Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Vereador pede resposta sobre festas aos fins de semana na Casa da Mulher

Quinta, 6/2/2020 14:22.
Renata Rutes

Publicidade

O vereador Nilson Probst fez um requerimento pedindo explicações ao prefeito Fabrício Oliveira sobre o uso da Casa da Mulher para festas aos fins de semana. A secretária de Inclusão Social, Christina Barichello, rebateu dizendo que é permitido através da legislação dos centros comunitários, já que o local é considerado um centro de convivência.

Probst contou que fez um requerimento solicitando as informações, salientando que a casa foi alugada ‘para atender vítimas de agressão (física ou psicológica)’, mas que ficou sabendo que pessoas ‘ligadas ao governo’ estavam usando o local para festas aos fins de semana.

“Falaram que é para todos, mas questionei a legislação para fazerem isso e a divulgação, que não acontece. Imagina uma pessoa que precisa do trabalho que acontece na Casa chegar lá e ver uma festa acontecendo. Centro de Eventos e comunitários são uma coisa, Casa da Mulher é outra”, opinou.

O vereador defende ainda que a prefeitura precisa explicar se há locação, quanto é o valor, quem faz a limpeza e se há fila de espera para usar o espaço.

“A locação foi para cuidar das mulheres. Os centros comunitários possuem lei específica, sem falar que há centros que estão sem funcionar há dois anos por falta de manutenção, como o do Bairro Vila Real”, acrescentou.

A secretária Christina foi procurada e apontou que o local tem o propósito de ‘otimização de espaço’, funcionando como um centro de vivência de segunda a sexta-feira e estando livre aos finais de semana.

“São duas casas, uma para as mulheres vítimas de agressão e para voluntários, onde funcionam os programas Abraço à Vida, à Mulher e ao Jovem, com o centro de psicologia, e a outra onde acontecem mais de 80 oficinas para mulheres, jovens, idosos e até crianças. São entradas diferentes. Quando acontecem as confraternizações aos fins de semana o público só utiliza a parte de baixo, onde há piscina e churrasqueira”, disse.

Christina informou ainda que as mulheres atendidas pelo Abraço não ficam na Casa da Mulher, quando elas precisam ser atendidas e socorridas são encaminhadas para a Casa das Anas, e a prefeitura paga por essas vagas.

“O Abraço funciona 24h, mas aos finais de semana o regime é de plantão. Quando há algum caso, a equipe vai até o local e encaminha a pessoa para o hospital, clínica ou Casa das Anas. Aos fins de semana a casa fica liberada e o critério para utilizá-la é ser morador de Balneário Camboriú (comprovar isso) e entregar o local limpo. Com música só pode funcionar até às 19h e sem até às 22h”, explicou.

Christina aproveita para citar que assim como a Casa funciona dessa forma ela também é a favor que escolas abram aos finais de semana, para que as pessoas possam desfrutar das quadras esportivas, por exemplo.

“O espaço é público, não pode ser restritivo. Desde que a Casa inaugurou as pessoas podem utilizá-la dessa forma”, completou.

Interessados podem solicitar agendamento de qualquer centro comunitário da cidade pelo WhatsApp, no número (47) 99982-2078, pelo telefone (47) 3363-2745 ou presencialmente na Secretaria de Desenvolvimento e Inclusão Social, na Rua Itália nº 1059, Bairro das Nações.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Renata Rutes

Vereador pede resposta sobre festas aos fins de semana na Casa da Mulher

Publicidade

Quinta, 6/2/2020 14:22.

O vereador Nilson Probst fez um requerimento pedindo explicações ao prefeito Fabrício Oliveira sobre o uso da Casa da Mulher para festas aos fins de semana. A secretária de Inclusão Social, Christina Barichello, rebateu dizendo que é permitido através da legislação dos centros comunitários, já que o local é considerado um centro de convivência.

Probst contou que fez um requerimento solicitando as informações, salientando que a casa foi alugada ‘para atender vítimas de agressão (física ou psicológica)’, mas que ficou sabendo que pessoas ‘ligadas ao governo’ estavam usando o local para festas aos fins de semana.

“Falaram que é para todos, mas questionei a legislação para fazerem isso e a divulgação, que não acontece. Imagina uma pessoa que precisa do trabalho que acontece na Casa chegar lá e ver uma festa acontecendo. Centro de Eventos e comunitários são uma coisa, Casa da Mulher é outra”, opinou.

O vereador defende ainda que a prefeitura precisa explicar se há locação, quanto é o valor, quem faz a limpeza e se há fila de espera para usar o espaço.

“A locação foi para cuidar das mulheres. Os centros comunitários possuem lei específica, sem falar que há centros que estão sem funcionar há dois anos por falta de manutenção, como o do Bairro Vila Real”, acrescentou.

A secretária Christina foi procurada e apontou que o local tem o propósito de ‘otimização de espaço’, funcionando como um centro de vivência de segunda a sexta-feira e estando livre aos finais de semana.

“São duas casas, uma para as mulheres vítimas de agressão e para voluntários, onde funcionam os programas Abraço à Vida, à Mulher e ao Jovem, com o centro de psicologia, e a outra onde acontecem mais de 80 oficinas para mulheres, jovens, idosos e até crianças. São entradas diferentes. Quando acontecem as confraternizações aos fins de semana o público só utiliza a parte de baixo, onde há piscina e churrasqueira”, disse.

Christina informou ainda que as mulheres atendidas pelo Abraço não ficam na Casa da Mulher, quando elas precisam ser atendidas e socorridas são encaminhadas para a Casa das Anas, e a prefeitura paga por essas vagas.

“O Abraço funciona 24h, mas aos finais de semana o regime é de plantão. Quando há algum caso, a equipe vai até o local e encaminha a pessoa para o hospital, clínica ou Casa das Anas. Aos fins de semana a casa fica liberada e o critério para utilizá-la é ser morador de Balneário Camboriú (comprovar isso) e entregar o local limpo. Com música só pode funcionar até às 19h e sem até às 22h”, explicou.

Christina aproveita para citar que assim como a Casa funciona dessa forma ela também é a favor que escolas abram aos finais de semana, para que as pessoas possam desfrutar das quadras esportivas, por exemplo.

“O espaço é público, não pode ser restritivo. Desde que a Casa inaugurou as pessoas podem utilizá-la dessa forma”, completou.

Interessados podem solicitar agendamento de qualquer centro comunitário da cidade pelo WhatsApp, no número (47) 99982-2078, pelo telefone (47) 3363-2745 ou presencialmente na Secretaria de Desenvolvimento e Inclusão Social, na Rua Itália nº 1059, Bairro das Nações.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade