Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Emasa testará nanobolhas no Marambaia por sugestão do IMA

Instituto ambiental considera alternativa mais adequada que UCT ou biorremediadores

Segunda, 6/5/2019 8:46.
Seven Rivers.

Publicidade

O Página 3 apurou que a Emasa pedirá autorização ao Instituto do Meio Ambiente (IMA) para efetuar o tratamento do Canal do Rio Marambaia com nanobolhas, solução que o próprio IMA considera mais adequada do que a unidade compacta de tratamento ou biorremediadores pleiteados por um pequeno porém estridente grupo de moradores.

O sistema consiste em despoluir aumentando a concentração de oxigênio na água e usando propriedades específicas das bolhas.

Como foi o IMA que considerou a solução mais adequada, e devido à gravidade do problema, é provável que a licença ambiental seja expedida rapidamente.

Os efeitos do tratamento com nanobolhas são perceptíveis após cerca de seis semanas e a Emasa fará uma etapa de testes antes de adquirir o equipamento para todo o canal que custa em torno de R$ 2 milhões.

Esta é uma das frentes de batalha contra a poluição do Marambaia. A outra é a identificação de imóveis poluidores com aplicação de pesadas multas (R$ 3.040,00 por unidade habitacional) em vigor há 15 dias; campanhas de educação ambiental e construção do molhe da Barra Norte.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Seven Rivers.

Emasa testará nanobolhas no Marambaia por sugestão do IMA

Instituto ambiental considera alternativa mais adequada que UCT ou biorremediadores

Publicidade

Segunda, 6/5/2019 8:46.

O Página 3 apurou que a Emasa pedirá autorização ao Instituto do Meio Ambiente (IMA) para efetuar o tratamento do Canal do Rio Marambaia com nanobolhas, solução que o próprio IMA considera mais adequada do que a unidade compacta de tratamento ou biorremediadores pleiteados por um pequeno porém estridente grupo de moradores.

O sistema consiste em despoluir aumentando a concentração de oxigênio na água e usando propriedades específicas das bolhas.

Como foi o IMA que considerou a solução mais adequada, e devido à gravidade do problema, é provável que a licença ambiental seja expedida rapidamente.

Os efeitos do tratamento com nanobolhas são perceptíveis após cerca de seis semanas e a Emasa fará uma etapa de testes antes de adquirir o equipamento para todo o canal que custa em torno de R$ 2 milhões.

Esta é uma das frentes de batalha contra a poluição do Marambaia. A outra é a identificação de imóveis poluidores com aplicação de pesadas multas (R$ 3.040,00 por unidade habitacional) em vigor há 15 dias; campanhas de educação ambiental e construção do molhe da Barra Norte.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade