Jornal Página 3
Coluna
Cá Pra Nós
Por Fernando Baumann

Eita gente doida

Impossível passar por este momento e não observar como a humanidade está enlouquecida. É tanta coisa acontecendo que beira a irracionalidade, parece que a pandemia despertou um gigante adormecido. Terrível este gigante.

Paciência e tolerância a muito se foram; as opiniões sobrepõe as relações; se não comungar da mesma ideologia está contra mim; a negação da ciência; a manipulação dos fatos conforme interesses particulares. Que fase!

Academias, tratamentos de beleza e remédios que prolongam a vida são equívocos sistemáticos de uma sociedade que quer se exibir. Não estou dizendo que não são importantes, muito pelo contrário. A questão aqui é o propósito para que servem, que é se exibir. Ser mais belo, mais forte e mais interessante que o outro. De corpo, claro.

E da mente, quem cuida, quem trata, quem exercita? Qual a atividade regular para mantê-la em boas condições?

Claro, os ansiolíticos, as drogas e todo tipo de dependência. Estes são os “exercícios” praticados. Talvez por isso os ataques, as depressões e os suicídios.

Sociedade doente. É só um palpite.

Escrito por Fernando Baumann, 13/05/2020 às 11h42 | fernando@bba-reiki.com.br



Fernando Baumann

Assina a coluna Cá Pra Nós

Formado em Ciências Econômicas, empresário e militante das causas coletivas, acredita no associativismo e cooperativismo como ferramentas para a construção de uma sociedade mais justa. Busca incessantemente evoluir como ser humano e social.














Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: [email protected]

Página 3
Cá Pra Nós
Por Fernando Baumann

Eita gente doida

Impossível passar por este momento e não observar como a humanidade está enlouquecida. É tanta coisa acontecendo que beira a irracionalidade, parece que a pandemia despertou um gigante adormecido. Terrível este gigante.

Paciência e tolerância a muito se foram; as opiniões sobrepõe as relações; se não comungar da mesma ideologia está contra mim; a negação da ciência; a manipulação dos fatos conforme interesses particulares. Que fase!

Academias, tratamentos de beleza e remédios que prolongam a vida são equívocos sistemáticos de uma sociedade que quer se exibir. Não estou dizendo que não são importantes, muito pelo contrário. A questão aqui é o propósito para que servem, que é se exibir. Ser mais belo, mais forte e mais interessante que o outro. De corpo, claro.

E da mente, quem cuida, quem trata, quem exercita? Qual a atividade regular para mantê-la em boas condições?

Claro, os ansiolíticos, as drogas e todo tipo de dependência. Estes são os “exercícios” praticados. Talvez por isso os ataques, as depressões e os suicídios.

Sociedade doente. É só um palpite.

Escrito por Fernando Baumann, 13/05/2020 às 11h42 | fernando@bba-reiki.com.br



Fernando Baumann

Assina a coluna Cá Pra Nós

Formado em Ciências Econômicas, empresário e militante das causas coletivas, acredita no associativismo e cooperativismo como ferramentas para a construção de uma sociedade mais justa. Busca incessantemente evoluir como ser humano e social.