Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Cobertura do camelô deve ser finalizada até outubro, vizinhança e condôminos aprovam

Sexta, 6/9/2019 14:47.
Divulgação
Cobertura do camelô está em andamento

Publicidade

Com o objetivo de dar uma ‘nova cara’ para o camelódromo da rua 1.400, o local está passando por obras e a previsão é que até fim de outubro a cobertura, que está em andamento, seja finalizada. Nesta sexta-feira (6) uma reunião aconteceu no camelô, com a presença de mais de 220 condôminos, para rediscutir a situação, pois um dos lojistas não aprovou a obra, decidida ainda em 2017, e exigiu uma nova assembléia.

O síndico do camelódromo, Nelson Oliveira, conta que um único condômino se mostrou contra a execução das obras de melhorias, discutida e aprovada por 108 condôminos em 2017. Há um processo judicial em andamento e o condômino contrário exigiu que dois terços dos lojistas se fizessem presentes em uma nova assembléia, que aconteceu nesta sexta. Mesmo com a situação ainda a ser julgada, a diretoria do camelô se antecipou e realizou a reunião, que dessa vez contou com mais de 220 pessoas, atingindo a solicitação que consta no documento.

“Todos aprovaram novamente e seguiremos a vontade da maioria. Somente o condômino que entrou com o processo que se mostrou contra mais uma vez. Nosso foco é trazer mais segurança e qualidade para as 622 pessoas que trabalham diariamente no camelódromo e para todos os turistas e moradores de Balneário que nos visitam. O camelô tem 33 anos de história e é consolidado como o equipamento turístico de maior fluxo de pessoas da cidade. É um lugar muito querido, somos felizes e valorizamos isso”, explica.

Telha ‘sanduíche’

As obras seguem a todo vapor e na próxima semana serão adquiridas as telhas que vão cobrir a estrutura. Elas serão, segundo Nelson, antirreflexiva e térmica isolante, para não passar calor e nem fazer barulho quando chover, por exemplo. “É a chamada ‘telha sanduíche’. Estamos tendo todo o cuidado, trabalhando com equipe técnica capacitada. Os trabalhos estão dentro do prazo e esperamos que a cobertura fique pronta até final de outubro. Após isso faltarão só alguns detalhes”, diz.

Transtorno necessário

Outros assuntos discutidos na assembléia de hoje foram a respeito da importância do local ter e seguir um regimento interno, para isso contarão com o apoio de um advogado, para construir tudo junto com a administração e condôminos do camelô.

“Também estamos organizando uma comissão de obras, que estará atenta nos trabalhos. Essa equipe será formada por um condômino de cada corredor. Queremos exatamente isso: uma maior participação de todos. Ficamos felizes em ver que a grande maioria é a favor e defende a necessidade de qualificar o nosso espaço. Essa sexta-feira foi um dia feliz, mostrou que todos estão ávidos pelas mudanças, que estão vindo em boa hora. É um transtorno necessário”, pontua.

Vizinhança também aprova

O corretor de imóveis Gustavo da Costa tem uma imobiliária na região da rua 1.400 há quatro anos e meio e escolheu o local exatamente pelo potencial e movimento da região, mas ele vê que o camelô precisava de melhorias.

“O camelô é hoje um ponto turístico muito importante para a cidade, pois atrai muita gente de fora. Quem vem para Balneário quase certo que vai passear por lá, pelo menos dar uma passadinha. E a questão estética é muito importante, acredito que essas obras vão melhorar muito”, diz.

Gustavo conta que muitos dos seus clientes viam dos prédios da região o camelô e não gostavam da estrutura do local, pois ‘viam o puxadinho, remendos, cores diferentes das barracas’. Ele acredita que as melhorias vão ser boas para todos, tanto para quem visita e trabalha no camelódromo quanto esteticamente para a vizinhança.

“Pretendo bater fotos quando a obra for finalizada para mostrar para os clientes que o visual foi resolvido. Trará conforto também nos dias de chuva, e uma sensação de mais espaço, além de ficar mais organizado. A tendência é até melhorar ainda mais o fluxo de pessoas”, destaca.

Vilmar Canan mora em um prédio das proximidades do camelô e diz ter dúvida se o telhado vai dar reflexo com o sol para a vizinhança e se quando chover fará um ‘barulhão’. Conforme Nelson respondeu nessa matéria isso não acontecerá, por conta da estrutura das telhas escolhidas para a cobertura.

“Acredito que vai melhorar a aparência, tanto para quem vai no camelô quanto para quem vê de cima. Acho muito bom que estão fazendo essas melhorias”, completa o morador.

Assembléia desta sexta aprovou novamente as obras de melhorias


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Divulgação
Cobertura do camelô está em andamento
Cobertura do camelô está em andamento

Cobertura do camelô deve ser finalizada até outubro, vizinhança e condôminos aprovam

Publicidade

Sexta, 6/9/2019 14:47.

Com o objetivo de dar uma ‘nova cara’ para o camelódromo da rua 1.400, o local está passando por obras e a previsão é que até fim de outubro a cobertura, que está em andamento, seja finalizada. Nesta sexta-feira (6) uma reunião aconteceu no camelô, com a presença de mais de 220 condôminos, para rediscutir a situação, pois um dos lojistas não aprovou a obra, decidida ainda em 2017, e exigiu uma nova assembléia.

O síndico do camelódromo, Nelson Oliveira, conta que um único condômino se mostrou contra a execução das obras de melhorias, discutida e aprovada por 108 condôminos em 2017. Há um processo judicial em andamento e o condômino contrário exigiu que dois terços dos lojistas se fizessem presentes em uma nova assembléia, que aconteceu nesta sexta. Mesmo com a situação ainda a ser julgada, a diretoria do camelô se antecipou e realizou a reunião, que dessa vez contou com mais de 220 pessoas, atingindo a solicitação que consta no documento.

“Todos aprovaram novamente e seguiremos a vontade da maioria. Somente o condômino que entrou com o processo que se mostrou contra mais uma vez. Nosso foco é trazer mais segurança e qualidade para as 622 pessoas que trabalham diariamente no camelódromo e para todos os turistas e moradores de Balneário que nos visitam. O camelô tem 33 anos de história e é consolidado como o equipamento turístico de maior fluxo de pessoas da cidade. É um lugar muito querido, somos felizes e valorizamos isso”, explica.

Telha ‘sanduíche’

As obras seguem a todo vapor e na próxima semana serão adquiridas as telhas que vão cobrir a estrutura. Elas serão, segundo Nelson, antirreflexiva e térmica isolante, para não passar calor e nem fazer barulho quando chover, por exemplo. “É a chamada ‘telha sanduíche’. Estamos tendo todo o cuidado, trabalhando com equipe técnica capacitada. Os trabalhos estão dentro do prazo e esperamos que a cobertura fique pronta até final de outubro. Após isso faltarão só alguns detalhes”, diz.

Transtorno necessário

Outros assuntos discutidos na assembléia de hoje foram a respeito da importância do local ter e seguir um regimento interno, para isso contarão com o apoio de um advogado, para construir tudo junto com a administração e condôminos do camelô.

“Também estamos organizando uma comissão de obras, que estará atenta nos trabalhos. Essa equipe será formada por um condômino de cada corredor. Queremos exatamente isso: uma maior participação de todos. Ficamos felizes em ver que a grande maioria é a favor e defende a necessidade de qualificar o nosso espaço. Essa sexta-feira foi um dia feliz, mostrou que todos estão ávidos pelas mudanças, que estão vindo em boa hora. É um transtorno necessário”, pontua.

Vizinhança também aprova

O corretor de imóveis Gustavo da Costa tem uma imobiliária na região da rua 1.400 há quatro anos e meio e escolheu o local exatamente pelo potencial e movimento da região, mas ele vê que o camelô precisava de melhorias.

“O camelô é hoje um ponto turístico muito importante para a cidade, pois atrai muita gente de fora. Quem vem para Balneário quase certo que vai passear por lá, pelo menos dar uma passadinha. E a questão estética é muito importante, acredito que essas obras vão melhorar muito”, diz.

Gustavo conta que muitos dos seus clientes viam dos prédios da região o camelô e não gostavam da estrutura do local, pois ‘viam o puxadinho, remendos, cores diferentes das barracas’. Ele acredita que as melhorias vão ser boas para todos, tanto para quem visita e trabalha no camelódromo quanto esteticamente para a vizinhança.

“Pretendo bater fotos quando a obra for finalizada para mostrar para os clientes que o visual foi resolvido. Trará conforto também nos dias de chuva, e uma sensação de mais espaço, além de ficar mais organizado. A tendência é até melhorar ainda mais o fluxo de pessoas”, destaca.

Vilmar Canan mora em um prédio das proximidades do camelô e diz ter dúvida se o telhado vai dar reflexo com o sol para a vizinhança e se quando chover fará um ‘barulhão’. Conforme Nelson respondeu nessa matéria isso não acontecerá, por conta da estrutura das telhas escolhidas para a cobertura.

“Acredito que vai melhorar a aparência, tanto para quem vai no camelô quanto para quem vê de cima. Acho muito bom que estão fazendo essas melhorias”, completa o morador.

Assembléia desta sexta aprovou novamente as obras de melhorias


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade