Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Criminalidade usada como argumento antes de audiência da roda gigante

Audiência pública é nessa segunda-feira às 18h30 na Câmara de Vereadores

Segunda, 11/3/2019 6:08.
Divulgação.

Publicidade

O Página 3 recebeu no final de semana um texto que descreve o Pontal Norte como um local completamente inseguro e que isso acabará se for implantada uma roda gigante no local, a “Big Wheel” porque a empresa providenciará a segurança naquela área.

A tentativa de influenciar a opinião pública dessa forma, foi feita às vésperas da audiência pública para análise de impacto de vizinhança da roda gigante que acontecerá nesta segunda-feira (11), às 18h30, na Câmara de Vereadores.

O impacto na natureza parece pequeno, cerca de 700 m2 de vegetação serão ocupados, área insignificante diante da abundância vegetal nas morrarias que cercam Balneário Camboriú.

Provavelmente surgirá discussão pelo fato do local não ter estacionamento para automóveis, apenas para bicicletas.

Há mais de uma década Balneário Camboriú, uma cidade turística, não inaugura um novo equipamento turístico.

Segundo os investidores -o negócio não tem dinheiro público- serão aplicados R$ 20 milhões e gerados 40 empregos.

A obra, assim como aconteceu com o teleférico, sofre oposição de grupos políticos adversários do atual governo municipal pois o insucesso da administração aumenta as chances dos opositores conquistarem a prefeitura.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação.

Criminalidade usada como argumento antes de audiência da roda gigante

Audiência pública é nessa segunda-feira às 18h30 na Câmara de Vereadores

Publicidade

Segunda, 11/3/2019 6:08.

O Página 3 recebeu no final de semana um texto que descreve o Pontal Norte como um local completamente inseguro e que isso acabará se for implantada uma roda gigante no local, a “Big Wheel” porque a empresa providenciará a segurança naquela área.

A tentativa de influenciar a opinião pública dessa forma, foi feita às vésperas da audiência pública para análise de impacto de vizinhança da roda gigante que acontecerá nesta segunda-feira (11), às 18h30, na Câmara de Vereadores.

O impacto na natureza parece pequeno, cerca de 700 m2 de vegetação serão ocupados, área insignificante diante da abundância vegetal nas morrarias que cercam Balneário Camboriú.

Provavelmente surgirá discussão pelo fato do local não ter estacionamento para automóveis, apenas para bicicletas.

Há mais de uma década Balneário Camboriú, uma cidade turística, não inaugura um novo equipamento turístico.

Segundo os investidores -o negócio não tem dinheiro público- serão aplicados R$ 20 milhões e gerados 40 empregos.

A obra, assim como aconteceu com o teleférico, sofre oposição de grupos políticos adversários do atual governo municipal pois o insucesso da administração aumenta as chances dos opositores conquistarem a prefeitura.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade