Jornal Página 3
Coluna
Cá Pra Nós
Por Fernando Baumann

Proposta pública três(e última)

Para fechar meu estado estúpido de classe e raciocínio, ouvi dizer que o postulante ao executivo algumas vezes precisa negociar política e economicamente suas boas intensões, e que chegar lá limpo e puro é uma árdua missão.

Dizem que financeiramente uma campanha é muito cara e que recursos são necessários, bem como fatiar o governo entre aliados e outros interessados é normal.

Não acredito que seja assim, mas supondo que em algum momento possa acontecer, cumprir compromissos de campanha atrelados a dívidas é algo de mais nocivo que possa existir, pois premia as benesses de uma minoria barulhenta que submete o desenvolvimento coletivo ao seu próprio eixo. Vai lá, faz o prefeito ser um pau mandado**.

Peço aos nossos candidatos para serem absolutamente inflexíveis às tentações, mesmo que custe o intento. Não vença a qualquer custo, pois não existe almoço gratuito, diz a lenda.

No final, quem paga a conta é o munícipe.

 

**pessoa que obedece a tudo incondicionalmente, sem objeções, resistência ou protesto. 

Escrito por Fernando Baumann, 05/03/2020 às 08h43 | fernando@bba-reiki.com.br



Fernando Baumann

Assina a coluna Cá Pra Nós

Formado em Ciências Econômicas, empresário e militante das causas coletivas, acredita no associativismo e cooperativismo como ferramentas para a construção de uma sociedade mais justa. Busca incessantemente evoluir como ser humano e social.














Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: [email protected]

Página 3
Cá Pra Nós
Por Fernando Baumann

Proposta pública três(e última)

Para fechar meu estado estúpido de classe e raciocínio, ouvi dizer que o postulante ao executivo algumas vezes precisa negociar política e economicamente suas boas intensões, e que chegar lá limpo e puro é uma árdua missão.

Dizem que financeiramente uma campanha é muito cara e que recursos são necessários, bem como fatiar o governo entre aliados e outros interessados é normal.

Não acredito que seja assim, mas supondo que em algum momento possa acontecer, cumprir compromissos de campanha atrelados a dívidas é algo de mais nocivo que possa existir, pois premia as benesses de uma minoria barulhenta que submete o desenvolvimento coletivo ao seu próprio eixo. Vai lá, faz o prefeito ser um pau mandado**.

Peço aos nossos candidatos para serem absolutamente inflexíveis às tentações, mesmo que custe o intento. Não vença a qualquer custo, pois não existe almoço gratuito, diz a lenda.

No final, quem paga a conta é o munícipe.

 

**pessoa que obedece a tudo incondicionalmente, sem objeções, resistência ou protesto. 

Escrito por Fernando Baumann, 05/03/2020 às 08h43 | fernando@bba-reiki.com.br



Fernando Baumann

Assina a coluna Cá Pra Nós

Formado em Ciências Econômicas, empresário e militante das causas coletivas, acredita no associativismo e cooperativismo como ferramentas para a construção de uma sociedade mais justa. Busca incessantemente evoluir como ser humano e social.