Bombeiros já estão preparando o verão: querem câmeras nas praias agrestes e comprar novas motos aquáticas

Na reurbanização da Praia Central sugerem modelo dos novos postos de salva vidas

- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -
- Publicidade -
O Comandante na Tribuna Livre (Foto Márcio Gonçalves)

O tenente-coronel José Ananias Carneiro, comandante do 13° Batalhão Bombeiro Militar, esteve na Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú, na sessão desta terça-feira (5), onde falou sobre as ações desenvolvidas pela corporação na temporada de verão 2021/2022 e as perspectivas para as próximas temporadas. 

Os vereadores questionaram o comandante sobre várias questões, entre elas, a redução dos guarda-vidas depois da temporada, como acontece todos os anos. Ele também conversou com o Página 3 e relatou como foi a visita, destacando que a Câmara de Balneário é grande parceira dos bombeiros.

“Sempre estiveram vigilantes quando ocorreu o alargamento, pensando na segurança na orla, e por isso é sempre bacana irmos à Câmara prestar contas, falar o que precisamos… foi extremamente positivo”, diz.

Praia não teve desnível, mas correntes de retorno mudaram

Os guarda-vidas que atuam em Balneário (Divulgação/13BBM)
- Publicidade -

Ananias salienta que situações como a Covid-19 e o alargamento da faixa de areia da Praia Central incentivaram o público a vir para Balneário, principalmente entre o fim de dezembro e início de janeiro. 

“Veio muita gente! E isso redobrou o nosso serviço, trouxe muitas preocupações. O mar mudou, comento isso porque é importante pontuar que a prefeitura sempre esteve em contato conosco, desde o início falaram que tinham receio de acontecer como em Canasvieiras, em Florianópolis, que houve um desnível no mar, ficou mais profundo. Em Balneário isso não aconteceu, mas as correntes de retorno mudaram, e por isso precisamos fazer o monitoramento dos pontos de risco, colocamos bandeiras, isolamos com fita”, comenta.

Ocorrências do verão

O comandante salienta que na área coberta pelos guarda-vidas não houve morte, mas foram mais de 400 arrastamentos ao longo do verão, todos resgatados. 

Guarda-vidas trabalharam bastante no verão (Divulgação/13BBM)
Bombeiros e guarda-vidas realizam atividades educacionais durante o verão (Divulgação/13BBM)

“Também houve o atendimento de 800 crianças que se perderam, queimaduras por água-viva, brigas, embarcações que precisaram ser resgatadas, pessoas que passavam mal… atendemos de tudo! Mas pudemos perceber que atendemos com eficiência e mantivemos a segurança para os banhistas”, relembra.

Câmeras nas praias agrestes

- Publicidade -

Ananias diz que os vereadores relataram uma ‘preocupação pertinente’: a redução dos guarda-vidas com o fim da temporada. Porém, não é possível ter guarda-vidas em qualquer praia, ainda mais sem movimento. 

O último afogamento, ocorrido no Estaleirinho (Divulgação/13BBM)

“Mas em Balneário temos um sistema de videomonitoramento que faz o mapeamento das correntes de retorno, em toda a praia central. Quando há a iminência de ser pego (o banhista), ele já é resgatado. Queremos instalar câmeras nas praias agrestes também, temos o recurso para isso, fizemos correções no certame porque também temos obrigação da transparência, da legalidade, e mês que vem deve voltar, se tudo der certo… é um pouco demorado, mas até no verão devem estar funcionando”, pontua.

Bombeiros também querem novas motos aquáticas

Motos aquáticas ajudam em atendimentos. Bombeiros querem comprar duas novas para o verão (Divulgação/13BBM)

Os bombeiros de Balneário tem duas motos aquáticas, que já estão defasadas, e por isso querem adquirir mais duas. “Quando o videomonitoramento mostra o banhista, a moto aquática consegue chegar em qualquer ponto da praia em minutos. Em lugar nenhum no Brasil temos atendimentos tão rápidos, pretendemos replicar isso nas praias agrestes. Infelizmente o que falta é justamente a consciência dos banhistas entre as operações, que é quando é perigoso, quando a praia está sem movimento, a pessoa entra sozinha, como o ocorrido no Estaleirinho, quando o pior aconteceu (relembre aqui)”, acrescenta.

Expectativa para reurbanização e novos postos

Quadriciclos ajudam a monitorar a praia em dias menos movimentados (Divulgação/13BBM)
- Publicidade -

Na Praia Central rodam quatro quadriciclos, que conseguem cobrir grandes áreas, mas em períodos de muito movimento é difícil utilizá-los. Em dias com poucos banhistas é positivo e vem sendo utilizado com frequência. 

“Para este ano temos como meta comprar as motos aquáticas e startar o videomonitoramento nas praias agrestes. Talvez não aconteça neste ano, mas também esperamos os novos postos. Passamos para a equipe do Escritório Índio da Costa os modelos que queremos, para fazerem na reurbanização da Avenida Atlântica, incluindo na Barra Sul, onde tinha pouco movimento, porque a praia era estreita e agora equalizou”, completa.

- Publicidade -
spot_imgspot_img
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
%d blogueiros gostam disto: