Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
É improvável que o alargamento da praia central de Balneário Camboriú ocorra neste ano

Comissão de licitações estuda recursos das quatro licitantes impugnados

Sexta, 6/3/2020 7:07.
Divulgação
Alargamento da praia em Gold Coast, Austrália.

Publicidade

O alargamento da faixa de areia da praia central de Balneário Camboriú provavelmente não acontecerá neste ano, devido à falta da Licença Ambiental de Instalação (LAI) e entraves na licitação que teve os quatro consórcios participantes impugnados.

A Comissão de Licitação da prefeitura estuda os recursos dos consórcios Boskalis-Enterpa; Rohde/Planaterra; DTA/Jan de Nul/Baltt e Dagrabras/Ster, sendo possível -considerando os motivos das impugnações, a falta de comprovação de capacidade técnica-, que todos sejam negados e exigida documentação complementar.

Na próxima semana a decisão da Comissão será conhecida, sendo possível a judicialização da concorrência, hipótese que pode adiar o desfecho por várias semanas.

Além disso, a licitação está contingenciada pelo Tribunal de Contas do Estado que alega preços superestimados.

Com prazo de execução previsto para nove meses, a obra precisaria iniciar quase que imediatamente, ainda em março, sob pena de atrapalhar a próxima temporada de verão.

No entanto, o principal entrave é a falta da LAI, documento indispensável que o Instituto do Meio Ambiente ainda não liberou e não tem data para liberar.

Em agosto do ano passado, ao tomar posse como secretário do Planejamento, o vice-prefeito Carlos Humbeeto Metzner Silva disse que “O alargamento da faixa de areia nunca esteve tão perto de acontecer, falta apenas a Licença Ambiental de Instalação (LAI)”.

De lá para cá transcorreram quase sete meses e a licença não foi liberada.

Consultada, a administração municipal preferiu não se manifestar.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação
Alargamento da praia em Gold Coast, Austrália.
Alargamento da praia em Gold Coast, Austrália.

É improvável que o alargamento da praia central de Balneário Camboriú ocorra neste ano

Comissão de licitações estuda recursos das quatro licitantes impugnados

Publicidade

Sexta, 6/3/2020 7:07.

O alargamento da faixa de areia da praia central de Balneário Camboriú provavelmente não acontecerá neste ano, devido à falta da Licença Ambiental de Instalação (LAI) e entraves na licitação que teve os quatro consórcios participantes impugnados.

A Comissão de Licitação da prefeitura estuda os recursos dos consórcios Boskalis-Enterpa; Rohde/Planaterra; DTA/Jan de Nul/Baltt e Dagrabras/Ster, sendo possível -considerando os motivos das impugnações, a falta de comprovação de capacidade técnica-, que todos sejam negados e exigida documentação complementar.

Na próxima semana a decisão da Comissão será conhecida, sendo possível a judicialização da concorrência, hipótese que pode adiar o desfecho por várias semanas.

Além disso, a licitação está contingenciada pelo Tribunal de Contas do Estado que alega preços superestimados.

Com prazo de execução previsto para nove meses, a obra precisaria iniciar quase que imediatamente, ainda em março, sob pena de atrapalhar a próxima temporada de verão.

No entanto, o principal entrave é a falta da LAI, documento indispensável que o Instituto do Meio Ambiente ainda não liberou e não tem data para liberar.

Em agosto do ano passado, ao tomar posse como secretário do Planejamento, o vice-prefeito Carlos Humbeeto Metzner Silva disse que “O alargamento da faixa de areia nunca esteve tão perto de acontecer, falta apenas a Licença Ambiental de Instalação (LAI)”.

De lá para cá transcorreram quase sete meses e a licença não foi liberada.

Consultada, a administração municipal preferiu não se manifestar.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade