Jornal Página 3
Coluna
ALBC Ecos Literários
Por Academia de Letras

ELES CONTINUAM AFIRMANDO, TU ÉS LOUCO!

Será que sou louco mesmo?

Só porque em lugar desses braços,
eu queria ter duas asas,
para poder voar
como uma gaivota anda na terra?

Sou louco, porque
eu ando pelas ruas
com a mão no bolso do infinito.

Louco porque ando
de cabeça baixa,
olhando para os pés,
porque são verdes de esperança.

Doido, porque amo minhas duas Mães:
a que me criou e fez eu ser o que sou...
e a que me deixa verde de alegria,
a natureza.

Eu posso, ser louco, e daí?

Um louco que quer
uma casinha onde mora o sol,
que dorme no chão,
para não cair da cama.

E ter na parede do meu quarto,
o pôster do futuro.
Sabe o que eu acho?
Devo ser louco!

Porque eu vi a estátua de Jesus Cristo,
bater palmas, quando o Brasil ganhou a copa.
corro para o meu quarto,
e me escondo, debaixo da cama!

Você está sacando?
Que o homem pode ocupar a lua.

Pobrezinha da lua,
ficaria igualzinha à terra.

Dizem que sou tantã,
porque converso com os insetos!
Doido, pois penso pelas estrelas.
Pinel, porque medito através da lua.

Além de tudo, sou desligado,
e tenho mais percepção do que visão,
e creio no destino.

Sou lelé porque curto a música,
sou careta porque estudo,
e não admiro o álcool.

Não é à toa que me chamam de louco...
mas na verdade,
me acho estranho.

Além de ser doido, louco,
careta, Pinel, lelé, tantã e estranho,
gosto demais de viver,
amo a vida como ela é...

Eu sou um ser humano,
um animal que dizem ser racional,
e sendo tal sou normal.

Vocês não acham que é uma
lou... lou... loucura
extraordinária e inédita...?

 

Eduardo Torto Meneghelli (composta em 1985)

 

Site da Academia de Letras: http://albc.com.br/

Escrito por Academia de Letras, 06/08/2018 às 10h25 | elianarjz@gmail.com



Academia de Letras

Assina a coluna ALBC Ecos Literários


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br

Página 3
ALBC Ecos Literários
Por Academia de Letras

ELES CONTINUAM AFIRMANDO, TU ÉS LOUCO!

Será que sou louco mesmo?

Só porque em lugar desses braços,
eu queria ter duas asas,
para poder voar
como uma gaivota anda na terra?

Sou louco, porque
eu ando pelas ruas
com a mão no bolso do infinito.

Louco porque ando
de cabeça baixa,
olhando para os pés,
porque são verdes de esperança.

Doido, porque amo minhas duas Mães:
a que me criou e fez eu ser o que sou...
e a que me deixa verde de alegria,
a natureza.

Eu posso, ser louco, e daí?

Um louco que quer
uma casinha onde mora o sol,
que dorme no chão,
para não cair da cama.

E ter na parede do meu quarto,
o pôster do futuro.
Sabe o que eu acho?
Devo ser louco!

Porque eu vi a estátua de Jesus Cristo,
bater palmas, quando o Brasil ganhou a copa.
corro para o meu quarto,
e me escondo, debaixo da cama!

Você está sacando?
Que o homem pode ocupar a lua.

Pobrezinha da lua,
ficaria igualzinha à terra.

Dizem que sou tantã,
porque converso com os insetos!
Doido, pois penso pelas estrelas.
Pinel, porque medito através da lua.

Além de tudo, sou desligado,
e tenho mais percepção do que visão,
e creio no destino.

Sou lelé porque curto a música,
sou careta porque estudo,
e não admiro o álcool.

Não é à toa que me chamam de louco...
mas na verdade,
me acho estranho.

Além de ser doido, louco,
careta, Pinel, lelé, tantã e estranho,
gosto demais de viver,
amo a vida como ela é...

Eu sou um ser humano,
um animal que dizem ser racional,
e sendo tal sou normal.

Vocês não acham que é uma
lou... lou... loucura
extraordinária e inédita...?

 

Eduardo Torto Meneghelli (composta em 1985)

 

Site da Academia de Letras: http://albc.com.br/

Escrito por Academia de Letras, 06/08/2018 às 10h25 | elianarjz@gmail.com



Academia de Letras

Assina a coluna ALBC Ecos Literários


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade