Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Oficina ‘Mães de Anjos’ para ajudar a suportar a dor da perda de um filho

Terça, 30/7/2019 15:34.

Publicidade

O segundo encontro da oficina ‘Mães de Anjos’, criada pela secretaria da Inclusão Social, vai acontecer nesta sexta-feira (2), na Casa da Mulher e do Voluntariado.

A nova oficina surgiu do pedido de uma mãe que perdeu uma filha jovem de câncer e não está mais conseguindo lidar com esta perda.

A secretária da Inclusão Social, Christina Barichello disse que esta mãe pediu para fazer um grupo terapêutico para situações como esta.

“O objetivo do novo grupo é fortalecer mães que perderam um filho, se ajudar mutuamente, para que consigam de alguma forma superar isso, porque a dor é eterna, mas ali elas vão entender que outras passaram por isso e também lembrar que tem outros filhos, muitas ficam fixas só naquele filho que perdeu, e sabemos que a morte de um não vai ser substituída pelo outro, mas esse outro também está precisando da mãe”, disse Christina.

O grupo se reunirá sempre às sextas-feiras, das 13h às 15h. Segundo Christina, o primeiro encontro na sexta-feira passada, mostrou a importância da nova oficina.

“É uma troca de experiência, com suporte psicológico, percebemos que elas saem mais aliviadas de lá. Quem quiser participar, é só chegar, todas serão muito bem recebidas”, disse.

Fibromialgia

Christina disse que outro grupo que iniciou há poucos dias promove encontros com pessoas que sofrem de fibromialgia. Elas recebem acompanhamento psicológico e palestras com profissionais sobre o assunto.

“Várias pessoas que sofrem dores horríveis, muitas são reais e muitas tem origem psicológica. A fibromialgia é uma dor crônica em várias partes do corpo, muitas vezes em tendões, articulações e vai migrando para vários pontos do corpo. Geralmente acomete mulheres entre 35 e 50 anos e esse grupo reúne profissionais, temos um facilitador, pessoas que possam fazer com que a vida fique menos incapacitante. a causa é desconhecida, mas o que se vê é que os níveis de serotonina são muito baixos e desequilíbrios hormonais também que podem piorar quando a pessoa tem tensão, estresse. Então o trabalho deste grupo é também pensando em diminuir o estresse dessa pessoa para melhorar suas dores”, detalhou a secretária.

As reuniões acontecem toda sexta-feira, das 9h às 10h30.

A Casa da Mulher e do Voluntariado fica na Rua 2850, 303, entre a Brasil e a Terceira Avenida.

Informações: (47) 33442559


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3

Oficina ‘Mães de Anjos’ para ajudar a suportar a dor da perda de um filho

Publicidade

Terça, 30/7/2019 15:34.

O segundo encontro da oficina ‘Mães de Anjos’, criada pela secretaria da Inclusão Social, vai acontecer nesta sexta-feira (2), na Casa da Mulher e do Voluntariado.

A nova oficina surgiu do pedido de uma mãe que perdeu uma filha jovem de câncer e não está mais conseguindo lidar com esta perda.

A secretária da Inclusão Social, Christina Barichello disse que esta mãe pediu para fazer um grupo terapêutico para situações como esta.

“O objetivo do novo grupo é fortalecer mães que perderam um filho, se ajudar mutuamente, para que consigam de alguma forma superar isso, porque a dor é eterna, mas ali elas vão entender que outras passaram por isso e também lembrar que tem outros filhos, muitas ficam fixas só naquele filho que perdeu, e sabemos que a morte de um não vai ser substituída pelo outro, mas esse outro também está precisando da mãe”, disse Christina.

O grupo se reunirá sempre às sextas-feiras, das 13h às 15h. Segundo Christina, o primeiro encontro na sexta-feira passada, mostrou a importância da nova oficina.

“É uma troca de experiência, com suporte psicológico, percebemos que elas saem mais aliviadas de lá. Quem quiser participar, é só chegar, todas serão muito bem recebidas”, disse.

Fibromialgia

Christina disse que outro grupo que iniciou há poucos dias promove encontros com pessoas que sofrem de fibromialgia. Elas recebem acompanhamento psicológico e palestras com profissionais sobre o assunto.

“Várias pessoas que sofrem dores horríveis, muitas são reais e muitas tem origem psicológica. A fibromialgia é uma dor crônica em várias partes do corpo, muitas vezes em tendões, articulações e vai migrando para vários pontos do corpo. Geralmente acomete mulheres entre 35 e 50 anos e esse grupo reúne profissionais, temos um facilitador, pessoas que possam fazer com que a vida fique menos incapacitante. a causa é desconhecida, mas o que se vê é que os níveis de serotonina são muito baixos e desequilíbrios hormonais também que podem piorar quando a pessoa tem tensão, estresse. Então o trabalho deste grupo é também pensando em diminuir o estresse dessa pessoa para melhorar suas dores”, detalhou a secretária.

As reuniões acontecem toda sexta-feira, das 9h às 10h30.

A Casa da Mulher e do Voluntariado fica na Rua 2850, 303, entre a Brasil e a Terceira Avenida.

Informações: (47) 33442559


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade