Jornal Página 3
Coluna
Cá Pra Nós
Por Fernando Baumann

Boa nova

 Dia nublado, olho e não entendo. Onde está a nuvem, dentro ou fora de mim? Uma vez por ano é assim, lente embaçada com dia certo pra chegar. Vejo a alegria contagiante de muitos, ansiosos por comemorar. Eu me recolho.

Pra mim é diferente. Quando criança gostava de dias de chuva pra poder ficar dentro de casa, perdido em meu mundo de brincadeiras e sonhos. Talvez seja isso que ainda aconteça neste dia, o menino que quer ficar só.

Alguns anos eu sumia, em outros eu ia visitar meus avós em seus lares póstumos. Saudade do que vivemos ou lembrança do que deixamos de viver. Queria silêncio e não ruídos.

Um olhar para dentro, como que buscando minha essência e verdade. Uma data interessante para refletir sobre o que já fiz e o que ainda vou querer fazer.

Um tanto egoísta, mas é o “efeito mola” em ação, quando encolho pra depois expandir, impulsionar.

Depois a nuvem dissipa.

Escrito por Fernando Baumann, 20/09/2019 às 09h42 | fernando@bba-reiki.com.br



Fernando Baumann

Assina a coluna Cá Pra Nós

Economista, empresário e militante das causas coletivas, acredita no associativismo e cooperativismo como ferramentas para a construção de uma sociedade mais justa. Busca incessantemente evoluir como ser humano e social.














Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br

Página 3
Cá Pra Nós
Por Fernando Baumann

Boa nova

 Dia nublado, olho e não entendo. Onde está a nuvem, dentro ou fora de mim? Uma vez por ano é assim, lente embaçada com dia certo pra chegar. Vejo a alegria contagiante de muitos, ansiosos por comemorar. Eu me recolho.

Pra mim é diferente. Quando criança gostava de dias de chuva pra poder ficar dentro de casa, perdido em meu mundo de brincadeiras e sonhos. Talvez seja isso que ainda aconteça neste dia, o menino que quer ficar só.

Alguns anos eu sumia, em outros eu ia visitar meus avós em seus lares póstumos. Saudade do que vivemos ou lembrança do que deixamos de viver. Queria silêncio e não ruídos.

Um olhar para dentro, como que buscando minha essência e verdade. Uma data interessante para refletir sobre o que já fiz e o que ainda vou querer fazer.

Um tanto egoísta, mas é o “efeito mola” em ação, quando encolho pra depois expandir, impulsionar.

Depois a nuvem dissipa.

Escrito por Fernando Baumann, 20/09/2019 às 09h42 | fernando@bba-reiki.com.br



Fernando Baumann

Assina a coluna Cá Pra Nós

Economista, empresário e militante das causas coletivas, acredita no associativismo e cooperativismo como ferramentas para a construção de uma sociedade mais justa. Busca incessantemente evoluir como ser humano e social.