Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Prefeito Fabrício coloca despoluição à frente do alargamento da praia central

Rejuvenescer a praia de Balneário Camboriú pode trazer enorme lucro à comunidade

Terça, 5/3/2019 6:12.
Ivan Rupp.
Fabrício, no dia em que anunciou o programa de despoluição

Publicidade

Em entrevista nesta terça-feira ao “Jornal do Almoço”, da NCS TV, o prefeito Fabrício Oliveira disse que sua prioridade é despoluição das águas e não o alargamento da praia central de Balneário Camboriú.

Ele já vinha caminhando neste sentido desde a semana passada quando anunciou em coletiva à imprensa uma série de medidas e investimentos para melhorar a rede de esgotos e combater os despejos irregulares.

Será fortemente ampliada a capacidade de enviar esgoto para a estação de tratamento no Nova Esperança com a construção de um novo emissário; a multa por esgoto deve aumentar de R$ 304,00 para R$ 3.040,00 (isso depende de aprovação dos vereadores) e quem precisa regularizar sua casa pode contratar a Emasa e pagar em 24 a 60 meses.

Essas três iniciativas devem acabar com o despejo de esgoto no Canal do Marambaia . Segundo a Emasa, cerca de 450 imóveis poluem o Canal atualmente.

Outra obras nos bairros, como melhorias no Rio das Ostras que já iniciaram, também foram anunciadas na coletiva exatamente no dia em que foram abertas as propostas para construção do molhe da Barra Norte.

Embora o molhe não elimine a poluição do Canal ele impede que o mar seja poluído o que tornará aquele ponto próximo ao Hotel Marambaia próprio para banho após mais de duas décadas de impropriedade.

REJUVENESCER DÁ LUCRO

Faz quase 30 anos que a praia central foi “repaginada”, com a construção do Calçadão da Atlântica, dos quiosques etc., portanto uma nova mudança, seja ela o alargamento ou reurbanização tende a trazer notáveis lucros à comunidade em geral.

Na semana passada o Página 3 calculou que se os 130 mil imóveis da cidade valem em média R$ 500 mil cada um e se valorizassem em 10% devido a melhorias urbanas, o ganho chega a R$ 6,5 bilhões.

A valorização imobiliária é um ganho objetivo, mensurável, mas os ganhos difusos para a economia da cidade em geral tendem a ser muito maiores.

A reforma da Avenida Atlântica, em 1990 e 1991, no governo Leonel Pavan, mostrou que a valorização acontece, a ponto da história da cidade pode ser dividida entre antes e depois daquela obra.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Ivan Rupp.
Fabrício, no dia em que anunciou o programa de despoluição
Fabrício, no dia em que anunciou o programa de despoluição

Prefeito Fabrício coloca despoluição à frente do alargamento da praia central

Rejuvenescer a praia de Balneário Camboriú pode trazer enorme lucro à comunidade

Publicidade

Terça, 5/3/2019 6:12.

Em entrevista nesta terça-feira ao “Jornal do Almoço”, da NCS TV, o prefeito Fabrício Oliveira disse que sua prioridade é despoluição das águas e não o alargamento da praia central de Balneário Camboriú.

Ele já vinha caminhando neste sentido desde a semana passada quando anunciou em coletiva à imprensa uma série de medidas e investimentos para melhorar a rede de esgotos e combater os despejos irregulares.

Será fortemente ampliada a capacidade de enviar esgoto para a estação de tratamento no Nova Esperança com a construção de um novo emissário; a multa por esgoto deve aumentar de R$ 304,00 para R$ 3.040,00 (isso depende de aprovação dos vereadores) e quem precisa regularizar sua casa pode contratar a Emasa e pagar em 24 a 60 meses.

Essas três iniciativas devem acabar com o despejo de esgoto no Canal do Marambaia . Segundo a Emasa, cerca de 450 imóveis poluem o Canal atualmente.

Outra obras nos bairros, como melhorias no Rio das Ostras que já iniciaram, também foram anunciadas na coletiva exatamente no dia em que foram abertas as propostas para construção do molhe da Barra Norte.

Embora o molhe não elimine a poluição do Canal ele impede que o mar seja poluído o que tornará aquele ponto próximo ao Hotel Marambaia próprio para banho após mais de duas décadas de impropriedade.

REJUVENESCER DÁ LUCRO

Faz quase 30 anos que a praia central foi “repaginada”, com a construção do Calçadão da Atlântica, dos quiosques etc., portanto uma nova mudança, seja ela o alargamento ou reurbanização tende a trazer notáveis lucros à comunidade em geral.

Na semana passada o Página 3 calculou que se os 130 mil imóveis da cidade valem em média R$ 500 mil cada um e se valorizassem em 10% devido a melhorias urbanas, o ganho chega a R$ 6,5 bilhões.

A valorização imobiliária é um ganho objetivo, mensurável, mas os ganhos difusos para a economia da cidade em geral tendem a ser muito maiores.

A reforma da Avenida Atlântica, em 1990 e 1991, no governo Leonel Pavan, mostrou que a valorização acontece, a ponto da história da cidade pode ser dividida entre antes e depois daquela obra.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade