Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Expressul não voltará a operar o transporte coletivo em Balneário Camboriú

Serviço é ruim e por isso perde passageiros. Empresa move processo de R$ 30 milhões contra a cidade.

Quarta, 26/8/2020 5:18.
Arquivo JP3.

Publicidade

O advogado Juliano Mandelli, que representa os interesses da Expressul, disse ao Página 3 nesta terça-feira que aquela concessionária não voltará a operar o transporte coletivo em Balneário Camboriú e quer rescisão amigável do contrato, sem indenização entre as partes.

No entanto, a Expressul move um processo contra o município desde antes da pandemia, alegando prejuízos decorrentes do não reajuste da tarifa. Pelo cálculo da empresa, o valor estaria em torno de R$ 30 milhões.

A reportagem apurou que desde o início da pandemia o prefeito Fabrício Oliveira sabe que a Expressul não pretende retornar e busca uma empresa de ônibus que queira assumir temporariamente o serviço.

Nos últimos anos a Expressul enfrentou problemas econômicos, com a redução constante de usuários devido à má qualidade do serviço oferecido e à concorrência de outros meios de transporte como bicicletas, motonetas, mototáxi e Uber.

O transporte coletivo em Balneário Camboriú é mal planejado, são poucos horários, inconstantes, as linhas não ligam de forma eficaz as diferentes áreas da cidade o que leva à perda de passageiros e torna a operação inviável.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Arquivo JP3.

Expressul não voltará a operar o transporte coletivo em Balneário Camboriú

Serviço é ruim e por isso perde passageiros. Empresa move processo de R$ 30 milhões contra a cidade.

Publicidade

Quarta, 26/8/2020 5:18.

O advogado Juliano Mandelli, que representa os interesses da Expressul, disse ao Página 3 nesta terça-feira que aquela concessionária não voltará a operar o transporte coletivo em Balneário Camboriú e quer rescisão amigável do contrato, sem indenização entre as partes.

No entanto, a Expressul move um processo contra o município desde antes da pandemia, alegando prejuízos decorrentes do não reajuste da tarifa. Pelo cálculo da empresa, o valor estaria em torno de R$ 30 milhões.

A reportagem apurou que desde o início da pandemia o prefeito Fabrício Oliveira sabe que a Expressul não pretende retornar e busca uma empresa de ônibus que queira assumir temporariamente o serviço.

Nos últimos anos a Expressul enfrentou problemas econômicos, com a redução constante de usuários devido à má qualidade do serviço oferecido e à concorrência de outros meios de transporte como bicicletas, motonetas, mototáxi e Uber.

O transporte coletivo em Balneário Camboriú é mal planejado, são poucos horários, inconstantes, as linhas não ligam de forma eficaz as diferentes áreas da cidade o que leva à perda de passageiros e torna a operação inviável.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade