Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Achutti propõe multa para quem não reciclar lixo em Balneário Camboriú
Facebook pessoal.
Vereador Achutti.

Sábado, 30/3/2019 8:39.

O vereador Marcelo Achutti apresentou projeto prevendo que os condomínios e os estabelecimentos comerciais sejam obrigados a separar o lixo comum do reciclável.

No projeto, Achutti prevê inicialmente uma advertência a quem não recicla, com o fiscal entregando ao responsável pelo imóvel um folheto com as orientações sobre como reciclar.

Na reincidência o local seria multado em meia Unidade Fiscal Municipal, o equivalente a R$ 152,22. Achutti disse que optou por um valor relativamente baixo porque a finalidade é educativa e não pecuniária

O projeto e sua justificativa seguem reproduzidos abaixo:

Projeto de Lei Ordinária

Estabelece a obrigação de separar resíduos para reciclagem e dá outras providências

Art. 1º. Os resíduos gerados em imóveis multifamiliares e imóveis comerciais deverão ser separados em recicláveis e não recicláveis para a coleta por parte da concessionária de limpeza pública.

Art. 2º. A não separação dos resíduos expõe o infrator à multa de 0,5 UFM (meia Unidade Fiscal do Município), dobrando a cada reincidência.

Art. 3º. Além da multa, os imóveis comerciais poderão ter seu alvará de localização e funcionamento suspenso pela municipalidade.

Art. 4º. Na primeira infração não será lavrada multa e sim entregue folheto da municipalidade orientando sobre a forma como deve ser feita a separação dos resíduos.

Art.5o. Essa lei entra em vigor 90 dias após sua aprovação.


Justificativa

O Plano Nacional de Resíduos Sólidos indica que 30% dos resíduos produzidos no Brasil são potencialmente recicláveis, mas menos de 3% são realmente reaproveitados.

Em Balneário Camboriú são produzidos cerca de 2 milhões de quilos de potenciais recicláveis por mês, mas apenas 150 mil quilos vão para a reciclagem.

Os prejuízos à sociedade pela falta de reciclagem são generalizados e um dos mais evidentes é que a vida útil do aterro sanitário encurtará um terço, gerando prejuízos futuros incalculáveis devido à falta de previdência da nossa geração.

A prefeitura de Balneário Camboriú exigiu da concessionária que reforçasse sua estrutura de reciclagem e as duas equipes de coleta do ano passado serão oito ao final de 2019; a frequência da coleta está sendo duplicada e neste ano uma equipe com até 9 monitores irá passar prédio por prédio, casa por casa, reforçando a necessidade de reciclarmos os resíduos.

Uma vigorosa campanha para ensinar a reciclar, envolvendo todas as escolas municipais e outros setores da sociedade está em andamento.

Temos cobertura para recolhimento de recicláveis em toda a cidade, falta a população ser orientada e iniciar efetivamente a separação dos resíduos.

Por isso estamos propondo essa lei, com objetivo educativo para os grandes geradores, onde a aplicação da multa ocorrerá apenas naqueles casos em que esses geradores de resíduos optarem pelo comportamento nocivo à sociedade, se negando a separar o material para reciclagem.

Marcelo Achutti (PP)
Vereador

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Economia

A queda no rendimento habitual gera um efeito negativo, em cascata, na economia.


Economia


Geral

Yoga, mantras, danças, vivências, terapias, massagem, oficinas, feirinha, almoço natural...


Economia

Secretário de Política Econômica, Adolfo Sachsida


Publicidade


Esportes


Publicidade

Balada acabando? Festa boa? Vá de carona consciente, vá de Garupa!


Geral

 Evento objetiva fomentar o turismo através da observação de aves


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Achutti propõe multa para quem não reciclar lixo em Balneário Camboriú

Facebook pessoal.
Vereador Achutti.
Vereador Achutti.

Publicidade

Sábado, 30/3/2019 8:39.

O vereador Marcelo Achutti apresentou projeto prevendo que os condomínios e os estabelecimentos comerciais sejam obrigados a separar o lixo comum do reciclável.

No projeto, Achutti prevê inicialmente uma advertência a quem não recicla, com o fiscal entregando ao responsável pelo imóvel um folheto com as orientações sobre como reciclar.

Na reincidência o local seria multado em meia Unidade Fiscal Municipal, o equivalente a R$ 152,22. Achutti disse que optou por um valor relativamente baixo porque a finalidade é educativa e não pecuniária

O projeto e sua justificativa seguem reproduzidos abaixo:

Projeto de Lei Ordinária

Estabelece a obrigação de separar resíduos para reciclagem e dá outras providências

Art. 1º. Os resíduos gerados em imóveis multifamiliares e imóveis comerciais deverão ser separados em recicláveis e não recicláveis para a coleta por parte da concessionária de limpeza pública.

Art. 2º. A não separação dos resíduos expõe o infrator à multa de 0,5 UFM (meia Unidade Fiscal do Município), dobrando a cada reincidência.

Art. 3º. Além da multa, os imóveis comerciais poderão ter seu alvará de localização e funcionamento suspenso pela municipalidade.

Art. 4º. Na primeira infração não será lavrada multa e sim entregue folheto da municipalidade orientando sobre a forma como deve ser feita a separação dos resíduos.

Art.5o. Essa lei entra em vigor 90 dias após sua aprovação.


Justificativa

O Plano Nacional de Resíduos Sólidos indica que 30% dos resíduos produzidos no Brasil são potencialmente recicláveis, mas menos de 3% são realmente reaproveitados.

Em Balneário Camboriú são produzidos cerca de 2 milhões de quilos de potenciais recicláveis por mês, mas apenas 150 mil quilos vão para a reciclagem.

Os prejuízos à sociedade pela falta de reciclagem são generalizados e um dos mais evidentes é que a vida útil do aterro sanitário encurtará um terço, gerando prejuízos futuros incalculáveis devido à falta de previdência da nossa geração.

A prefeitura de Balneário Camboriú exigiu da concessionária que reforçasse sua estrutura de reciclagem e as duas equipes de coleta do ano passado serão oito ao final de 2019; a frequência da coleta está sendo duplicada e neste ano uma equipe com até 9 monitores irá passar prédio por prédio, casa por casa, reforçando a necessidade de reciclarmos os resíduos.

Uma vigorosa campanha para ensinar a reciclar, envolvendo todas as escolas municipais e outros setores da sociedade está em andamento.

Temos cobertura para recolhimento de recicláveis em toda a cidade, falta a população ser orientada e iniciar efetivamente a separação dos resíduos.

Por isso estamos propondo essa lei, com objetivo educativo para os grandes geradores, onde a aplicação da multa ocorrerá apenas naqueles casos em que esses geradores de resíduos optarem pelo comportamento nocivo à sociedade, se negando a separar o material para reciclagem.

Marcelo Achutti (PP)
Vereador

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade