Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Amigo do prefeito alega em juízo que obra foi embargada para satisfazer a imprensa

Lucas Zenatti usa argumentos falsos para defender obra irregular

Segunda, 17/2/2020 8:49.

Publicidade

O advogado Lucas Zenatti, amigo do prefeito Fabrício Oliveira, contratado pelo dono de uma construção irregular na Terceira Avenida esquina com rua 2050, alegou em juízo que a obra foi embargada pela prefeitura em decorrência de pressão do jornal Página 3.

A afirmação é falsa, a obra foi embargada por ser flagrantemente irregular. O registro na prefeitura desobedeceu a lei e a execução não cumpriu o especificado no projeto.

A obra alterou toda a estrutura do prédio, o que pode ser facilmente constatado se a justiça determinar a análise de um perito.

Sendo protocolada como reforma o proprietário tentou escapar da legislação atual que reduziria sensivelmente a área do imóvel.

Segundo a Diretora de Análise de Projetos da Secretaria do Planejamento, Adeltraut Zoschke Schappo, “o procedimento da execução não atende a solicitação de aprovação, houve demolição de todas as lajes e estruturas internas”.

A obra está embargada pela justiça à espera de manifestação da prefeitura no processo assinado por Lucas Zenatti pedindo o levantamento do embargo.

Há indícios de falcatruas semelhantes na Secretaria do Planejamento e isso será apurado pelo Ministério Público e Controladoria Interna do município.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3

Amigo do prefeito alega em juízo que obra foi embargada para satisfazer a imprensa

Lucas Zenatti usa argumentos falsos para defender obra irregular

Publicidade

Segunda, 17/2/2020 8:49.

O advogado Lucas Zenatti, amigo do prefeito Fabrício Oliveira, contratado pelo dono de uma construção irregular na Terceira Avenida esquina com rua 2050, alegou em juízo que a obra foi embargada pela prefeitura em decorrência de pressão do jornal Página 3.

A afirmação é falsa, a obra foi embargada por ser flagrantemente irregular. O registro na prefeitura desobedeceu a lei e a execução não cumpriu o especificado no projeto.

A obra alterou toda a estrutura do prédio, o que pode ser facilmente constatado se a justiça determinar a análise de um perito.

Sendo protocolada como reforma o proprietário tentou escapar da legislação atual que reduziria sensivelmente a área do imóvel.

Segundo a Diretora de Análise de Projetos da Secretaria do Planejamento, Adeltraut Zoschke Schappo, “o procedimento da execução não atende a solicitação de aprovação, houve demolição de todas as lajes e estruturas internas”.

A obra está embargada pela justiça à espera de manifestação da prefeitura no processo assinado por Lucas Zenatti pedindo o levantamento do embargo.

Há indícios de falcatruas semelhantes na Secretaria do Planejamento e isso será apurado pelo Ministério Público e Controladoria Interna do município.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade