Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Lions completa 49 anos em Balneário Camboriú, com nova sede em andamento

Sede antiga foi vendida por R$ 4,6 milhões para a prefeitura que fará um parque no local

Quinta, 17/9/2020 9:08.
Sede dos Lions: desde os anos 80 na Rua 3700, não existe mais.

Publicidade

Por: Renata Rutes
O terreno agora receberá um Parque Linear
A sede dos Lions Clubes de Balneário Camboriú, que ficava na Rua 3.700, foi vendida para a prefeitura por R$ 4,6 milhões. No local será construído o futuro Parque Linear, uma continuidade do prolongamento da Quarta Avenida. A indenização do terreno foi aprovada em sessão legislativa no dia 9 último.
Em meio à essa novidade, a entidade comemorou 49 anos de atuação em Balneário no último dia 15 (terça-feira), quando também é celebrado o Dia Municipal do Lions Clube, data em que o primeiro Clube foi fundado no município, o Lions Clube Balneário Camboriú Centro.
A cidade conta hoje com quatro clubes em atividade – o Centro, o Barra Sul, o Governador Célio Gascho e o mais recente, fundado em plena pandemia de Covid-19, Helen Keller. Há um quinto, que está em ‘hiatus’, o Leão do Mar.
O Página 3 conversou com alguns membros nesta semana, que relatam a importância da entidade e como veem esse ‘recomeço’ com a nova sede.
.

Ação integrada de limpeza do rio Camboriu.

Reunião online Lions BC Centro.

.

“É uma das coisas que não abro mão”

Pedro Francez (D) na mesa do plenario.
.

Pedro Francez, vereador, 27 anos atuando no Lions Clube Balneário Camboriú Centro

“Entrei em maio de 1993 e sempre vi o Lions como um clube de serviço parceiro da administração pública. A prefeitura viu a necessidade de usar o espaço da nossa sede para o Parque Linear, ligando a Quarta Avenida com a Vila Real e toda essa área da cidade e o Lions nem contestou. Vimos que é uma necessidade para a melhoria da cidade. O projeto foi aprovado na Câmara dia 9, por unanimidade pelos vereadores presentes, assim agora o Clube poderá comprar um novo terreno e construir a sede para continuar com os seus trabalhos sociais. Irá trazer muitos benefícios tanto para a entidade quanto para a sociedade. Queremos uma sede maior, e vejo um futuro brilhante para o Clube, que é considerado um dos maiores de Santa Catarina. Há também o Leo Clube e os Leõezinhos, onde os jovens e as crianças participam. Vejo que o Lions é muito presente e atua junto com outras entidades fazendo aquilo que o poder público nem sempre consegue. Somente agora na pandemia arrecadamos mais de 10 toneladas de alimento, há a feijoada que fazemos todos os anos e que arrecadamos mais de R$ 30 mil, além do chá beneficente onde é arrecadado R$ 20 mil. Há o Jantar dos Chefs que o Barra Sul faz e também consegue um valor muito significativo, o Célio Gascho com a Noite Italiana também. Todo o valor arrecadado é focado em ações sociais, nem um centavo fica para o Lions. Eu sempre digo que há três coisas na minha vida que jamais abro mão em função da política: minha família, a Igreja Santa Inês e o Lions Centro. Se sou o que sou hoje é porque o Lions me ensinou muito. Falo isso na tribuna. O lema do Lions, servir desinteressadamente, é o que eu sigo. Nunca segui no Lions ou na igreja porque hoje sou político, até porque fui político depois de 20 anos dentro do Lions, eles que foram uma alavanca na minha vida. Sempre terei muita consideração e estima por esse movimento”.

Pedro e leõezinhos.

“Um local mais amplo para nossas campanhas e com acessibilidade”

Edison e a esposa Dulce Grellmann.
.

Edison Bayard Dahier Alves, presidente do Lions Clube Balneário Camboriú Centro

“Ingressei no Lions Clube em junho de 2012, a convite do Companheiro Matias Fidélis Angeli. Ao ingressar me deparei com um grupo dinâmico de pessoas dos mais diversos segmentos de atividades, que colocavam seu tempo e energia em apoio a necessidades da comunidade, em especial os mais carentes. O Clube ao longo dos anos desenvolveu campanhas de arrecadação de recursos para sustentar suas ações de serviço. As principais campanhas de arrecadação são a Feijoada Beneficente, realizada nos últimos 27 anos, no mês de julho; o Café Beneficente do Lions Clube, com mais de 20 anos, realizado normalmente entre os meses de setembro e outubro; o Botequim do Leão, realizado nos últimos seis anos, no mês de março ou abril; e a Boneca Viva e Pequeno Príncipe, onde crianças arrecadam recursos que são aplicados exclusivamente na aquisição de material ortopédico, e normalmente é realizada entre maio e abril. Essas campanhas de arrecadação dão sustentação as atividades de serviço que consistem na ação A Visão na Mira do Leão, onde o Lions Clube BC Centro propicia óculos a pessoas com deficiência visual, ofertando a consulta oftalmológica gratuitamente ou a um baixo valor e as lentes, e um parceiro oferta a armação e o serviço para os óculos. Ao longo dos anos contamos com a parceria da Joalheria e Ótica Loch e neste momento com a Gui Presentes. Essa campanha há alguns anos foi levada para a rede municipal de ensino, onde foi aplicado o teste de acuidade visual em toda a rede, propiciando a identificação prematura e a correção visual em um elevado número de crianças. De forma semelhante os recursos angariados com a Boneca Viva e Pequeno Príncipe dão sustentação ao Banco Ortopédico, que opera quase o mesmo tempo de existência do Clube, que na terça (15) comemorou seus 49 anos de fundação. Anualmente o clube participa, junto com os outros Lions de Balneário Camboriú de um Feira da Saúde, onde é ofertado à comunidade orientação e testes rápidos, tais como acuidade visual, glicemia, revisão odontológica, etc. Diante da atual pandemia, no Lions Clube BC Centro surgiu a iniciativa de um banco de alimentos para socorrer a comunidade mais carente e aqueles que foram vitimados pelas circunstâncias e se tornaram necessitados desse apoio. Acabou se transformando no Banco de Alimentos dos Clubes de Serviço de Balneário Camboriú e Camboriú, que congrega todos os clubes de Lions e de Rotary de Balneário Camboriú e Camboriú, além do LEO Clube de Balneário Camboriú e do ROTARACT. Esse banco de alimentos fornece periodicamente cestas básicas à comunidade, após um criterioso processo de avaliação da real necessidade. Iniciamos esta gestão de 2020/2021 como um desafio a criatividade para fazer frente às questões como a desapropriação da sede e as restrições impostas pela pandemia COVID-19. Nossas principais atividades foram comprometidas em sua execução, pois tem por base a participação comunitária e a consequente concentração de pessoas. Quanto a sede dos Lions Clubes, foi desapropriada para dar resposta a demandas de ampliação do sistema viário da cidade. Para os Clubes de Lions de Balneário Camboriú ficou clara a necessidade de dar prioridade à expansão da infraestrutura de cidade e agora estamos iniciando as ações para a compra de local e construção de uma nova sede. Os valores acordados como pagamento permitirão a construção de um prédio mais adequado a atender as necessidades dos clubes e da comunidade, ofertando um local mais amplo para nossas campanhas e com acessibilidade, o que já não contávamos no antigo prédio e local. O futuro do movimento em Balneário Camboriú está diretamente ligado a energia dos associados aos cinco Lions Clubes hoje existentes. Acreditamos que o modelo está se esforçando para acompanhar as mudanças, em especial as promovidas pela tecnologia e as exigidas neste momento de pandemia. No meu clube e imagino não ser diferente nos outros, estamos ainda tentando nos adaptar a reuniões virtuais, ao uso de ferramentas de comunicação e a necessidades de manusear equipamentos cada vez mais sofisticados e adaptar nossas atividades a novas regras de interação social. Temos que considerar que uma parcela significativa dos nossos integrantes tem bem mais de 60 anos, e não demandavam no seu dia a dia tais meios. Mas tem algo que é constante a um associado de Lions: a vontade de ajudar outras pessoas, seja de forma direta ou por meio da promoção de campanhas e de serviços. Isso faz com que acreditemos em futuro de muito trabalho e auxílio comunitário, pois demandas sempre teremos e vontade de fazer idem”.

Banco ortopédico lions

“O Lions é uma escola”

Guilherme Luis Hartmann, presidente do Lions Clube Governador Célio Gascho

“O Clube tem 25 anos de existência e eu estou há seis anos no movimento, em minha segunda gestão como presidente. Tem sido um desafio, principalmente precisar adaptar as nossas campanhas para essa nova realidade que estamos vivendo. Nossas principais campanhas são a Noite Italiana, O Banco Ortopédico, com o empréstimo de cadeira de rodas, fomos responsáveis também pela fundação da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Balneário Camboriú, e temos a campanha de prevenção à diabetes, que queremos retomar em novembro, que é o mês do combate à doença. Essa ação é em parceria com os Lions de Balneário e de Camboriú, temos o comprometimento de uma vez por mês fazer testes em pontos de alguma das cidades. Pretendemos também fazer as campanhas de Natal e Dia das Crianças. Normalmente fazemos festas em alguma escola, mas neste ano terá que ser diferente, passaremos nos bairros distribuindo presentes. A renda virá da Lasanha do Leão, que faremos em outubro. Os interessados deverão encomendar e entregaremos ela congelada. Sobre a sede, vejo que ela é fundamental para todos os Clubes, nossas campanhas e reuniões são todas em torno dela. Mudanças são sempre boas para renovar, estávamos na antiga sede desde a década de 80, e ela realmente estava pequena para nossas campanhas. Agora teremos a oportunidade de construir uma sede nova com mais espaço, e vejo que é importante estarmos em um bairro, apesar de que atendemos a todos independente do endereço da sede. O Lions é uma escola, aprendemos e compartilhamos informações, e sem sombra de dúvidas forma o caráter das pessoas, com oportunidade hoje de ingressar no movimento desde crianças. Assim como outros movimentos, como os escoteiros e o Rotary, ensinamos princípios, é uma oportunidade de conhecer novas pessoas, aumentar conhecimento, interagindo, e aprendendo a valorizar quem ajuda e quem precisa de ajuda. Somos uma ponte, procuramos quem quer ajudar para quem está precisando, já que muitas pessoas querem ajudar, mas não sabem como”.


“O nosso clube foi o primeiro feminino de SC”

Débora Gascho, jornalista e ex-presidente do Lions Clube Governador Célio Gascho

“Meu pai presidiu o movimento a nível nacional, e por isso o clube leva o nome dele. Minha mãe foi a presidente fundadora em Balneário Camboriú. O voluntariado faz parte da minha vida desde a infância, na convivência com meu pai e minha mãe que sempre se dedicaram intensamente ao serviço humanitário, e me ensinaram que a solidariedade é o sentimento que significa respeito à dignidade humana. O meu engajamento ativo no trabalho voluntário iniciou há 25 anos, com o ingresso no movimento de Lions Internacional como associada fundadora do Lions Clube Balneário Camboriú CL Gov. Célio Gascho, que teve o diferencial de ser, inicialmente, exclusivamente feminino. Durante muitos anos o Lions foi formado somente por homens, as mulheres começaram no movimento no início de 1990, e o nosso Clube foi fundado em 1995, sendo o primeiro feminino de Santa Catarina e o quinto do Brasil nesse sentido, até se tornar misto. Somos bem atuantes, temos o legado de termos fundado a Rede Feminina de Combate ao Câncer de Balneário, entramos como voluntárias fundadoras, mais de 140 somente nesse começo. Sempre realizamos campanhas de arrecadação em prol de asilos, orfanatos, escolas e creches, através da Noite Italiana e de bazares. Fazemos também campanhas ligadas ao meio ambiente, mutirões de saúde. Desde 2019 começamos a campanha de prevenção à diabetes, que precisou ser interrompida por conta da pandemia, mas assim que for possível queremos retomar, seguindo todos os cuidados necessários. Temos 1,4 milhões de associados no mundo todo, o Lions está em quase todos os países. Somos divididos em Clubes, mas queremos estar cada vez mais unidos. A nossa sede é utilizada por todos os clubes, além do Leo, que é focado nos jovens. Até que tenhamos o novo espaço fará uma falta danada, mas espero que tudo dê certo e que aconteça logo”.


“O leonismo é forte em Balneário por conta da existência da sede”

O advogado Valdir de Andrade é Membro Melvin Jones do Lions Clube Balneário Camboriú Centro, atualmente sendo diretor de marketing da entidade; ele presidiu o Clube em 2011, nas comemorações de 40 anos de existência do BC Centro

“Tenho 16 anos de Lions, fui presidente em 2011 quando o nosso Lions BC Centro estava completando 40 anos, também já fui presidente de divisão e instrutor leonístico, hoje ocupo o cargo de diretor de marketing e sou assessor jurídico do processo de desapropriação de nossa antiga sede, que já foi demolida. Há oito imóveis que nos mostraram, estamos analisando e também será encaminhado para uma comissão. Hoje, a melhor opção é um terreno no Bairro São Judas. Queremos fazer uma sede igual, ou preferencialmente até melhor, do que a que tínhamos antes. Vendemos o local por R$ 4,6 milhões, mas precisaremos cobrir um valor passivo, trabalhista e tributário, que ainda em 2011 perdemos para o governo da época e até hoje estamos brigando pela questão tributária. Somente R$ 90 mil é para IPTU, mas iremos fazer uma ação para repatriar esse valor, assim investiremos na sede ou em campanhas. Vejo que se a sede realmente estiver em um bairro conseguiremos acessar melhor a comunidade; é um recomeço, queremos construir algo novo, uma sede ampla, que possa dar um bom retorno para as nossas campanhas. Estamos idealizando uma junto ao Hemosc (Hemocentro de SC), queremos fazer um cadastro para um futuro banco de sangue na região, com coletas mensais ou bimestrais, pois muitas pessoas dizem que querem doar, mas não conseguem ir até Blumenau. Sobre a sede, queremos fazer uma estrutura com acessibilidade, com rampa e elevador. O leonismo é forte em Balneário por conta da existência da sede, ter um ponto de encontro é essencial. No pós-pandemia isso será ainda mais importante. Virtualizamos as reuniões, mas na sede acontece a confraternização, onde um leão pode abraçar o outro. Estou em Balneário desde 1982, e minhas melhores amizades fiz dentro do Lions, onde aprendi o espírito de servir, de estar junto, o companheirismo. Vim de outros movimentos, como o estudantil, antes de ingressar no Lions, mas o Lions é uma escola de líderes, o protocolo e formalismo que seguimos nos mantêm retos, há muito respeito entre os pares. Não somos um clube de janta, como muitos dizem, contribuímos muito com a sociedade. Agora com a nova sede queremos interligar ainda mais os Clubes, nosso processo será transparente, o patrimônio está no CNPJ do Lions Centro, mas é de todos. Esperamos conseguir construir a sede em menos de um ano, a estrutura será pré-moldada, com apelo estético, acessível e sustentável, com captação de luz e reaproveitamento de água, estacionamento e isolamento acústico”.



Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Sede dos Lions: desde os anos 80 na Rua 3700, não existe mais.
Sede dos Lions: desde os anos 80 na Rua 3700, não existe mais.

Lions completa 49 anos em Balneário Camboriú, com nova sede em andamento

Sede antiga foi vendida por R$ 4,6 milhões para a prefeitura que fará um parque no local

Publicidade

Quinta, 17/9/2020 9:08.
Por: Renata Rutes
O terreno agora receberá um Parque Linear
A sede dos Lions Clubes de Balneário Camboriú, que ficava na Rua 3.700, foi vendida para a prefeitura por R$ 4,6 milhões. No local será construído o futuro Parque Linear, uma continuidade do prolongamento da Quarta Avenida. A indenização do terreno foi aprovada em sessão legislativa no dia 9 último.
Em meio à essa novidade, a entidade comemorou 49 anos de atuação em Balneário no último dia 15 (terça-feira), quando também é celebrado o Dia Municipal do Lions Clube, data em que o primeiro Clube foi fundado no município, o Lions Clube Balneário Camboriú Centro.
A cidade conta hoje com quatro clubes em atividade – o Centro, o Barra Sul, o Governador Célio Gascho e o mais recente, fundado em plena pandemia de Covid-19, Helen Keller. Há um quinto, que está em ‘hiatus’, o Leão do Mar.
O Página 3 conversou com alguns membros nesta semana, que relatam a importância da entidade e como veem esse ‘recomeço’ com a nova sede.
.

Ação integrada de limpeza do rio Camboriu.

Reunião online Lions BC Centro.

.

“É uma das coisas que não abro mão”

Pedro Francez (D) na mesa do plenario.
.

Pedro Francez, vereador, 27 anos atuando no Lions Clube Balneário Camboriú Centro

“Entrei em maio de 1993 e sempre vi o Lions como um clube de serviço parceiro da administração pública. A prefeitura viu a necessidade de usar o espaço da nossa sede para o Parque Linear, ligando a Quarta Avenida com a Vila Real e toda essa área da cidade e o Lions nem contestou. Vimos que é uma necessidade para a melhoria da cidade. O projeto foi aprovado na Câmara dia 9, por unanimidade pelos vereadores presentes, assim agora o Clube poderá comprar um novo terreno e construir a sede para continuar com os seus trabalhos sociais. Irá trazer muitos benefícios tanto para a entidade quanto para a sociedade. Queremos uma sede maior, e vejo um futuro brilhante para o Clube, que é considerado um dos maiores de Santa Catarina. Há também o Leo Clube e os Leõezinhos, onde os jovens e as crianças participam. Vejo que o Lions é muito presente e atua junto com outras entidades fazendo aquilo que o poder público nem sempre consegue. Somente agora na pandemia arrecadamos mais de 10 toneladas de alimento, há a feijoada que fazemos todos os anos e que arrecadamos mais de R$ 30 mil, além do chá beneficente onde é arrecadado R$ 20 mil. Há o Jantar dos Chefs que o Barra Sul faz e também consegue um valor muito significativo, o Célio Gascho com a Noite Italiana também. Todo o valor arrecadado é focado em ações sociais, nem um centavo fica para o Lions. Eu sempre digo que há três coisas na minha vida que jamais abro mão em função da política: minha família, a Igreja Santa Inês e o Lions Centro. Se sou o que sou hoje é porque o Lions me ensinou muito. Falo isso na tribuna. O lema do Lions, servir desinteressadamente, é o que eu sigo. Nunca segui no Lions ou na igreja porque hoje sou político, até porque fui político depois de 20 anos dentro do Lions, eles que foram uma alavanca na minha vida. Sempre terei muita consideração e estima por esse movimento”.

Pedro e leõezinhos.

“Um local mais amplo para nossas campanhas e com acessibilidade”

Edison e a esposa Dulce Grellmann.
.

Edison Bayard Dahier Alves, presidente do Lions Clube Balneário Camboriú Centro

“Ingressei no Lions Clube em junho de 2012, a convite do Companheiro Matias Fidélis Angeli. Ao ingressar me deparei com um grupo dinâmico de pessoas dos mais diversos segmentos de atividades, que colocavam seu tempo e energia em apoio a necessidades da comunidade, em especial os mais carentes. O Clube ao longo dos anos desenvolveu campanhas de arrecadação de recursos para sustentar suas ações de serviço. As principais campanhas de arrecadação são a Feijoada Beneficente, realizada nos últimos 27 anos, no mês de julho; o Café Beneficente do Lions Clube, com mais de 20 anos, realizado normalmente entre os meses de setembro e outubro; o Botequim do Leão, realizado nos últimos seis anos, no mês de março ou abril; e a Boneca Viva e Pequeno Príncipe, onde crianças arrecadam recursos que são aplicados exclusivamente na aquisição de material ortopédico, e normalmente é realizada entre maio e abril. Essas campanhas de arrecadação dão sustentação as atividades de serviço que consistem na ação A Visão na Mira do Leão, onde o Lions Clube BC Centro propicia óculos a pessoas com deficiência visual, ofertando a consulta oftalmológica gratuitamente ou a um baixo valor e as lentes, e um parceiro oferta a armação e o serviço para os óculos. Ao longo dos anos contamos com a parceria da Joalheria e Ótica Loch e neste momento com a Gui Presentes. Essa campanha há alguns anos foi levada para a rede municipal de ensino, onde foi aplicado o teste de acuidade visual em toda a rede, propiciando a identificação prematura e a correção visual em um elevado número de crianças. De forma semelhante os recursos angariados com a Boneca Viva e Pequeno Príncipe dão sustentação ao Banco Ortopédico, que opera quase o mesmo tempo de existência do Clube, que na terça (15) comemorou seus 49 anos de fundação. Anualmente o clube participa, junto com os outros Lions de Balneário Camboriú de um Feira da Saúde, onde é ofertado à comunidade orientação e testes rápidos, tais como acuidade visual, glicemia, revisão odontológica, etc. Diante da atual pandemia, no Lions Clube BC Centro surgiu a iniciativa de um banco de alimentos para socorrer a comunidade mais carente e aqueles que foram vitimados pelas circunstâncias e se tornaram necessitados desse apoio. Acabou se transformando no Banco de Alimentos dos Clubes de Serviço de Balneário Camboriú e Camboriú, que congrega todos os clubes de Lions e de Rotary de Balneário Camboriú e Camboriú, além do LEO Clube de Balneário Camboriú e do ROTARACT. Esse banco de alimentos fornece periodicamente cestas básicas à comunidade, após um criterioso processo de avaliação da real necessidade. Iniciamos esta gestão de 2020/2021 como um desafio a criatividade para fazer frente às questões como a desapropriação da sede e as restrições impostas pela pandemia COVID-19. Nossas principais atividades foram comprometidas em sua execução, pois tem por base a participação comunitária e a consequente concentração de pessoas. Quanto a sede dos Lions Clubes, foi desapropriada para dar resposta a demandas de ampliação do sistema viário da cidade. Para os Clubes de Lions de Balneário Camboriú ficou clara a necessidade de dar prioridade à expansão da infraestrutura de cidade e agora estamos iniciando as ações para a compra de local e construção de uma nova sede. Os valores acordados como pagamento permitirão a construção de um prédio mais adequado a atender as necessidades dos clubes e da comunidade, ofertando um local mais amplo para nossas campanhas e com acessibilidade, o que já não contávamos no antigo prédio e local. O futuro do movimento em Balneário Camboriú está diretamente ligado a energia dos associados aos cinco Lions Clubes hoje existentes. Acreditamos que o modelo está se esforçando para acompanhar as mudanças, em especial as promovidas pela tecnologia e as exigidas neste momento de pandemia. No meu clube e imagino não ser diferente nos outros, estamos ainda tentando nos adaptar a reuniões virtuais, ao uso de ferramentas de comunicação e a necessidades de manusear equipamentos cada vez mais sofisticados e adaptar nossas atividades a novas regras de interação social. Temos que considerar que uma parcela significativa dos nossos integrantes tem bem mais de 60 anos, e não demandavam no seu dia a dia tais meios. Mas tem algo que é constante a um associado de Lions: a vontade de ajudar outras pessoas, seja de forma direta ou por meio da promoção de campanhas e de serviços. Isso faz com que acreditemos em futuro de muito trabalho e auxílio comunitário, pois demandas sempre teremos e vontade de fazer idem”.

Banco ortopédico lions

“O Lions é uma escola”

Guilherme Luis Hartmann, presidente do Lions Clube Governador Célio Gascho

“O Clube tem 25 anos de existência e eu estou há seis anos no movimento, em minha segunda gestão como presidente. Tem sido um desafio, principalmente precisar adaptar as nossas campanhas para essa nova realidade que estamos vivendo. Nossas principais campanhas são a Noite Italiana, O Banco Ortopédico, com o empréstimo de cadeira de rodas, fomos responsáveis também pela fundação da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Balneário Camboriú, e temos a campanha de prevenção à diabetes, que queremos retomar em novembro, que é o mês do combate à doença. Essa ação é em parceria com os Lions de Balneário e de Camboriú, temos o comprometimento de uma vez por mês fazer testes em pontos de alguma das cidades. Pretendemos também fazer as campanhas de Natal e Dia das Crianças. Normalmente fazemos festas em alguma escola, mas neste ano terá que ser diferente, passaremos nos bairros distribuindo presentes. A renda virá da Lasanha do Leão, que faremos em outubro. Os interessados deverão encomendar e entregaremos ela congelada. Sobre a sede, vejo que ela é fundamental para todos os Clubes, nossas campanhas e reuniões são todas em torno dela. Mudanças são sempre boas para renovar, estávamos na antiga sede desde a década de 80, e ela realmente estava pequena para nossas campanhas. Agora teremos a oportunidade de construir uma sede nova com mais espaço, e vejo que é importante estarmos em um bairro, apesar de que atendemos a todos independente do endereço da sede. O Lions é uma escola, aprendemos e compartilhamos informações, e sem sombra de dúvidas forma o caráter das pessoas, com oportunidade hoje de ingressar no movimento desde crianças. Assim como outros movimentos, como os escoteiros e o Rotary, ensinamos princípios, é uma oportunidade de conhecer novas pessoas, aumentar conhecimento, interagindo, e aprendendo a valorizar quem ajuda e quem precisa de ajuda. Somos uma ponte, procuramos quem quer ajudar para quem está precisando, já que muitas pessoas querem ajudar, mas não sabem como”.


“O nosso clube foi o primeiro feminino de SC”

Débora Gascho, jornalista e ex-presidente do Lions Clube Governador Célio Gascho

“Meu pai presidiu o movimento a nível nacional, e por isso o clube leva o nome dele. Minha mãe foi a presidente fundadora em Balneário Camboriú. O voluntariado faz parte da minha vida desde a infância, na convivência com meu pai e minha mãe que sempre se dedicaram intensamente ao serviço humanitário, e me ensinaram que a solidariedade é o sentimento que significa respeito à dignidade humana. O meu engajamento ativo no trabalho voluntário iniciou há 25 anos, com o ingresso no movimento de Lions Internacional como associada fundadora do Lions Clube Balneário Camboriú CL Gov. Célio Gascho, que teve o diferencial de ser, inicialmente, exclusivamente feminino. Durante muitos anos o Lions foi formado somente por homens, as mulheres começaram no movimento no início de 1990, e o nosso Clube foi fundado em 1995, sendo o primeiro feminino de Santa Catarina e o quinto do Brasil nesse sentido, até se tornar misto. Somos bem atuantes, temos o legado de termos fundado a Rede Feminina de Combate ao Câncer de Balneário, entramos como voluntárias fundadoras, mais de 140 somente nesse começo. Sempre realizamos campanhas de arrecadação em prol de asilos, orfanatos, escolas e creches, através da Noite Italiana e de bazares. Fazemos também campanhas ligadas ao meio ambiente, mutirões de saúde. Desde 2019 começamos a campanha de prevenção à diabetes, que precisou ser interrompida por conta da pandemia, mas assim que for possível queremos retomar, seguindo todos os cuidados necessários. Temos 1,4 milhões de associados no mundo todo, o Lions está em quase todos os países. Somos divididos em Clubes, mas queremos estar cada vez mais unidos. A nossa sede é utilizada por todos os clubes, além do Leo, que é focado nos jovens. Até que tenhamos o novo espaço fará uma falta danada, mas espero que tudo dê certo e que aconteça logo”.


“O leonismo é forte em Balneário por conta da existência da sede”

O advogado Valdir de Andrade é Membro Melvin Jones do Lions Clube Balneário Camboriú Centro, atualmente sendo diretor de marketing da entidade; ele presidiu o Clube em 2011, nas comemorações de 40 anos de existência do BC Centro

“Tenho 16 anos de Lions, fui presidente em 2011 quando o nosso Lions BC Centro estava completando 40 anos, também já fui presidente de divisão e instrutor leonístico, hoje ocupo o cargo de diretor de marketing e sou assessor jurídico do processo de desapropriação de nossa antiga sede, que já foi demolida. Há oito imóveis que nos mostraram, estamos analisando e também será encaminhado para uma comissão. Hoje, a melhor opção é um terreno no Bairro São Judas. Queremos fazer uma sede igual, ou preferencialmente até melhor, do que a que tínhamos antes. Vendemos o local por R$ 4,6 milhões, mas precisaremos cobrir um valor passivo, trabalhista e tributário, que ainda em 2011 perdemos para o governo da época e até hoje estamos brigando pela questão tributária. Somente R$ 90 mil é para IPTU, mas iremos fazer uma ação para repatriar esse valor, assim investiremos na sede ou em campanhas. Vejo que se a sede realmente estiver em um bairro conseguiremos acessar melhor a comunidade; é um recomeço, queremos construir algo novo, uma sede ampla, que possa dar um bom retorno para as nossas campanhas. Estamos idealizando uma junto ao Hemosc (Hemocentro de SC), queremos fazer um cadastro para um futuro banco de sangue na região, com coletas mensais ou bimestrais, pois muitas pessoas dizem que querem doar, mas não conseguem ir até Blumenau. Sobre a sede, queremos fazer uma estrutura com acessibilidade, com rampa e elevador. O leonismo é forte em Balneário por conta da existência da sede, ter um ponto de encontro é essencial. No pós-pandemia isso será ainda mais importante. Virtualizamos as reuniões, mas na sede acontece a confraternização, onde um leão pode abraçar o outro. Estou em Balneário desde 1982, e minhas melhores amizades fiz dentro do Lions, onde aprendi o espírito de servir, de estar junto, o companheirismo. Vim de outros movimentos, como o estudantil, antes de ingressar no Lions, mas o Lions é uma escola de líderes, o protocolo e formalismo que seguimos nos mantêm retos, há muito respeito entre os pares. Não somos um clube de janta, como muitos dizem, contribuímos muito com a sociedade. Agora com a nova sede queremos interligar ainda mais os Clubes, nosso processo será transparente, o patrimônio está no CNPJ do Lions Centro, mas é de todos. Esperamos conseguir construir a sede em menos de um ano, a estrutura será pré-moldada, com apelo estético, acessível e sustentável, com captação de luz e reaproveitamento de água, estacionamento e isolamento acústico”.



Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade