Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Retirada de árvores no Morro da Sultepa é cumprimento de decisão judicial

Fiscalização do meio ambiente está acompanhando, mas a responsabilidade é do IMA

Quinta, 23/5/2019 11:12.
Divulgação
Retirada dos eucaliptos

Publicidade

Há uma semana está acontecendo uma retirada de árvores no Morro da Sultepa, no acesso à praia do Estaleiro, pelo Morro do Boi, o que vem gerando preocupação de moradores. A reportagem procurou o departamento de fiscalização da secretaria do Meio Ambiente (Semam), que está acompanhando de perto a derrubada de árvores.

O diretor de fiscalização da Semam, Edésio Pereira disse que a retirada é fruto de uma decisão da Justiça Federal, que intimou a Construtora Sultepa a promover a adequação do Plano de Recuperação de Área Degradada (PRAD), apresentada por ela ao Instituto Meio Ambiente (IMA) antiga Fatma.

“Essa devastação aconteceu há mais de 30 anos, quando funcionava naquele local a pedreira da Sultepa para retirada de materiais para construção e posteriormente para duplicação da BR-101”, disse Edésio.

Segundo informou, o departamento de fiscalização está atento aquele espaço desde 2017, porque o local virou um depósito de tudo que é tipo de lixo nos últimos anos.

“Desde a semana passada já estivemos no local várias vezes, mas a competência de fiscalização, se o PRAD está sendo cumprido de modo correto como determina a decisão judicial, é do IMA”, destacou Edésio.

Ele informou ainda que os eucaliptos derrubados são exóticas e não nativas, portanto podem ser retirados. A construtora é responsável pelo destino destas árvores.

Parque de Turismo e Cultura

A secretaria do Meio Ambiente recebeu esta semana uma solicitação da Associação dos Moradores do Estaleiro pedindo a criação de um parque naquele espaço.

O secretário do Meio Ambiente Ike Gevaerd disse que levará o pedido ao prefeito Fabrício Oliveira.

“Se a resposta for positiva, iniciaremos os estudos e levantamentos, por tratar-se de uma área privada, para ver a possibilidade de implantar ali um espaço de recreação, turismo e cultura, em parceria com a iniciativa privada”, destacou o secretário, lembrando que nos anos 90 foi construído naquele espaço um pequeno horto para produção de mudas nativas, gerenciado pelo professor Edgar Eipper (in memoriam).

Balneário 2030

No projeto ‘Balneário Camboriú 2030’, um dos ícones do governo municipal, na época encabeçado pelo secretário Edson Kratz, o primeiro secretário de Planejamento e Obras deste governo, a antiga pedreira ou o morro da Sultepa, como ficou conhecido aquele local há três décadas, receberia o mais imponente dos parques idealizados naquele projeto, com passarelas, jardim botânico, um palco para shows e até uma tirolesa e uma universidade do meio ambiente, nos moldes da Unilivre, dentro de um parque em Curitiba.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Divulgação
Retirada dos eucaliptos
Retirada dos eucaliptos

Retirada de árvores no Morro da Sultepa é cumprimento de decisão judicial

Fiscalização do meio ambiente está acompanhando, mas a responsabilidade é do IMA

Publicidade

Quinta, 23/5/2019 11:12.

Há uma semana está acontecendo uma retirada de árvores no Morro da Sultepa, no acesso à praia do Estaleiro, pelo Morro do Boi, o que vem gerando preocupação de moradores. A reportagem procurou o departamento de fiscalização da secretaria do Meio Ambiente (Semam), que está acompanhando de perto a derrubada de árvores.

O diretor de fiscalização da Semam, Edésio Pereira disse que a retirada é fruto de uma decisão da Justiça Federal, que intimou a Construtora Sultepa a promover a adequação do Plano de Recuperação de Área Degradada (PRAD), apresentada por ela ao Instituto Meio Ambiente (IMA) antiga Fatma.

“Essa devastação aconteceu há mais de 30 anos, quando funcionava naquele local a pedreira da Sultepa para retirada de materiais para construção e posteriormente para duplicação da BR-101”, disse Edésio.

Segundo informou, o departamento de fiscalização está atento aquele espaço desde 2017, porque o local virou um depósito de tudo que é tipo de lixo nos últimos anos.

“Desde a semana passada já estivemos no local várias vezes, mas a competência de fiscalização, se o PRAD está sendo cumprido de modo correto como determina a decisão judicial, é do IMA”, destacou Edésio.

Ele informou ainda que os eucaliptos derrubados são exóticas e não nativas, portanto podem ser retirados. A construtora é responsável pelo destino destas árvores.

Parque de Turismo e Cultura

A secretaria do Meio Ambiente recebeu esta semana uma solicitação da Associação dos Moradores do Estaleiro pedindo a criação de um parque naquele espaço.

O secretário do Meio Ambiente Ike Gevaerd disse que levará o pedido ao prefeito Fabrício Oliveira.

“Se a resposta for positiva, iniciaremos os estudos e levantamentos, por tratar-se de uma área privada, para ver a possibilidade de implantar ali um espaço de recreação, turismo e cultura, em parceria com a iniciativa privada”, destacou o secretário, lembrando que nos anos 90 foi construído naquele espaço um pequeno horto para produção de mudas nativas, gerenciado pelo professor Edgar Eipper (in memoriam).

Balneário 2030

No projeto ‘Balneário Camboriú 2030’, um dos ícones do governo municipal, na época encabeçado pelo secretário Edson Kratz, o primeiro secretário de Planejamento e Obras deste governo, a antiga pedreira ou o morro da Sultepa, como ficou conhecido aquele local há três décadas, receberia o mais imponente dos parques idealizados naquele projeto, com passarelas, jardim botânico, um palco para shows e até uma tirolesa e uma universidade do meio ambiente, nos moldes da Unilivre, dentro de um parque em Curitiba.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade