Jornal Página 3
Coluna
CINERAMA BC
Por André Gevaerd

FLORIANÓPOLIS RECEBE FESTIVAL DE CINEMA E DIREITOS HUMANOS


*** programação reúne 37 filmes, representando oito países da América do Sul

 

*** acessibilidade garantida em sessões com audiodescrição e closed caption

 

*** na programação, diversos longas-metragens inéditos no Brasil

 

*** elencos das obras destacam Denise Fraga, Simone Spoladore, Bruno Perillo,

Antonio Petrim, Caio Blat, Daniel de Oliveira, Cássio Gabus Mendes e Ângelo Antônio

 

*** Lei Maria da Penha inspira dois filmes brasileiros

 

Um total de 37 filmes, incluindo vários títulos inéditos no país, estão na programação da 7ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul, que inicia-se a partir de 7 de novembro e segue até 20 de dezembro, atingindo as 26 capitais estaduais brasileiras e o Distrito Federal, sempre com entrada franca.

 

O grande homenageado do evento em 2012 é o brasileiro Eduardo Coutinho, considerado um dos mais importantes documentaristas da atualidade em todo o mundo. Seu trabalho é reconhecido pela sensibilidade e pela capacidade de ouvir o outro, registrando sem sentimentalismos as emoções e aspirações das pessoas comuns. Estão programados o clássico “Cabra Marcado Para Morrer” (1984), premiado no Festival de Berlim, “Santo Forte” (1999), um mergulho na intimidade de católicos, umbandistas e evangélicos de uma favela carioca, e “O Fio da Memória” (1991), mosaico sobre a experiencia negra no Brasil a partir da figura de um artista popular. Coutinho tem encontro com o público no dia 24/11, sábado, às 16h30, na Cinemateca Brasileira (São Paulo).

 

A programação traz ainda uma série de títulos inéditos no circuito comercial, como os longas-metragens “Hoje”, de Tata Amaral, e “O Dia Que Durou 21 Anos”, de Camilo Tavares. O documentário “O Dia Que Durou 21 Anos” revela documentos secretos que confirmam articulações de governos norte-americanos para a derrubada do presidente João Goulart, seguida pela instauração da ditadura militar brasileira (1964-1985). “Hoje”, por seu turno, aborda reflexos atuais de fatos ocorridos durante essa mesma ditadura e tem no elenco Denise Fraga e o ator uruguaio Cesar Troncoso. O filme foi o grande vencedor do Festival de Brasília, onde acumulou cinco premiações, inclusive de melhor filme e de melhor atriz.

 

Também inédito comercialmente no país, o colombiano “Chocó”, de Johnny Hendrix Hinestroza, foi lançado pelo Festival de Berlim deste ano e transformou-se em grande sucesso de público: meio milhão de pessoas assistiram ao filme na Colômbia. A obra destaca os problemas do desemprego, do desalojamento e da violência doméstica.

 

Com sua estreia mundial também promovida pelo Festival de Berlim, o indicado oficial pelo Uruguai ao Oscar de Filme Estrangeiro “A Demora” mostra uma mulher, de família pobre, que não consegue internar seu idoso pai em um asilo e acaba tomando uma atitude drástica. Assinado pelo cultuado diretor Rodrigo Plá, o longa é inédito nas salas brasileiras.

 

Maior bilheteria de um documentário em cinemas do Equador, “Com o Meu Coração em Yambo” tem sua estreia brasileira na 7ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul. Trata-se da história de uma família colombiana que foge da violência política de seu país e acaba tendo dois de seus filhos sequestrados e desaparecidos no Equador. A filha caçula María Fernanda Restrepo é a diretora do filme e nele realiza uma viagem pessoal misturada à memória de todo um país marcado por sua história.

 

Longa-metragem inédito no Brasil, o paulista “Último Chá”, de David Kullock, focaliza um solitário que vive em um velho casarão em demolição e cujo filho foi assassinado pela ditadura militar. Bruno Perillo e Antonio Petrim lideram o elenco.


Duas obras focalizam a lei Maria da Penha, que alterou o Código Penal Brasileiro, permitindo que agressores de mulheres no âmbito doméstico sejam presos em flagrante ou tenham a prisão preventiva decretada: o média-metragem “O Silêncio das Inocentes”, de Ique Gazzola, e o curta “Maria da Penha: Um Caso de Litígio Internacional”, de Felipe Diniz. A lei leva o nome da biofarmacêutica cearense que ficou paraplégica após ser baleada pelo marido.

 

Na programação está ainda “Elvis & Madona”, longa vencedor do Prêmio da Associação de Correspondentes Estrangeiros (ACIE) nas categorias melhor ator (para Igor Cotrim, melhor atriz (para Simone Spoladore), melhor diretor (para Marcelo Laffitte) e melhor filme segundo o júri popular. O divertido enredo acompanha o envolvimento de uma travesti com uma jovem entregadora de pizza.

 

Já "Batismo de Sangue", dirigido por Helvécio Ratton, trata da participação de frades dominicanos na luta clandestina contra a ditadura militar brasileira, no fim dos anos 1960. Adaptado do livro homônimo de Frei Betto, vencedor do prêmio Jabuti, o filme foi vencedor dos prêmios de melhor direção e melhor fotografia no Festival de Brasília e tem no elenco Caio Blat, Daniel de Oliveira, Cássio Gabus Mendes e Ângelo Antônio.

 

As projeções da 7ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul acontecem nas seguintes cidades: Aracaju, Belém, Belo Horizonte, Boa Vista, Brasília, Campo Grande, Cuiabá, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Goiânia, João Pessoa, Macapá, Maceió, Manaus, Natal, Palmas, Porto Alegre, Porto Velho, Recife, Rio Branco, Rio de Janeiro, Salvador, São Luís, São Paulo, Teresina e Vitória. Em todos os locais há acessibilidade a pessoas com deficiência e as sessões contam com sistema de audiodescrição e de closed caption (voltadas a deficientes visuais e auditivos, respectivamente).

 

Uma realização da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, com produção da Cinemateca Brasileira/MinC e patrocínio da Petrobras, a Mostra tem o objetivo de celebrar o aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, proclamada pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948,  exibindo filmes produzidos recentemente nos países sul-americanos, criando espaços para que produtores e demais profissionais do cinema possam divulgar seus trabalhos relacionados aos Direitos Humanos.

 

A iniciativa conta com apoio do Ministério das Relações Exteriores, da TV Brasil, da Sociedade Amigos da Cinemateca e do Sesc. As obras mais votadas pelo público são contempladas com o Prêmio Exibição TV Brasil nas categorias longa, média e curta-metragem. A programação tem curadoria do cineasta e curador Francisco Cesar Filho.

 

Mais informações podem ser acessadas através do website www.cinedireitoshumanos.org.br.

Escrito por André Gevaerd, 31/10/2012 às 10h26 | andre@cineramabc.com

Os filmes mais votados na Mostra International de Cinema em São Paulo.

As sessões da Mostra são sempre cheias. Afinal, são exibidos filmes ganhadores de prêmios dos maiores festivais do mundo, além de retrospectivas incríveis (esse ano a homenagem é ao diretor russo Andrei Tarkovsky) e também filmes esperados pelo público. E até as sessões ás quatro da tarde, de filmes desconhecidos do público, sempre tem pelo menos uma média de 70 pessoas.

A Mostra divide seus filmes inéditos em Novos Diretores (filmes de diretores em seu primeiro ou segundo longa-metragem) e Perspectiva Internacional. Para muitos dos cinéfilos de plantão durante o Festival, a joia rara é a mostra Novos Diretores, onde se pode descobrir um novo nome do cinema, ou melhor, se pode descobrir antes do sucesso na imprensa ou do público, um grande filme/diretor.

'Padak', de Lee Dae Hee, ficou entre os 14 mais bem votados na Mostra

Esse ano foram 80 filmes, de 80 novos diretores cinematográficos. Cada um teve duas sessões e nelas o público ganhou cédulas para votar de 1 (ruim) a 5 (ótimo). Apenas os 14 filmes mais votados (de Novos Diretores) vão para análise do Juri Oficial da 36ª Mostra, e aí sim, ganham prêmios. 
Dos 14 bem votados do público esse ano, destacam-se: 'Parviz' do iraniano Majid Barzegar, sobre a história de um homem de 55 anos que sempre viveu com o pai e nunca trabalhou, e agora que o pai decidiu se casar, é expulso de cada e tem de aprender a viver e se cuidar sozinho; 'Padak' do coreano Lee Dae Hee, animação sobre um peixe que é capturado e vai parar num aquário de restaurante coreano, e tenta de toda forma voltar ao mar; e o brasileiro 'Cores' do paulista Franscisco Garcia, em preto e branco o filme conta a falta de perspectiva de três jovens amigos na cidade de São Paulo.
trailer do brasileiro 'Cores', primeiro filme de Francisco Garcia, competindo na sessão Novos Diretores
 
Na próxima quinta-feira é a cerimônia de encerramento e premiação da Mostra de São Paulo, e lá serão anunciados os vencedores. Boa sorte á todos!

Escrito por Barbara Sturm, 30/10/2012 às 12h07 | barbara@cineramabc.com

6ª Mostra Latino-Americana de Animação A CAVERNA

Nos dias 28, 29, 30 e 31 de outubro acontece, na Fundação Cultural BADESC, a 6ª edição da Mostra Latino Americana de Animação A CAVERNA. A mostra começa no dia 28 celebrando o Dia Internacional da Animação, com 2 horas de programação dos trabalhos selecionados pela Associação Brasileira de Cinema de Animação. Na segunda-feira inicia a mostra competitiva e paralela e vai até quarta-feira. A CAVERNA deste ano obteve um número recorde de inscrições e um surpreendente aumento do interesse de realizadores de língua hispânica. Para a mostra competitiva foram selecionados 10 animações argentinas, 4 mexicanas, 3 brasileiras e 1 colombiana. Além da mostra competitiva A CAVERNA conta na sua programação com 3 dias de mostras paralelas que tiveram a curadoria de Yannet Briggiler, Thiago Kuntze, Vinícius Nicastro Honesko e Rodrigo Amboni. As exibições da mostra paralela serão ao ar livre, no pátio da Fundação Cultural BADESC. Para finalizar, teremos a estréia em Santa Catarina da animação “Alçapão para gigantes”, mais uma produção O Mago Realizações, com direção de Yannet Briggiler, inspirado no conto de mesmo nome do escritor Péricles Prades.
 

Uma programação instigante, que valoriza a originalidade e a experimentação, e consolida Santa Catarina no cenário Latino Americano de produções independentes de animação.


Maiores informações: www.mostracaverna.com

O que: 6ª Mostra Latino-Americana de Animação A CAVERNA
Quando: 28, 29, 30 e 31 de outubro
Onde: Fundação Cultural BADESC
Horario: 19:00h

Apoio Institucional
FUNCINE, Prefeitura Municipal de Florianópolis e Fundação Cultural Badesc

Produção
O Mago Realizações

Escrito por André Gevaerd, 29/10/2012 às 16h30 | andre@cineramabc.com

"OTELO EM CHAMAS" no Rio de Janeiro

O longa-metragem "OTELO EM CHAMAS" de Sara Blecher, que fez sua première brasil no CINERAMA.BC, continua sua brilhante carreira no Brasil e será projetado no FIFE, 1º Festival Internacional de Filmes de Esporte.

 

O filme foi ganhador do prêmio do público 2012 e pode ser assistido nas seguintes datas:
 
UNIBANCO ARTEPLEX
19h30 – Otelo em chamas | Dir: Sara Blecher | 72 min | 2011 | África do Sul

PONTO CINE
09:00 - Otelo em chamas | Dir: Sara Blecher | 72 min | 2011 | África do Sul
Veja maiores informações no site:

Escrito por André Gevaerd, 20/10/2012 às 15h16 | andre@cineramabc.com

Quer ajudar um filme a ser realizado?

Eliane Ferreira está produzindo o longa-metragem "Bala sem nome", de forma completamente independente. A equipe (reduzida) e o elenco trabalharão sem remuneração, e para fechar o pequeno orçamento do que não conseguiram apoio (17mil reais para alimentação, locações, transporte, equipamento), incluíram o projeto no site Catarse, uma plataforma de financiamento coletivo.

Através do link do filme http://catarse.me/pt/balasemnome qualquer um pode ajudar com a quantia que quiser, e de acordo com o valor de apoio do projeto você tem direito á recompensas que vão desde convites para a Pré Estreia do filme até seu nome como apresentador do longa. 

'Bala sem nome' é o primeiro filme do diretor e roteirista Felipe Cagno. As filmagens estão previstas para começar no dia 30 de Outubro, e durarem 10 dias (enquanto o tempo normal de um longa para ser filmado é de 5 semanas).

O filme conta com grandes nomes no elenco, como Paola Oliveira, Leopoldo Pacheco e Sérgio Marone. A história é a de Suzana, uma jovem que acorda num cativeiro sendo pressionada para devolver um dinheiro que supostamente roubou. A partir daí começa o suspense.

Escrito por Barbara Sturm, 17/10/2012 às 10h41 | barbara@cineramabc.com

'The Master', o filme mais esperado do ano.

O novo longa de Paul Thomas Anderson, diretor de filmes como 'Magnólia' e 'Sangue Negro', tem como protagonistas o ótimo Philip Seymour Hoffman e o imprevisível Joaquin Phoenix.

Seymour Hoffman interpreta o Dr.Lancaster Dodd, autor do livro A Causa, que vê no personagem de Joaquin a cobaia perfeita para seus experimentos que envolvem regressão, psicologia barata e muito carisma. O personagem de Phoenix é usado como um recipiente para reunir todas as características que a cientologia - base para o livro A Causa - diz curar. É um homem com o coração partido, descontrolado e em busca de uma comunidade.

O filme teve sua estréia mundial no último Festival de Veneza. As primeiras exibições do filme foram marcadas para o dia 1º de Setembro com duas sessões: a primeira ás 19hs na Sala Oficial do evento; e a segunda ás 20hs numa sala paralela com capacidade para mais de mil pessoas. Os ingressos (que íam de 25 a 45Euros) foram postos á venda para o público três dias antes da sessão, e claro, esgotaram em poucas horas.

Mas a recepção do filme não foi exemplar, houveram críticas boas e outras medianas. Mas ao Juri Oficial do Festival o filme agradou, a dupla de atores faturou o prêmio de Melhor Ator do Festival de Veneza 2012 (e não deve passar despercebida pelo Oscar 2013) e o diretor Paul Thomas Anderson levou o Leão de Prata pela direção.

Escrito por Barbara Sturm, 11/10/2012 às 12h48 | barbara@cineramabc.com



16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26

André Gevaerd

Assina a coluna CINERAMA BC

Nasceu em Balneário Camboriú, resolveu fazer cinema, mudou-se para São Paulo, fez muitos filmes, voltou para Balneário. Continua fazendo filmes. Diretor do Festival CinemaramaBC e idealizador da sala de cinema e eventos, ArtHouse.














Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br

Página 3
CINERAMA BC
Por André Gevaerd

FLORIANÓPOLIS RECEBE FESTIVAL DE CINEMA E DIREITOS HUMANOS


*** programação reúne 37 filmes, representando oito países da América do Sul

 

*** acessibilidade garantida em sessões com audiodescrição e closed caption

 

*** na programação, diversos longas-metragens inéditos no Brasil

 

*** elencos das obras destacam Denise Fraga, Simone Spoladore, Bruno Perillo,

Antonio Petrim, Caio Blat, Daniel de Oliveira, Cássio Gabus Mendes e Ângelo Antônio

 

*** Lei Maria da Penha inspira dois filmes brasileiros

 

Um total de 37 filmes, incluindo vários títulos inéditos no país, estão na programação da 7ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul, que inicia-se a partir de 7 de novembro e segue até 20 de dezembro, atingindo as 26 capitais estaduais brasileiras e o Distrito Federal, sempre com entrada franca.

 

O grande homenageado do evento em 2012 é o brasileiro Eduardo Coutinho, considerado um dos mais importantes documentaristas da atualidade em todo o mundo. Seu trabalho é reconhecido pela sensibilidade e pela capacidade de ouvir o outro, registrando sem sentimentalismos as emoções e aspirações das pessoas comuns. Estão programados o clássico “Cabra Marcado Para Morrer” (1984), premiado no Festival de Berlim, “Santo Forte” (1999), um mergulho na intimidade de católicos, umbandistas e evangélicos de uma favela carioca, e “O Fio da Memória” (1991), mosaico sobre a experiencia negra no Brasil a partir da figura de um artista popular. Coutinho tem encontro com o público no dia 24/11, sábado, às 16h30, na Cinemateca Brasileira (São Paulo).

 

A programação traz ainda uma série de títulos inéditos no circuito comercial, como os longas-metragens “Hoje”, de Tata Amaral, e “O Dia Que Durou 21 Anos”, de Camilo Tavares. O documentário “O Dia Que Durou 21 Anos” revela documentos secretos que confirmam articulações de governos norte-americanos para a derrubada do presidente João Goulart, seguida pela instauração da ditadura militar brasileira (1964-1985). “Hoje”, por seu turno, aborda reflexos atuais de fatos ocorridos durante essa mesma ditadura e tem no elenco Denise Fraga e o ator uruguaio Cesar Troncoso. O filme foi o grande vencedor do Festival de Brasília, onde acumulou cinco premiações, inclusive de melhor filme e de melhor atriz.

 

Também inédito comercialmente no país, o colombiano “Chocó”, de Johnny Hendrix Hinestroza, foi lançado pelo Festival de Berlim deste ano e transformou-se em grande sucesso de público: meio milhão de pessoas assistiram ao filme na Colômbia. A obra destaca os problemas do desemprego, do desalojamento e da violência doméstica.

 

Com sua estreia mundial também promovida pelo Festival de Berlim, o indicado oficial pelo Uruguai ao Oscar de Filme Estrangeiro “A Demora” mostra uma mulher, de família pobre, que não consegue internar seu idoso pai em um asilo e acaba tomando uma atitude drástica. Assinado pelo cultuado diretor Rodrigo Plá, o longa é inédito nas salas brasileiras.

 

Maior bilheteria de um documentário em cinemas do Equador, “Com o Meu Coração em Yambo” tem sua estreia brasileira na 7ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul. Trata-se da história de uma família colombiana que foge da violência política de seu país e acaba tendo dois de seus filhos sequestrados e desaparecidos no Equador. A filha caçula María Fernanda Restrepo é a diretora do filme e nele realiza uma viagem pessoal misturada à memória de todo um país marcado por sua história.

 

Longa-metragem inédito no Brasil, o paulista “Último Chá”, de David Kullock, focaliza um solitário que vive em um velho casarão em demolição e cujo filho foi assassinado pela ditadura militar. Bruno Perillo e Antonio Petrim lideram o elenco.


Duas obras focalizam a lei Maria da Penha, que alterou o Código Penal Brasileiro, permitindo que agressores de mulheres no âmbito doméstico sejam presos em flagrante ou tenham a prisão preventiva decretada: o média-metragem “O Silêncio das Inocentes”, de Ique Gazzola, e o curta “Maria da Penha: Um Caso de Litígio Internacional”, de Felipe Diniz. A lei leva o nome da biofarmacêutica cearense que ficou paraplégica após ser baleada pelo marido.

 

Na programação está ainda “Elvis & Madona”, longa vencedor do Prêmio da Associação de Correspondentes Estrangeiros (ACIE) nas categorias melhor ator (para Igor Cotrim, melhor atriz (para Simone Spoladore), melhor diretor (para Marcelo Laffitte) e melhor filme segundo o júri popular. O divertido enredo acompanha o envolvimento de uma travesti com uma jovem entregadora de pizza.

 

Já "Batismo de Sangue", dirigido por Helvécio Ratton, trata da participação de frades dominicanos na luta clandestina contra a ditadura militar brasileira, no fim dos anos 1960. Adaptado do livro homônimo de Frei Betto, vencedor do prêmio Jabuti, o filme foi vencedor dos prêmios de melhor direção e melhor fotografia no Festival de Brasília e tem no elenco Caio Blat, Daniel de Oliveira, Cássio Gabus Mendes e Ângelo Antônio.

 

As projeções da 7ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul acontecem nas seguintes cidades: Aracaju, Belém, Belo Horizonte, Boa Vista, Brasília, Campo Grande, Cuiabá, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Goiânia, João Pessoa, Macapá, Maceió, Manaus, Natal, Palmas, Porto Alegre, Porto Velho, Recife, Rio Branco, Rio de Janeiro, Salvador, São Luís, São Paulo, Teresina e Vitória. Em todos os locais há acessibilidade a pessoas com deficiência e as sessões contam com sistema de audiodescrição e de closed caption (voltadas a deficientes visuais e auditivos, respectivamente).

 

Uma realização da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, com produção da Cinemateca Brasileira/MinC e patrocínio da Petrobras, a Mostra tem o objetivo de celebrar o aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, proclamada pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948,  exibindo filmes produzidos recentemente nos países sul-americanos, criando espaços para que produtores e demais profissionais do cinema possam divulgar seus trabalhos relacionados aos Direitos Humanos.

 

A iniciativa conta com apoio do Ministério das Relações Exteriores, da TV Brasil, da Sociedade Amigos da Cinemateca e do Sesc. As obras mais votadas pelo público são contempladas com o Prêmio Exibição TV Brasil nas categorias longa, média e curta-metragem. A programação tem curadoria do cineasta e curador Francisco Cesar Filho.

 

Mais informações podem ser acessadas através do website www.cinedireitoshumanos.org.br.

Escrito por André Gevaerd, 31/10/2012 às 10h26 | andre@cineramabc.com

Os filmes mais votados na Mostra International de Cinema em São Paulo.

As sessões da Mostra são sempre cheias. Afinal, são exibidos filmes ganhadores de prêmios dos maiores festivais do mundo, além de retrospectivas incríveis (esse ano a homenagem é ao diretor russo Andrei Tarkovsky) e também filmes esperados pelo público. E até as sessões ás quatro da tarde, de filmes desconhecidos do público, sempre tem pelo menos uma média de 70 pessoas.

A Mostra divide seus filmes inéditos em Novos Diretores (filmes de diretores em seu primeiro ou segundo longa-metragem) e Perspectiva Internacional. Para muitos dos cinéfilos de plantão durante o Festival, a joia rara é a mostra Novos Diretores, onde se pode descobrir um novo nome do cinema, ou melhor, se pode descobrir antes do sucesso na imprensa ou do público, um grande filme/diretor.

'Padak', de Lee Dae Hee, ficou entre os 14 mais bem votados na Mostra

Esse ano foram 80 filmes, de 80 novos diretores cinematográficos. Cada um teve duas sessões e nelas o público ganhou cédulas para votar de 1 (ruim) a 5 (ótimo). Apenas os 14 filmes mais votados (de Novos Diretores) vão para análise do Juri Oficial da 36ª Mostra, e aí sim, ganham prêmios. 
Dos 14 bem votados do público esse ano, destacam-se: 'Parviz' do iraniano Majid Barzegar, sobre a história de um homem de 55 anos que sempre viveu com o pai e nunca trabalhou, e agora que o pai decidiu se casar, é expulso de cada e tem de aprender a viver e se cuidar sozinho; 'Padak' do coreano Lee Dae Hee, animação sobre um peixe que é capturado e vai parar num aquário de restaurante coreano, e tenta de toda forma voltar ao mar; e o brasileiro 'Cores' do paulista Franscisco Garcia, em preto e branco o filme conta a falta de perspectiva de três jovens amigos na cidade de São Paulo.
trailer do brasileiro 'Cores', primeiro filme de Francisco Garcia, competindo na sessão Novos Diretores
 
Na próxima quinta-feira é a cerimônia de encerramento e premiação da Mostra de São Paulo, e lá serão anunciados os vencedores. Boa sorte á todos!

Escrito por Barbara Sturm, 30/10/2012 às 12h07 | barbara@cineramabc.com

6ª Mostra Latino-Americana de Animação A CAVERNA

Nos dias 28, 29, 30 e 31 de outubro acontece, na Fundação Cultural BADESC, a 6ª edição da Mostra Latino Americana de Animação A CAVERNA. A mostra começa no dia 28 celebrando o Dia Internacional da Animação, com 2 horas de programação dos trabalhos selecionados pela Associação Brasileira de Cinema de Animação. Na segunda-feira inicia a mostra competitiva e paralela e vai até quarta-feira. A CAVERNA deste ano obteve um número recorde de inscrições e um surpreendente aumento do interesse de realizadores de língua hispânica. Para a mostra competitiva foram selecionados 10 animações argentinas, 4 mexicanas, 3 brasileiras e 1 colombiana. Além da mostra competitiva A CAVERNA conta na sua programação com 3 dias de mostras paralelas que tiveram a curadoria de Yannet Briggiler, Thiago Kuntze, Vinícius Nicastro Honesko e Rodrigo Amboni. As exibições da mostra paralela serão ao ar livre, no pátio da Fundação Cultural BADESC. Para finalizar, teremos a estréia em Santa Catarina da animação “Alçapão para gigantes”, mais uma produção O Mago Realizações, com direção de Yannet Briggiler, inspirado no conto de mesmo nome do escritor Péricles Prades.
 

Uma programação instigante, que valoriza a originalidade e a experimentação, e consolida Santa Catarina no cenário Latino Americano de produções independentes de animação.


Maiores informações: www.mostracaverna.com

O que: 6ª Mostra Latino-Americana de Animação A CAVERNA
Quando: 28, 29, 30 e 31 de outubro
Onde: Fundação Cultural BADESC
Horario: 19:00h

Apoio Institucional
FUNCINE, Prefeitura Municipal de Florianópolis e Fundação Cultural Badesc

Produção
O Mago Realizações

Escrito por André Gevaerd, 29/10/2012 às 16h30 | andre@cineramabc.com

"OTELO EM CHAMAS" no Rio de Janeiro

O longa-metragem "OTELO EM CHAMAS" de Sara Blecher, que fez sua première brasil no CINERAMA.BC, continua sua brilhante carreira no Brasil e será projetado no FIFE, 1º Festival Internacional de Filmes de Esporte.

 

O filme foi ganhador do prêmio do público 2012 e pode ser assistido nas seguintes datas:
 
UNIBANCO ARTEPLEX
19h30 – Otelo em chamas | Dir: Sara Blecher | 72 min | 2011 | África do Sul

PONTO CINE
09:00 - Otelo em chamas | Dir: Sara Blecher | 72 min | 2011 | África do Sul
Veja maiores informações no site:

Escrito por André Gevaerd, 20/10/2012 às 15h16 | andre@cineramabc.com

Quer ajudar um filme a ser realizado?

Eliane Ferreira está produzindo o longa-metragem "Bala sem nome", de forma completamente independente. A equipe (reduzida) e o elenco trabalharão sem remuneração, e para fechar o pequeno orçamento do que não conseguiram apoio (17mil reais para alimentação, locações, transporte, equipamento), incluíram o projeto no site Catarse, uma plataforma de financiamento coletivo.

Através do link do filme http://catarse.me/pt/balasemnome qualquer um pode ajudar com a quantia que quiser, e de acordo com o valor de apoio do projeto você tem direito á recompensas que vão desde convites para a Pré Estreia do filme até seu nome como apresentador do longa. 

'Bala sem nome' é o primeiro filme do diretor e roteirista Felipe Cagno. As filmagens estão previstas para começar no dia 30 de Outubro, e durarem 10 dias (enquanto o tempo normal de um longa para ser filmado é de 5 semanas).

O filme conta com grandes nomes no elenco, como Paola Oliveira, Leopoldo Pacheco e Sérgio Marone. A história é a de Suzana, uma jovem que acorda num cativeiro sendo pressionada para devolver um dinheiro que supostamente roubou. A partir daí começa o suspense.

Escrito por Barbara Sturm, 17/10/2012 às 10h41 | barbara@cineramabc.com

'The Master', o filme mais esperado do ano.

O novo longa de Paul Thomas Anderson, diretor de filmes como 'Magnólia' e 'Sangue Negro', tem como protagonistas o ótimo Philip Seymour Hoffman e o imprevisível Joaquin Phoenix.

Seymour Hoffman interpreta o Dr.Lancaster Dodd, autor do livro A Causa, que vê no personagem de Joaquin a cobaia perfeita para seus experimentos que envolvem regressão, psicologia barata e muito carisma. O personagem de Phoenix é usado como um recipiente para reunir todas as características que a cientologia - base para o livro A Causa - diz curar. É um homem com o coração partido, descontrolado e em busca de uma comunidade.

O filme teve sua estréia mundial no último Festival de Veneza. As primeiras exibições do filme foram marcadas para o dia 1º de Setembro com duas sessões: a primeira ás 19hs na Sala Oficial do evento; e a segunda ás 20hs numa sala paralela com capacidade para mais de mil pessoas. Os ingressos (que íam de 25 a 45Euros) foram postos á venda para o público três dias antes da sessão, e claro, esgotaram em poucas horas.

Mas a recepção do filme não foi exemplar, houveram críticas boas e outras medianas. Mas ao Juri Oficial do Festival o filme agradou, a dupla de atores faturou o prêmio de Melhor Ator do Festival de Veneza 2012 (e não deve passar despercebida pelo Oscar 2013) e o diretor Paul Thomas Anderson levou o Leão de Prata pela direção.

Escrito por Barbara Sturm, 11/10/2012 às 12h48 | barbara@cineramabc.com



16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26

André Gevaerd

Assina a coluna CINERAMA BC

Nasceu em Balneário Camboriú, resolveu fazer cinema, mudou-se para São Paulo, fez muitos filmes, voltou para Balneário. Continua fazendo filmes. Diretor do Festival CinemaramaBC e idealizador da sala de cinema e eventos, ArtHouse.