Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Fiscalização vai notificar pontos de milho e churros que não estiverem em bom estado

Os pontos de milhos e churros continuam por mais uma temporada.

Segunda, 25/11/2019 20:25.
Divulgação
Quiosque na Avenida Atlântica

Publicidade

Em julho foi decidido que eles teriam que ser reformados e retiradas as partes de concreto existentes, mas isso só será feito no fim do verão. O Página 3 recebeu fotos que mostram o mau estado de conservação de um ponto que fica na altura da Rua 2.600, e a secretaria de Obras irá fiscalizar e se necessário até notificar os que não mantiverem a estrutura bem conservada e limpa.

Reformas e TAC

O advogado da Associação dos Quiosques de Milho e Churros, Juliano Cavalcanti, explica que a Superintendência da União (SPU) decidiu que os pontos de milho e churros podem permanecer na praia central desde que as estruturas passem por reformas. Porém, isso só deve acontecer no fim da temporada.

“Ainda não sabemos se será necessária licença ambiental para essa reforma, e como agora é a época mais movimentada do ano optamos por aguardar”, diz.

Havia dúvida quanto o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado junto ao Ministério Público (MPSC), que também foi prolongado até maio de 2021 – data limite para os ‘milheiros’ entregarem os seus pontos ao município.

“Todos os quiosques continuam operando, tanto pelo TAC quanto pelo município junto da SPU, eles apontaram que o problema era a estrutura de cimento e isso será resolvido após o verão. Foi um ano conturbado, mas graças ao bom senso e atuação da prefeitura e entendimento do MPSC e SPU que entenderam o lado dos milheiros deu para checar nesse consenso de poderem atuar até 2021. Haverá ainda o alargamento da faixa de areia, onde tudo terá que ser retirado”, acrescenta.

Má conservação

Sobre as estrutura mal conservadas, Cavalcanti diz que o pessoal da associação procura chamar a atenção e pedir que quem não está adequado faça as alterações e reformas necessárias.

“O próprio município também pode intervir, mas normalmente a associação tenta resolver”, afirma.

Prefeitura vai fiscalizar

O secretário de Obras, Osmar de Souza Nunes Filho, o Mazoca, explica que quando assumiu a secretaria, ainda em janeiro, conversou com os fiscais do Planejamento e pediu que eles dessem uma olhada nos pontos de milho e churros, indicando que os milheiros mantivessem os locais limpos e que os pintassem.

“Pedimos que eles cuidassem, e se isso não acontecer vamos notificá-los. A má conservação desses espaços destoa com a beleza da nossa praia. Pedimos para pintarem as canchas de bochas também. A saúde pública exige limpeza, e podemos notificá-los se eles não estiverem de acordo”, salienta.

Mazoca aproveita para contar que até 15 de dezembro serão instaladas 59 lixeiras de mil litros pela orla da Avenida Atlântica, além dos atuais contentores de 350 litros que já existem.

“Também vamos colocar lixeiras de 100 litros nos quiosques e de 75 litros nos pontos de churros e milho. Vai estar tudo padronizado”, completa.

Leitor fotografou o quiosque na altura da Rua 2600 no último dia 17


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação
Quiosque na Avenida Atlântica
Quiosque na Avenida Atlântica

Fiscalização vai notificar pontos de milho e churros que não estiverem em bom estado

Os pontos de milhos e churros continuam por mais uma temporada.

Publicidade

Segunda, 25/11/2019 20:25.

Em julho foi decidido que eles teriam que ser reformados e retiradas as partes de concreto existentes, mas isso só será feito no fim do verão. O Página 3 recebeu fotos que mostram o mau estado de conservação de um ponto que fica na altura da Rua 2.600, e a secretaria de Obras irá fiscalizar e se necessário até notificar os que não mantiverem a estrutura bem conservada e limpa.

Reformas e TAC

O advogado da Associação dos Quiosques de Milho e Churros, Juliano Cavalcanti, explica que a Superintendência da União (SPU) decidiu que os pontos de milho e churros podem permanecer na praia central desde que as estruturas passem por reformas. Porém, isso só deve acontecer no fim da temporada.

“Ainda não sabemos se será necessária licença ambiental para essa reforma, e como agora é a época mais movimentada do ano optamos por aguardar”, diz.

Havia dúvida quanto o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado junto ao Ministério Público (MPSC), que também foi prolongado até maio de 2021 – data limite para os ‘milheiros’ entregarem os seus pontos ao município.

“Todos os quiosques continuam operando, tanto pelo TAC quanto pelo município junto da SPU, eles apontaram que o problema era a estrutura de cimento e isso será resolvido após o verão. Foi um ano conturbado, mas graças ao bom senso e atuação da prefeitura e entendimento do MPSC e SPU que entenderam o lado dos milheiros deu para checar nesse consenso de poderem atuar até 2021. Haverá ainda o alargamento da faixa de areia, onde tudo terá que ser retirado”, acrescenta.

Má conservação

Sobre as estrutura mal conservadas, Cavalcanti diz que o pessoal da associação procura chamar a atenção e pedir que quem não está adequado faça as alterações e reformas necessárias.

“O próprio município também pode intervir, mas normalmente a associação tenta resolver”, afirma.

Prefeitura vai fiscalizar

O secretário de Obras, Osmar de Souza Nunes Filho, o Mazoca, explica que quando assumiu a secretaria, ainda em janeiro, conversou com os fiscais do Planejamento e pediu que eles dessem uma olhada nos pontos de milho e churros, indicando que os milheiros mantivessem os locais limpos e que os pintassem.

“Pedimos que eles cuidassem, e se isso não acontecer vamos notificá-los. A má conservação desses espaços destoa com a beleza da nossa praia. Pedimos para pintarem as canchas de bochas também. A saúde pública exige limpeza, e podemos notificá-los se eles não estiverem de acordo”, salienta.

Mazoca aproveita para contar que até 15 de dezembro serão instaladas 59 lixeiras de mil litros pela orla da Avenida Atlântica, além dos atuais contentores de 350 litros que já existem.

“Também vamos colocar lixeiras de 100 litros nos quiosques e de 75 litros nos pontos de churros e milho. Vai estar tudo padronizado”, completa.

Leitor fotografou o quiosque na altura da Rua 2600 no último dia 17


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade