Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Violência no trânsito leva prefeitura a reativar radares em Balneário Camboriú

São centenas de infrações e mais de 5 acidentes por dia

Domingo, 27/10/2019 11:47.
Arquivo JP3.

Publicidade

A prefeitura de Balneário Camboriú irá reativar a partir do dia 15 de novembro, em fase de testes, 32 radares detectores de velocidade, na maioria localizados onde já existiam desde os governos Rubens Spernau e Edson Piriquito.

A última vez que este jornal divulgou a quantidade de multas por excesso de velocidade foi em outubro de 2015, e na ocasião eram cerca de 700 por dia, mais de 200.000 desde o começo daquele ano.

Daquela data para hoje a frota de veículos emplacados na cidade subiu de 83.794 para 93.284, mas a quantidade de multas desse tipo zerou porque os radares foram desativados.

Os abusos são evidentes, constantes e à vista de todos, automóveis e motocicletas desrespeitam limites de velocidade e colocam constantemente em risco os pedestres.

Os radares de agora têm tecnologia mais moderna, maior assertividade e foram projetados para multar também os motociclistas que antes passavam impunes entre as faixas de rolamento.

Entre outubro de 2018 e março de 2019 a estatística da Polícia Militar mostra 5,2 acidentes por dia, sendo 1,34 vítimas diárias com lesão corporal. Em seis meses, 241 pessoas foram parar em hospitais por causa do trânsito de Balneário Camboriú.

Nessa conta não entram 27 feridos graves nas marginais da BR-101 entre 1 de janeiro de 2018 e 6 de março de 2019, segundo registro da Polícia Rodoviária Federal.

A velocidade é a principal causa da gravidade dos ferimentos. Em 2017 o policial rodoviário federal Julio Cesar Damasceno de Mello demonstrou, em seu trabalho de conclusão no Curso de Pós-Graduação lato sensu em Perícia de Acidentes de Trânsito do
Instituto Federal de Santa Catarina, a relação direta entre velocidade e gravidade dos ferimentos.

Ele pesquisou dados internacionais e registros de ocorrências em rodovias catarinenses. Em um dos trechos o policial assinalou: “Do exame dos resultados apresentados pela instalação dos equipamentos redutores de velocidade, apurou-se que, em alguns casos, a redução no número de acidentes chegou a 65% e em outros, apesar de depreciação absoluta menor, não mais ocorreram registros de acidentes com vítimas em óbito…”.

DISCUSSÕES

Em Balneário Camboriú o anúncio da reativação dos radares resultou num abaixo assinado na internet que passado mais de um mês não conseguiu colher 50 assinaturas.

Outra discussão é o limite de velocidade, muitos defendem que seja 50 Km/h e não 40 Km/h como quer a administração municipal.

A 50 por hora a chance de morte ou ferimento grave é muito maior do que a 40, mas muitas pessoas parecem fazer questão de manter comportamentos incivilizados.

A Organização Pan-Americana de Saúde destacou em fevereiro deste ano que mais da metade de todas as mortes no trânsito ocorre entre usuários vulneráveis das vias: pedestres, ciclistas e motociclistas; que 93% dessas mortes ocorrem em países de baixa e média renda e que as lesões ocorridas no trânsito são a principal causa de morte entre crianças e jovens de 5 a 29 anos.

EXEMPLO

A moradora de Balneário Camboriú Gévelyn Cássia Almeida é exemplo do que poderia não ocorrer se autoridades e população fossem mais responsáveis.

No ano de 2000 ela foi atropelada por uma moto em alta velocidade, teve uma lesão na coluna e ficou paraplégica.

Em 2008, se locomovendo em cadeira de rodas, ele foi atropelada novamente, sobre uma faixa de segurança. Crianças e adultos conseguiram escapar do atropelamento, ela não.

Hoje Gévelyn é presidente do Conselho Municipal de Direitos das Pessoas com Deficiência, professora de atletismo, recordista brasileira de arremesso de disco e de dardo e defensora de medidas protetivas no trânsito, entre elas radares, redução de velocidade nas vias e punição mais rigorosa a quem descumpre a lei.

“Eu acho extremamente importante. As vias ficaram mais largas e rápidas e mais propensas aos motoristas causarem algum tipo de acidente sem contar que para o pedestre ficou bem mais difícil atravessar a rua na falta de semáforo na faixa de pedestre pois não é respeitado o limite máximo de velocidade e os radares podem fazer esse papel educativo e doendo do bolso, infelizmente somente assim que se educa no Brasil”, destacou a atleta que aparece ao centro na foto abaixo.

IDOSOS

A presidente do Conselho Municipal do Idoso de Balneário Camboriú, Marcia Cristina Lázaro, disse que a entidade apoia os radares e a redução da velocidade, em especial nas principais avenidas.

“Em Balneário Camboriú 30% da população é de idosos, que respeitam a faixa de segurança, mas nem sempre são respeitados, tem que ter esse cuidado na velocidade dos carros” explicou Marcia.

“O Conselho é favorável, tem que criar essa cultura, principalmente a população jovem”, finalizou.


Locais dos radares

Rua 1500, 416

Terceira Avenida, 969

Terceira Avenida 1190

Terceira Avenida, 214

Terceira Avenida, 2340

Quarta Avenida após rua 2070

Avenida Brasil com Terceira Avenida

Via Gastronômica (Espetinho de Ouro)

Avenida Atlântica, 5770

Palestina com rua Suíça

Quinta Avenida com rua Canelinha

Quinta Avenida com Dom Abelardo

Martin Luther entre Tailândia e Suíça

Martin Luther após Islândia

Martin Luther após Áustria

Avenida do Estado em frente ao Casa Hall

Avenida do Estado, 4444

Avenida do Estado após rua Austrália

Avenida do Estado, 3174

Avenida do Estado entre Nepal e Noruega

Avenida do Estado, 1690/1681

Avenida do Estado, 1300

Avenida do Estado em frente ao Le Monde

Estrada da Rainha, 1000

Interpraias com Domingos Fonseca

Interpraias com Cambará

Interpraias com Higino João Pio

Interpraias antes da Rodolfo Pinto Corrêa

Intrepraias com Valência Rita da Conceição

VEJA O VÍDEO DA CAMPANHA DA PREFEITURA DE BOGOTA


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Arquivo JP3.

Violência no trânsito leva prefeitura a reativar radares em Balneário Camboriú

São centenas de infrações e mais de 5 acidentes por dia

Publicidade

Domingo, 27/10/2019 11:47.

A prefeitura de Balneário Camboriú irá reativar a partir do dia 15 de novembro, em fase de testes, 32 radares detectores de velocidade, na maioria localizados onde já existiam desde os governos Rubens Spernau e Edson Piriquito.

A última vez que este jornal divulgou a quantidade de multas por excesso de velocidade foi em outubro de 2015, e na ocasião eram cerca de 700 por dia, mais de 200.000 desde o começo daquele ano.

Daquela data para hoje a frota de veículos emplacados na cidade subiu de 83.794 para 93.284, mas a quantidade de multas desse tipo zerou porque os radares foram desativados.

Os abusos são evidentes, constantes e à vista de todos, automóveis e motocicletas desrespeitam limites de velocidade e colocam constantemente em risco os pedestres.

Os radares de agora têm tecnologia mais moderna, maior assertividade e foram projetados para multar também os motociclistas que antes passavam impunes entre as faixas de rolamento.

Entre outubro de 2018 e março de 2019 a estatística da Polícia Militar mostra 5,2 acidentes por dia, sendo 1,34 vítimas diárias com lesão corporal. Em seis meses, 241 pessoas foram parar em hospitais por causa do trânsito de Balneário Camboriú.

Nessa conta não entram 27 feridos graves nas marginais da BR-101 entre 1 de janeiro de 2018 e 6 de março de 2019, segundo registro da Polícia Rodoviária Federal.

A velocidade é a principal causa da gravidade dos ferimentos. Em 2017 o policial rodoviário federal Julio Cesar Damasceno de Mello demonstrou, em seu trabalho de conclusão no Curso de Pós-Graduação lato sensu em Perícia de Acidentes de Trânsito do
Instituto Federal de Santa Catarina, a relação direta entre velocidade e gravidade dos ferimentos.

Ele pesquisou dados internacionais e registros de ocorrências em rodovias catarinenses. Em um dos trechos o policial assinalou: “Do exame dos resultados apresentados pela instalação dos equipamentos redutores de velocidade, apurou-se que, em alguns casos, a redução no número de acidentes chegou a 65% e em outros, apesar de depreciação absoluta menor, não mais ocorreram registros de acidentes com vítimas em óbito…”.

DISCUSSÕES

Em Balneário Camboriú o anúncio da reativação dos radares resultou num abaixo assinado na internet que passado mais de um mês não conseguiu colher 50 assinaturas.

Outra discussão é o limite de velocidade, muitos defendem que seja 50 Km/h e não 40 Km/h como quer a administração municipal.

A 50 por hora a chance de morte ou ferimento grave é muito maior do que a 40, mas muitas pessoas parecem fazer questão de manter comportamentos incivilizados.

A Organização Pan-Americana de Saúde destacou em fevereiro deste ano que mais da metade de todas as mortes no trânsito ocorre entre usuários vulneráveis das vias: pedestres, ciclistas e motociclistas; que 93% dessas mortes ocorrem em países de baixa e média renda e que as lesões ocorridas no trânsito são a principal causa de morte entre crianças e jovens de 5 a 29 anos.

EXEMPLO

A moradora de Balneário Camboriú Gévelyn Cássia Almeida é exemplo do que poderia não ocorrer se autoridades e população fossem mais responsáveis.

No ano de 2000 ela foi atropelada por uma moto em alta velocidade, teve uma lesão na coluna e ficou paraplégica.

Em 2008, se locomovendo em cadeira de rodas, ele foi atropelada novamente, sobre uma faixa de segurança. Crianças e adultos conseguiram escapar do atropelamento, ela não.

Hoje Gévelyn é presidente do Conselho Municipal de Direitos das Pessoas com Deficiência, professora de atletismo, recordista brasileira de arremesso de disco e de dardo e defensora de medidas protetivas no trânsito, entre elas radares, redução de velocidade nas vias e punição mais rigorosa a quem descumpre a lei.

“Eu acho extremamente importante. As vias ficaram mais largas e rápidas e mais propensas aos motoristas causarem algum tipo de acidente sem contar que para o pedestre ficou bem mais difícil atravessar a rua na falta de semáforo na faixa de pedestre pois não é respeitado o limite máximo de velocidade e os radares podem fazer esse papel educativo e doendo do bolso, infelizmente somente assim que se educa no Brasil”, destacou a atleta que aparece ao centro na foto abaixo.

IDOSOS

A presidente do Conselho Municipal do Idoso de Balneário Camboriú, Marcia Cristina Lázaro, disse que a entidade apoia os radares e a redução da velocidade, em especial nas principais avenidas.

“Em Balneário Camboriú 30% da população é de idosos, que respeitam a faixa de segurança, mas nem sempre são respeitados, tem que ter esse cuidado na velocidade dos carros” explicou Marcia.

“O Conselho é favorável, tem que criar essa cultura, principalmente a população jovem”, finalizou.


Locais dos radares

Rua 1500, 416

Terceira Avenida, 969

Terceira Avenida 1190

Terceira Avenida, 214

Terceira Avenida, 2340

Quarta Avenida após rua 2070

Avenida Brasil com Terceira Avenida

Via Gastronômica (Espetinho de Ouro)

Avenida Atlântica, 5770

Palestina com rua Suíça

Quinta Avenida com rua Canelinha

Quinta Avenida com Dom Abelardo

Martin Luther entre Tailândia e Suíça

Martin Luther após Islândia

Martin Luther após Áustria

Avenida do Estado em frente ao Casa Hall

Avenida do Estado, 4444

Avenida do Estado após rua Austrália

Avenida do Estado, 3174

Avenida do Estado entre Nepal e Noruega

Avenida do Estado, 1690/1681

Avenida do Estado, 1300

Avenida do Estado em frente ao Le Monde

Estrada da Rainha, 1000

Interpraias com Domingos Fonseca

Interpraias com Cambará

Interpraias com Higino João Pio

Interpraias antes da Rodolfo Pinto Corrêa

Intrepraias com Valência Rita da Conceição

VEJA O VÍDEO DA CAMPANHA DA PREFEITURA DE BOGOTA


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade