”.


ANA PAULA SILVA (Paulinha), deputada estadual (PDT) - “Acredito que isso tudo irá ser concluído até o fim do ano, e acredito que através da audiência pública, que não é obrigatória e mesmo assim o Governo do Estado optou por realizar, torna o processo muito mais democrático e mais fácil de dirimir dúvidas e recursos. Vejo com bons olhos a concessão, que é a primeira do tipo em Santa Catarina, a Santur está de parabéns. É uma pauta que acompanhei desde o começo, por isso quis estar presente também na audiência. O prefeito Fabrício faz uma gestão articulada e também merece ser enaltecido, além do trade e dos vereadores, que sempre apoiam e acompanham esse equipamento, que em breve estará aberto e recebendo grandes eventos”.


Prefeito e vereadores

FABRÍCIO DE OLIVEIRA,prefeito de Balneário Camboriú – “O Centro de Eventos tem uma importância imensa não só para Balneário Camboriú como também para todo o Estado de Santa Catarina e até mesmo para a região sul do país, já que estamos entre os dois estados. Somos uma das regiões mais procuradas quando se trata de turismo, e agora futuramente falando também de negócios. Balneário Camboriú espera há décadas por esse momento, que tende a fomentar a economia e atrair esse nicho de turismo. É a certeza da evolução, e sabemos que a participação da comunidade, como aconteceu na audiência pública, é essencial para o sucesso e consolidação da abertura, que é algo tão esperado e tão merecido”.


PATRICK MACHADO, vereador – “É muito importante que o Centro de Eventos abra o quanto antes, porque vai movimentar a cidade também no inverno, atraindo um público seleto através dos eventos de negócios, sendo importante para toda a região. É o ‘respiro’ que a rede hoteleira aguarda há tanto tempo. Porém, temos algumas coisas para ver, como a situação do estacionamento. Há eventos que podem receber até 16 mil pessoas, e há cerca de 800 vagas de estacionamento somente. A Santur defende que o governo é uma empresa pequena e por isso estão apostando na concessão, que tende a atrair empresas grandes e competentes. Não é qualquer um que pode participar. Acredito que o ideal seria fazer um link com o município, ouvir o trade. Mas sem dúvidas o Centro de Eventos precisa abrir o quanto antes, não podemos mais perder tempo”.


ANDRÉ MEIRINHO, vereadorr – “O horário da audiência foi inadequado, ela deveria ser após às 18h30, conforme previsto em lei municipal, pois assim haveria a chance de mais pessoas participarem. Porém, esperamos que tudo o que foi discutido seja colocado em prática e que se execute o quanto antes. Não podemos mais esperar, a abertura do Centro de Eventos deve acontecer logo. O Governo do Estado também precisa escutar o trade turístico, que espera por esse equipamento há anos. E se o governo estadual vai receber a verba da empresa que vai administrar o Centro de Eventos, Balneário também deveria receber uma parte, pois o histórico de nossa cidade com esse empreendimento é antigo, desde a doação dos terrenos. É adequado Balneário Camboriú também ter frutos”.


ARLINDO CRUZ, vereador – “É válida a audiência, o Governo do Estado veio, cumpriu o seu papel. Agora cabe a nós dizermos para o governador que se o Estado vai receber 5% do valor bruto, Balneário deve receber parte disso, 1 ou 2% porque nós também investimos nessa obra. É muito justo inclusive investirmos esse valor que poderemos receber no Ruth Cardoso. Vou levar isso para a Câmara. Precisamos licitar e abrir o Centro de Eventos o quanto antes para não perdermos os pré-agendamentos”.


LUCAS GOTARDO, vereador – “A audiência foi bem interessante, foi um ato de transparência para divulgar o que está sendo produzido. A comunidade tem anseios e espera que tudo seja concluído o quanto antes. Balneário Camboriú precisa o quanto antes do Centro de Eventos. Precisamos ajustar alguns pontos, mas também precisamos facilitar para que haja interessados na concessão. Precisa haver estudos, e sem dúvidas Balneário Camboriú também precisa ter ganhos”.


Turismo, entidades e trade

VALDIR WALENDOVSKY, secretário de Turismo de Balneário Camboriú – “Estamos todos ansiosos para esse desfecho final, muitos eventos querem vir para a nossa cidade. A audiência é um procedimento legal, devem ser feitas todas essas etapas. Temos somente duas opções: administração pública ou privada, e foi escolhida a segunda. Porém, temos que esperar para ver se surgirão candidatos interessados. A audiência em si foi muito superficial, temos que discutir mais amplamente, o que acontecerá nas próximas semanas. Vejo que há chances de tudo ficar pronto em dezembro. Pode se estender se houver impugnação de empresas, e há uma possibilidade grande disso acontecer. É realmente difícil que não aconteça, em um processo importante como esse. Mas nós queremos abrir o quanto antes, e é impossível que não aconteça até julho/2020, tanto que já estamos pré-agendando eventos”.


ANA MARIA DOS SANTOS, presidente do Balneário Camboriú Convention & Visitors Bureau – “Foi um acontecimento muito importante essa audiência, algo que esperávamos bastante. O documento saiu tarde e não consegui lê-lo. Mas já conversei com o prefeito Fabrício e vamos fazer um grupo e apresentar propostas dentro desses 30 dias que temos. Vejo que o Centro de Eventos é localizado em Balneário Camboriú, então Balneário deve sim se organizar para também receber verba. Devemos ser beneficiados. Quando o Centro de Eventos abrir toda a região viverá um novo momento. É uma luta de anos, um sonho, e precisamos que ele se torne realidade o quanto antes”.


MARGOT RESENBROCK, vice-presidente do BC Convention e proprietária dos hoteis Rosenbrock e Bella Camboriú – “Eu estou feliz que tenha acontecido essa audiência, pois esperamos muito por esse documento, pelo edital. Com isso começamos a caminhar verdadeiramente. Agora vamos analisar o documento, esperamos que seja condizente com o porte desse nosso equipamento. A empresa vencedora precisa ser grande e que possua o know how necessário para administrar da melhor forma o Centro de Eventos. Queremos trazer eventos bons para a cidade, queremos que aconteça. Nesse momento precisamos nos unir e torcer para que tudo dê certo. O equipamento é do Governo do Estado, Balneário Camboriú participou porque é do nosso interesse, vai trazer renda para a nossa cidade, mas se juridicamente funcionar, é claro que também podemos receber parte da verba que o governo estadual está pedindo. Mas eu realmente tenho confiança que a nossa região terá um impacto extremamente positivo com a inauguração do Centro de Eventos, que esperamos que aconteça o quanto antes”.


CIÇA MULLER, presidente de Turismo da Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (FACISC) – “Avaliando essa audiência pública vejo que não teve um tempo hábil para a sociedade se preparar, a gente não teve acesso à documentação com antecedência, mas de pronto já percebi algumas questões que nos prejudicam. Uma delas, por exemplo, é a concessionária ter a obrigatoriedade de conceder 10 dias no ano para o Governo do Estado realizar seus eventos, porém não tem nenhuma garantia de data para a cidade realizar os seus. Diante dessa situação se faz necessária, até é um pedido que o próprio prefeito fez junto ao secretário de Turismo, de fortalecer a comissão que já vinha debatendo o Centro de Eventos, para que a gente se reúna e façamos as requisições e pleitos com máxima urgência. Fora isso, a promessa de que vamos ter eventos em julho de 2020 fica um pouco questionável. Como eles podem garantir? Tem todo um processo licitatório para acontecer e nós conhecemos a burocracia desse sistema. Não sentimos uma firmeza e uma segurança nas informações concedidas. Vamos nos reunir e trabalhar para fazer o necessário e conseguir algumas garantias para a nossa cidade”.


JANE BALBINET, presidente da ABEOC-SC – “A ABEOC está acompanhando de perto, colaborando ao máximo em todo o processo, inclusive fomos citados durante a audiência como parceiros. Vejo que o processo está andando, a passos lentos, mas está andando, e é isso que é o importante. Todos estão empenhados, e é um momento de discussão e de aparar as arestas. Precisamos que a empresa vencedora da licitação seja de excelência, porque é um momento muito esperado e que é fundamental para toda a região”.


OSNY MACIEL JÚNIOR, presidente do Conselho Municipal de Turismo de Balneário Camboriú (COMTUR), vice-presidente da Associação Brasileira de Empresas de Eventos (ABEOC-SC) e gerente do Hotel Sibara– “Infelizmente não conseguimos analisar o termo de referência, que era para ser divulgado 48h antes da audiência, e entrou somente na tarde de ontem (23). O Comtur não conseguiu se reunir, mas já percebemos que por enquanto, se não houver alterações, Balneário Camboriú sairá perdendo. Vamos reunir o trade e entidades para debates e sugerir mudanças ainda nessa semana, o mais rápido possível. Teremos apoio jurídico, para fazer sugestões e entender melhor esse documento. Mas com certeza já posso dizer que a concessão é a melhor opção, para não ser um elefante branco na mão do governo”



Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Fotos Renata Rutes

Centro de Eventos: audiência pública oficializa a concessão e gera discussões

Publicidade

Quinta, 25/7/2019 12:23.

Texto e fotos por Renata Rutes

Aconteceu nesta quarta-feira (24), no Teatro Municipal Bruno Nitz, a audiência pública com o Governo do Estado, onde foi apresentada ao trade turístico, políticos e moradores de Balneário Camboriú como será a concessão para empresas interessadas em administrar o Centro de Eventos de Balneário Camboriú. O valor do contrato é R$ 144 milhões e prevê 20 anos de concessão. A outorga inicial é de R$ 10 milhões a serem pagos ao poder concedente (Governo do Estado), e vencerá a empresa que pagar mais.

Ficará disponível para consulta pública, pelos próximos 30 dias (até 23 de agosto), um termo de referência (https://especial.sc.gov.br/ppi/centro-de-eventos-balneario-camboriu/), documento com mais de 200 páginas onde qualquer interessado pode apresentar sugestões sobre o assunto. A concessão do Centro de Eventos é a primeira do Programa de Parcerias e Investimentos do Estado de Santa Catarina (PPI-SC), conduzido pela SCPar. A licitação está sob responsabilidade da Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina (Santur).

O que gerou polêmica é que o Governo do Estado pede repasse de 5% do valor bruto de arrecadação que a empresa vencedora receberá com os eventos. Foi questionado se Balneário Camboriú receberá alguma verba do tipo, e os representantes do governo estadual negaram, dizendo que ‘não é viável’ e que deveria ter sido feito um consórcio anterior, e isso não aconteceu. Nesse momento, algumas pessoas gritaram ‘Fabrício, pega nosso dinheiro de volta’ e o prefeito riu e chegou a fazer um sinal pedindo para o público esperar.

O Página 3 cobriu o evento e conversou com pessoas envolvidas no assunto, desde representantes do governo estadual e municipal, entidades, vereadores e trade turístico. Confira.

Governo do Estado

FLÁVIA DIDOMENICO, presidente da Santur – “A expectativa com a audiência é conseguir a melhor solução para a situação do Centro de Eventos de Balneário Camboriú. Não é obrigatório fazê-la, mas a realizamos exatamente para mostrar transparência nesse processo. Não é só licitar a empresa que terá a concessão, falta também a parte física (um elevador interno, paredes divisórias para salas de convenções e ar-condicionado – a empresa responsável terá que mobiliar). Há todo um rito legal, mas esperamos que, se não atrasarem os recursos, tudo esteja pronto e o Centro de Eventos seja entregue entre dezembro e janeiro. Existem pessoas que acham que o poder público deveria administrar o equipamento, mas estudos mostram a ineficiência disso. Concessão é a melhor forma para esse caso, e é a primeira do tipo em Santa Catarina. Já soubemos que há empresas interessadas, mas não houve nenhuma negociação ainda. Agora temos que unificar nosso esforços, precisamos do apoio de toda a região, para que consigamos oferecer o melhor produto ao público que deseja realizar eventos futuros em Balneário Camboriú. Todos esperam há muito tempo, e o governador Moisés pioriza essa obra. Já tivemos muitas solicitações de eventos futuros, e inclusive nomeamos o Carlos Eduardo de Sá, que irá atuar nessa área de captação de eventos, que podem acontecer a partir de julho/2020. Até o momento já temos 12 pré-reservas de eventos, seis formaturas, cinco feiras e um congresso”.


GUSTAVO SALVADOR PEREIRA, presidente da SCPar, que está conduzindo o PPI-SC – “A SCPar é a responsável pela agenda de desestatização do Governo de Santa Catarina, é uma ferramenta para privatizar, como é o caso do Centro de Eventos de Balneário Camboriú. Hoje a concessão é a melhor forma de administração para o futuro desse equipamento turístico tão importante. Sabemos que a expectativa de todos é grande, pois tende a auxiliar no desenvolvimento econômico não só de Balneário, mas de toda a região. Fizemos estudos, entendemos os números, e conseguimos ver que a concessão é a forma mais eficiente de gestão. Pesquisamos em lugares que tiveram sucesso com isso, como Salvador e Rio de Janeiro. Para quem tiver dúvidas, está aberto por 30 dias o termo de referência. Podem participar empresas até internacionais, e esperamos atrair grandes empresários, que tenham eficiência para administrar da melhor forma esse empreendimento. O valor do contrato é de R$ 144 milhões, que é algo atraente, além da região em si também incentivar os interessados em participarem da licitação”.


ANA PAULA SILVA (Paulinha), deputada estadual (PDT) - “Acredito que isso tudo irá ser concluído até o fim do ano, e acredito que através da audiência pública, que não é obrigatória e mesmo assim o Governo do Estado optou por realizar, torna o processo muito mais democrático e mais fácil de dirimir dúvidas e recursos. Vejo com bons olhos a concessão, que é a primeira do tipo em Santa Catarina, a Santur está de parabéns. É uma pauta que acompanhei desde o começo, por isso quis estar presente também na audiência. O prefeito Fabrício faz uma gestão articulada e também merece ser enaltecido, além do trade e dos vereadores, que sempre apoiam e acompanham esse equipamento, que em breve estará aberto e recebendo grandes eventos”.


Prefeito e vereadores

FABRÍCIO DE OLIVEIRA,prefeito de Balneário Camboriú – “O Centro de Eventos tem uma importância imensa não só para Balneário Camboriú como também para todo o Estado de Santa Catarina e até mesmo para a região sul do país, já que estamos entre os dois estados. Somos uma das regiões mais procuradas quando se trata de turismo, e agora futuramente falando também de negócios. Balneário Camboriú espera há décadas por esse momento, que tende a fomentar a economia e atrair esse nicho de turismo. É a certeza da evolução, e sabemos que a participação da comunidade, como aconteceu na audiência pública, é essencial para o sucesso e consolidação da abertura, que é algo tão esperado e tão merecido”.


PATRICK MACHADO, vereador – “É muito importante que o Centro de Eventos abra o quanto antes, porque vai movimentar a cidade também no inverno, atraindo um público seleto através dos eventos de negócios, sendo importante para toda a região. É o ‘respiro’ que a rede hoteleira aguarda há tanto tempo. Porém, temos algumas coisas para ver, como a situação do estacionamento. Há eventos que podem receber até 16 mil pessoas, e há cerca de 800 vagas de estacionamento somente. A Santur defende que o governo é uma empresa pequena e por isso estão apostando na concessão, que tende a atrair empresas grandes e competentes. Não é qualquer um que pode participar. Acredito que o ideal seria fazer um link com o município, ouvir o trade. Mas sem dúvidas o Centro de Eventos precisa abrir o quanto antes, não podemos mais perder tempo”.


ANDRÉ MEIRINHO, vereadorr – “O horário da audiência foi inadequado, ela deveria ser após às 18h30, conforme previsto em lei municipal, pois assim haveria a chance de mais pessoas participarem. Porém, esperamos que tudo o que foi discutido seja colocado em prática e que se execute o quanto antes. Não podemos mais esperar, a abertura do Centro de Eventos deve acontecer logo. O Governo do Estado também precisa escutar o trade turístico, que espera por esse equipamento há anos. E se o governo estadual vai receber a verba da empresa que vai administrar o Centro de Eventos, Balneário também deveria receber uma parte, pois o histórico de nossa cidade com esse empreendimento é antigo, desde a doação dos terrenos. É adequado Balneário Camboriú também ter frutos”.


ARLINDO CRUZ, vereador – “É válida a audiência, o Governo do Estado veio, cumpriu o seu papel. Agora cabe a nós dizermos para o governador que se o Estado vai receber 5% do valor bruto, Balneário deve receber parte disso, 1 ou 2% porque nós também investimos nessa obra. É muito justo inclusive investirmos esse valor que poderemos receber no Ruth Cardoso. Vou levar isso para a Câmara. Precisamos licitar e abrir o Centro de Eventos o quanto antes para não perdermos os pré-agendamentos”.


LUCAS GOTARDO, vereador – “A audiência foi bem interessante, foi um ato de transparência para divulgar o que está sendo produzido. A comunidade tem anseios e espera que tudo seja concluído o quanto antes. Balneário Camboriú precisa o quanto antes do Centro de Eventos. Precisamos ajustar alguns pontos, mas também precisamos facilitar para que haja interessados na concessão. Precisa haver estudos, e sem dúvidas Balneário Camboriú também precisa ter ganhos”.


Turismo, entidades e trade

VALDIR WALENDOVSKY, secretário de Turismo de Balneário Camboriú – “Estamos todos ansiosos para esse desfecho final, muitos eventos querem vir para a nossa cidade. A audiência é um procedimento legal, devem ser feitas todas essas etapas. Temos somente duas opções: administração pública ou privada, e foi escolhida a segunda. Porém, temos que esperar para ver se surgirão candidatos interessados. A audiência em si foi muito superficial, temos que discutir mais amplamente, o que acontecerá nas próximas semanas. Vejo que há chances de tudo ficar pronto em dezembro. Pode se estender se houver impugnação de empresas, e há uma possibilidade grande disso acontecer. É realmente difícil que não aconteça, em um processo importante como esse. Mas nós queremos abrir o quanto antes, e é impossível que não aconteça até julho/2020, tanto que já estamos pré-agendando eventos”.


ANA MARIA DOS SANTOS, presidente do Balneário Camboriú Convention & Visitors Bureau – “Foi um acontecimento muito importante essa audiência, algo que esperávamos bastante. O documento saiu tarde e não consegui lê-lo. Mas já conversei com o prefeito Fabrício e vamos fazer um grupo e apresentar propostas dentro desses 30 dias que temos. Vejo que o Centro de Eventos é localizado em Balneário Camboriú, então Balneário deve sim se organizar para também receber verba. Devemos ser beneficiados. Quando o Centro de Eventos abrir toda a região viverá um novo momento. É uma luta de anos, um sonho, e precisamos que ele se torne realidade o quanto antes”.


MARGOT RESENBROCK, vice-presidente do BC Convention e proprietária dos hoteis Rosenbrock e Bella Camboriú – “Eu estou feliz que tenha acontecido essa audiência, pois esperamos muito por esse documento, pelo edital. Com isso começamos a caminhar verdadeiramente. Agora vamos analisar o documento, esperamos que seja condizente com o porte desse nosso equipamento. A empresa vencedora precisa ser grande e que possua o know how necessário para administrar da melhor forma o Centro de Eventos. Queremos trazer eventos bons para a cidade, queremos que aconteça. Nesse momento precisamos nos unir e torcer para que tudo dê certo. O equipamento é do Governo do Estado, Balneário Camboriú participou porque é do nosso interesse, vai trazer renda para a nossa cidade, mas se juridicamente funcionar, é claro que também podemos receber parte da verba que o governo estadual está pedindo. Mas eu realmente tenho confiança que a nossa região terá um impacto extremamente positivo com a inauguração do Centro de Eventos, que esperamos que aconteça o quanto antes”.


CIÇA MULLER, presidente de Turismo da Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (FACISC) – “Avaliando essa audiência pública vejo que não teve um tempo hábil para a sociedade se preparar, a gente não teve acesso à documentação com antecedência, mas de pronto já percebi algumas questões que nos prejudicam. Uma delas, por exemplo, é a concessionária ter a obrigatoriedade de conceder 10 dias no ano para o Governo do Estado realizar seus eventos, porém não tem nenhuma garantia de data para a cidade realizar os seus. Diante dessa situação se faz necessária, até é um pedido que o próprio prefeito fez junto ao secretário de Turismo, de fortalecer a comissão que já vinha debatendo o Centro de Eventos, para que a gente se reúna e façamos as requisições e pleitos com máxima urgência. Fora isso, a promessa de que vamos ter eventos em julho de 2020 fica um pouco questionável. Como eles podem garantir? Tem todo um processo licitatório para acontecer e nós conhecemos a burocracia desse sistema. Não sentimos uma firmeza e uma segurança nas informações concedidas. Vamos nos reunir e trabalhar para fazer o necessário e conseguir algumas garantias para a nossa cidade”.


JANE BALBINET, presidente da ABEOC-SC – “A ABEOC está acompanhando de perto, colaborando ao máximo em todo o processo, inclusive fomos citados durante a audiência como parceiros. Vejo que o processo está andando, a passos lentos, mas está andando, e é isso que é o importante. Todos estão empenhados, e é um momento de discussão e de aparar as arestas. Precisamos que a empresa vencedora da licitação seja de excelência, porque é um momento muito esperado e que é fundamental para toda a região”.


OSNY MACIEL JÚNIOR, presidente do Conselho Municipal de Turismo de Balneário Camboriú (COMTUR), vice-presidente da Associação Brasileira de Empresas de Eventos (ABEOC-SC) e gerente do Hotel Sibara– “Infelizmente não conseguimos analisar o termo de referência, que era para ser divulgado 48h antes da audiência, e entrou somente na tarde de ontem (23). O Comtur não conseguiu se reunir, mas já percebemos que por enquanto, se não houver alterações, Balneário Camboriú sairá perdendo. Vamos reunir o trade e entidades para debates e sugerir mudanças ainda nessa semana, o mais rápido possível. Teremos apoio jurídico, para fazer sugestões e entender melhor esse documento. Mas com certeza já posso dizer que a concessão é a melhor opção, para não ser um elefante branco na mão do governo”



Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade