Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Patinetes e bikes elétricas: agentes de trânsito em curso sobre o novo decreto em Balneário Camboriú
Divulgação

Terça, 25/6/2019 16:30.

Os agentes de trânsito de Balneário Camboriú estão participando de um curso teórico sobre patinetes, bicicletas elétricas, e outros veículos de mobilidade individual. O decreto que regulamenta o uso desses meios alternativos passa a valer em 20 de agosto. Quando se aproximar dessa data, os agentes terão a segunda fase do curso, que será mais operacional e prática.

O objetivo principal do decreto municipal, segundo o secretário de Segurança David Queiroz, é dar mais segurança e evitar possíveis acidentes, já que houve um aumento considerável no uso desses equipamentos na cidade.

"Essa primeira fase do curso está sendo mais teórica e específica. Estamos analisando as sanções para quem não cumprir o decreto, por exemplo, além de diferenciar patinete e ciclomotor, que parece algo simples, mas estava gerando dúvidas", diz.

Queiroz destaca que o governo municipal é a favor da utilização desses meios alternativos de mobilidade, principalmente por conta do excesso de carros circulando pela cidade.

"Queremos que as pessoas os utilizem cada vez mais, tanto que a expectativa é que até 2020 tenhamos em Balneário quase 90km de ciclofaixas. A regulamentação é para evitar possíveis acidentes graves. Muitas pessoas que circulam não sabem dos riscos e nem que precisariam de carteira de habilitação e capacete para utilizar algum desses meios, por exemplo. Eles não violariam a lei, o fazem hoje por falta de informação", explica.

O secretário lembra que o decreto municipal não está 'inventando' nada e sim compilando a lei federal. A única 'inovação' é a vedação da circulação desses veículos pela ciclofaixa da Avenida Atlântica na parte da manhã em finais de semana e feriados.

"Pelo nosso entendimento é a hora que famílias e idosos utilizam mais a ciclofaixa da Atlântica para atividades recreativas. Esse ponto é totalmente lícito. Um exemplo é São Paulo, que proibiu a circulação de motocicletas pela Marginal Tietê, mostrando que os municípios possuem competência para legislarem sobre suas vias. O objetivo é tornar a nossa cidade mais sustentável e compartilhada possível", finaliza.

Confira abaixo as principais normas do decreto:

Patinetes

Poderão circular em ciclofaixas ou ciclovias, em velocidade inferior a 20 km/h; proibido trafegar por calçadas; na ciclofaixa da Avenida Atlântica fica proibido o uso entre 8h e 12h aos finais de semana e feriados.

Bicicletas elétricas

Pode circular em ciclovias ou ciclofaixas; precisa ter espelhos, indicador de velocidade, campainha e sinalização noturna dianteira, traseira e lateral. É obrigatório o uso de capacete.

Ciclomotores

São veículos de duas rodas com mais de 1,2 metros. É proibida a circulação por pessoas sem habilitação A ou Autorização para Conduzir Ciclomotores (ACC) - para obter a ACC, a pessoa precisa ser maior de 18 anos, saber ler e escrever e ter CPF. O pedido deve ser feito no Detran. Proibido circular em calçadas, ciclovias e ciclofaixas. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Patinetes e bikes elétricas: agentes de trânsito em curso sobre o novo decreto em Balneário Camboriú

Divulgação

Publicidade

Terça, 25/6/2019 16:30.

Os agentes de trânsito de Balneário Camboriú estão participando de um curso teórico sobre patinetes, bicicletas elétricas, e outros veículos de mobilidade individual. O decreto que regulamenta o uso desses meios alternativos passa a valer em 20 de agosto. Quando se aproximar dessa data, os agentes terão a segunda fase do curso, que será mais operacional e prática.

O objetivo principal do decreto municipal, segundo o secretário de Segurança David Queiroz, é dar mais segurança e evitar possíveis acidentes, já que houve um aumento considerável no uso desses equipamentos na cidade.

"Essa primeira fase do curso está sendo mais teórica e específica. Estamos analisando as sanções para quem não cumprir o decreto, por exemplo, além de diferenciar patinete e ciclomotor, que parece algo simples, mas estava gerando dúvidas", diz.

Queiroz destaca que o governo municipal é a favor da utilização desses meios alternativos de mobilidade, principalmente por conta do excesso de carros circulando pela cidade.

"Queremos que as pessoas os utilizem cada vez mais, tanto que a expectativa é que até 2020 tenhamos em Balneário quase 90km de ciclofaixas. A regulamentação é para evitar possíveis acidentes graves. Muitas pessoas que circulam não sabem dos riscos e nem que precisariam de carteira de habilitação e capacete para utilizar algum desses meios, por exemplo. Eles não violariam a lei, o fazem hoje por falta de informação", explica.

O secretário lembra que o decreto municipal não está 'inventando' nada e sim compilando a lei federal. A única 'inovação' é a vedação da circulação desses veículos pela ciclofaixa da Avenida Atlântica na parte da manhã em finais de semana e feriados.

"Pelo nosso entendimento é a hora que famílias e idosos utilizam mais a ciclofaixa da Atlântica para atividades recreativas. Esse ponto é totalmente lícito. Um exemplo é São Paulo, que proibiu a circulação de motocicletas pela Marginal Tietê, mostrando que os municípios possuem competência para legislarem sobre suas vias. O objetivo é tornar a nossa cidade mais sustentável e compartilhada possível", finaliza.

Confira abaixo as principais normas do decreto:

Patinetes

Poderão circular em ciclofaixas ou ciclovias, em velocidade inferior a 20 km/h; proibido trafegar por calçadas; na ciclofaixa da Avenida Atlântica fica proibido o uso entre 8h e 12h aos finais de semana e feriados.

Bicicletas elétricas

Pode circular em ciclovias ou ciclofaixas; precisa ter espelhos, indicador de velocidade, campainha e sinalização noturna dianteira, traseira e lateral. É obrigatório o uso de capacete.

Ciclomotores

São veículos de duas rodas com mais de 1,2 metros. É proibida a circulação por pessoas sem habilitação A ou Autorização para Conduzir Ciclomotores (ACC) - para obter a ACC, a pessoa precisa ser maior de 18 anos, saber ler e escrever e ter CPF. O pedido deve ser feito no Detran. Proibido circular em calçadas, ciclovias e ciclofaixas. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade