Jornal Página 3
Coluna
CINERAMA BC
Por Barbara Sturm

'Cores', da Kinoosfera Filmes, selecionado para o Festival de San Sebastian.

O primeiro longa-metragem da produtora paulista Kinoosfera Filmes, foi o único filme brasileiro selecionado para o cultuado Festival de Cinema de San Sebastián, que acontece no final de Setembro na Espanha.

O filme é dirigido por Francisco Garcia, diretor de curtas-metragens premiados, e tem produção e montagem do catarinense André Gevaerd.

A organização do festival divide a seleção competitiva em duas: uma delas para diretores consolidados, que competem entre si, e outra seleção oficial com filmes de diretores estreantes, nessa sessão entram apenas primeiros filmes, e a mesma é intitulada Novos Horizontes. O filme disputa o prêmio Kutxa-New Directors Award com outros 16 filmes.

'Cores', que é todo em preto e branco e terá sua estréia mundial em San Sebastián, é um conto de amor e traição entre três jovens amigos em São Paulo, uma cidade enorme em plena ascensão econômica.

Escrito por Barbara Sturm, 04/09/2012 às 16h50 | barbara@cineramabc.com

Curtas Catarinenses Invadem as Telas do Mundo

A produção de curta-metragens catarinenses vem surpreendendo o público por sua qualidade, fato comprovado com a forte penetração destes filmes em prestigiados festivais internacionais.

 

Agora foi a vez de "O JARDINEIRO E O PIRATA" de Patricia Monegatto e Stella Bloss (Florianópolis, Santa Catarina, Brasil) e "QUAL QUEIJO VOCÊ QUER" de Cintia Domit Bittar (Florianópolis, Santa Catarina, Brasil) que continuam uma brilhante carreira.

Os dois filmes foram exibidos no festival CINERAMA.BC e tiveram destaque. Além disso, os filmes compartilham o fato de que uma diversificada produção de cinema está acontecendo em Florianópolis, o que nos leva a acreditar que logo logo um ótimo longa metragem será produzido e dirigido por algum cineasta desta nova geração. Assim uma nova visão de mundo sairá de Floripa, mundo afora.

 

 

Parabéns aos realizadores e ao cinema catarinense.

Veja abaixo maiores informações sobre os festivais:

 

ÁPEIRON
Lisandro José Bauk / Rosario, Santa Fe (Argentina)
ATRAPADO EN ACCIÓN
Manuel Bello / Montevideo (Uruguay)
CAPERUCITA Y EL LEÑADOR EN EL MONTE (DESPUÉS DEL FINAL FELIZ)
Sonia Bertotti  y Juan Manuel Dominguez / Margarita Belén-Chaco (Argentina)
CONEXIÓN
Juan Manuel Ferraro, Federico Molentino y Matías Castillo / La Paz, Santa Cruz de la Sierra (Bolivia)
DÍAS CON MATILDE
Teresa Arredondo / Santiago (Chile)
EL PRISIONERO
Omar Zambrano, Martín Deus y Juan Chappa / Mérida
:ETAD KADOK
Ezequiel Salinas / Córdoba (Argentina)
FLORA
Lorena Stricker / Córdoba (Argentina)
HERENCIAS
Lucas Schiaroli / Córdoba (Argentina)
JUS (ASINUS)
Marcelo Dídimo Souza Vieira / Fortaleza, Ceará (Brasil)
KÁLAKALÁ
Zipi / Córdoba (Argentina)
LA NUBE
Paulo Pécora / La Habana (Cuba)
LA NUERA DE DON FILEMÓN
Gabriel Guzmán / México
MINUTO 200
Frank Benitez / Bogotá (colombia)
NOELIA
María Alché / Capital federal, Buenos Aires (Argentina)
O JARDINEIRO E O PIRATA
Patricia Monegatt y Stella Bloss / Florianópolis, Santa Catarina (Brasil)
OCÉANO SÓLIDO
Tomás Astudillo / Ecuador
PERO LA NOCHE
Gretel Marin Palacio / La Habana (Cuba)
SALÓN ROYALE
Sabrina Campos / Capital Federal, Buenos Aires (Argentina)
TITANES
Edison Cajás / Santiago  (Chile)

Más información
www.cortopolis.com.ar
[email protected]
Facebook: Cortópolis

TOPO GIGIO IS DEAD
David Miranda Hardy (CL)

LAST RESORT
Barney Eliott (US)

WITHOUT BRAKES
Pancho Ortega (MX)

SCREEN
Carlos Nader (BR)

MR. ARLINDO GOES INSANE
Raoni Reis Novo (BR)

KNOWN SECRETS
James Joint (HN)

WHICH CHEESE DO YOU WANT?
Cíntia Domit Bittar (BR)

SALON ROYALE
Sabrina Campos (AR)

CLOUDS
Manuel Abramovich (AR)

RIVELLINO
Marcos Fabio Katudjian (BR, IT)

DON'T LEAVE JOANA ALONE
Cecilia Engels (BR)

PETAL
Vitor Dourado (BR)

MILA CAOS
Simon Paetau (CO, DE)

MINUTE 200
Frank Benitez (CO)

LINEAR
Amir Admoni (BR)

MAGNOLIA
Diana Montenegro (CO)

COLORED PENCILS
Alice Gomes (BR)

THE CABLE CARS
Federico Actis (AR)

THE BLACK SHEEP
Hernan Salcedo (VE)

PORTRAITS
Iván D. Gaona (CO)

THE CRIMES
Santiago Esteves (AR)

THE MISSING LOOK
Damián Dionisio (AR)

THE SUIT
Agostina Galvez, Luna Paiva (AR, FR)

THE ROOM
Sebastián Quintanilla (MX)

THE CRY OF CHARAL
Daniel Guillen (MX)

BOA
Rafael Lessa (BR)

AFTER THE FALL
Bruno Bini (BR)

SHE
Sheila Coto (AR)

COMING AND GOING
Frederico Pinto (BR)

THE LAST COUNCIL
Itandehui Jansen (MX)

GIVE ME POSADA
Cecilio Vargas Torres (MX)

THE MAN BESIDE NORMA
Camila Luna (CL)

EVERY TIME I REMEMBER, I FORGET
Laura González (UY, ES)

Buenos Aires Recyclers
Nikki Schuster (AT)

ANGST
León Rechy (MX)

THE FACTORY
Aly Muritiba (BR)

GOOD NIGHT
Felipe Dallanese (BR)

APNEA
Jeremy Hatcher (CL)

Little Lamb
Antonino Isordia (MX)

AURELIA AND A DREAM
Kathrin Frank (AR)

More info

http://www.lakino-bln.com/index.php?id=22

Escrito por André Gevaerd, 31/08/2012 às 09h35 | andre@cineramabc.com

Um dos melhores livros de todos os tempos.

O espanhol Luis Buñuel foi um diretor de cinema excepcional. Além de ter feitos as obras-primas Viridiana (em 1961, com o qual conquistou a Palma de Ouro em Cannes) e O discreto charme da burguesia (em 1972), ele nasceu na aldeia de Calanda em 1900, passou pela Guerra Civil Espanhola, viveu os Anos 60 e 70, e morreu apenas em 1983. Além disso, morou em Madrid, Paris, Hollywood e Cidade do México.

Com a ajuda do roteirista Jean-Claude Carrière, Buñuel relembra, em sua autobiografia ‘Meu último suspiro’, detalhes de suas criações, a começar por Um cão andaluz (1928), primeiro filme surrealista, feito em parceria com Salvador Dalí; passando por Os esquecidos (1950) e Nazarin (1958), rodados no largo período em que viveu no México.

Mas se você acha que vai encontrar no livro apenas fofocas de bastidores, explicações de suas histórias ou elogios e críticas a outros artistas, esqueça. Em suas 376 páginas, o livro não entra profundamente em detalhes de produção, na verdade só se aprofunda pontualmente no tema ‘cinema’ no final, quando Buñuel faz um pequeno resumo do que acha de seus filmes. E é esse o grande valor de ‘Meu último suspiro’, através de sua personalidade forte e complexa, boêmia e apaixonada por boxe e pelos prazeres da vida, Buñuel revela sem pudores sua vida, suas intenções, seus medos e algumas passagens polêmicas, como o afastamento do amigo Garcia Lorca e as brigas – incluindo um quase enforcamento – com Gala, mulher de Dalí. E você, leitor, compreende melhor todos esses temas.

Um ótimo exercício para qualquer cinéfilo, e para quem quer algo mais: depois de ler o livro, reveja os filmes de Luis Buñuel e se transforme.

Escrito por Barbara Sturm, 27/08/2012 às 11h20 | barbara@cineramabc.com

BICICLETADA E CINEMA

Para quem achou que já tinha visto de tudo, este ano o Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo - Curta Kinoforum, apresenta a Cine-Cicletada, uma atividade que combina passeio ciclístico e exibição de curtas-metragens.
O passeio começa na Praça do Ciclista, na esquina da Av. Paulista com a Rua da Consolação e segue até o MIS, na Av. Europa e acontece entre os dias 24 e 30 deste mês.
Lá, os cine-ciclistas assistem a uma sessão de curtas-metragens ao ar livre, recuperam o fôlego e continuam até a sede do Festival, na Cinemateca Brasileira, onde haverá discotecagem com o Dj Gigante (Festa Doce Babado).

(cena do inesquecível filme Lucia e o Sexo (2001) de Julio Medem com a atriz Paz Vega)

Pena que o apoio a cultura e esporte em Balneário Camboriú seja muito abaixo do desejado por seus moradores. Esperamos que as coisa melhorem para o ano que vêm.

Atividade foi desenvolvida pelo Coletivo Santa Madeira e Apoio Educacional do SENAC-SP.

PROGRAMAÇÃO
20h00 - Concentração na Praça do Ciclista (esq. Av. Paulista com R. Consolação)
21h00 - Deslocamento até o MIS (Avenida Europa, 158 - Pinheiros) - 2,59 km
21h20 - Sessão Open-Air no MIS
22h00 - Deslocamento até Cinemateca Brasileira (Largo Senador Raul Cardoso, 207-Vila Clementino) - 6,51 km
23h00 - Discotecagem na Cinemateca com Dj Gigante (Festa Doce Babado)
Mapa do trajeto:
http://goo.gl/maps/w8kLb
Dicas:
http://bicicletada.org/O+que+e

 

Escrito por André Gevaerd, 23/08/2012 às 10h27 | andre@cineramabc.com

Filme "Raízes Subterrâneas" Procura Apoio de Finalização em Crowdfunding

Neste exato momento o longa Raízes Subterrâneas necessita de apoio para compor o som do filme e está com um projeto de Crowdfunding no Catarse em busca de contribuintes/patrocinadores para esta fase final.

Para quem ainda não teve contato com o sistema de crowdfunding é bem simples: é a obtenção de capital para iniciativas de interesse coletivo através de múltiplas fontes de financiamento que são em sua grande maioria doações. O financiamento é feito em geral por pessoas físicas ou seja, qualquer pessoa interessada na iniciativa.

O filme tem grande possibilidade de emplacar no circuito de festivais estrangeiros e nacionais devido à sua linguagem poética e ao seu refinamento estético.

Link para catarse

Raízes Subterrâneas já possui 28 apoiadores e espera mais interessados em apoiar. TORNE-SE UM APOIADOR TAMBÉM.

"As contribuições iniciam e R$20,00 e há sempre uma retribuição nossa desde um cartaz do filme a um curso de cinema digital intensivo inteiramente gratuito. Quem quiser e puder, por favor, contribua." diz Claúdia Cardenas.

SAIBA MAIS SOBRE O LONGA-METRAGEM

O longa-metragem Raízes Subterrâneas é um projeto que teve início em 2007 e agora encontra-se em fase final de edição e finalização de som e imagem.Trata-se de um longa-metragem digital contando com o apoio de um elenco e de uma equipe experimentados que estão envolvidos no trabalho sem honorários e apenas por acreditarem no projeto e na riqueza de sua beleza poética.

Foi realizado de modo experimental, ou seja, foi desenvolvida toda uma prática de produção distinta para atender o conceito estético que o orienta. A utilização de uma equipe reduzida foi absolutamente necessária para que o trabalho pudesse ser realizado de modo diferenciado. O roteiro não é tradicional, sua concepção é escrita como um roteiro documental, ou seja, a estrutura é de indicação de sequências. O objetivo é deixar o diretor livre para criar cenas nos locais de filmagens, valorizando a questão da misencene, o que torna seu processo de criação bem mais instigante e desafiador tornando a montagem o estágio último de criação narrativa e não o roteiro tradicional.

SAIBA MAIS SOBRE A PRODUTORA E SEUS PROJETOS:

A Câmera Olho Filmes no momento encontra-se em dupla jornada de trabalho. O diretor Rafael Favaretto Schlichting está em pré-edição de Zulú Anárquico, projeto de curta digital premiado no edital Funcine 2011 que ele pretende transformar em duas versões, uma de curta documental e outra de longa-metragem ficcional. Tarefa bastante incomum e só possível devido à ampla prática de cinema de guerrilha dos dois cineastas da Câmera Olho, Rafael e Cláudia Cárdenas.

Já o processo de realização de Zulú Anárquico, inspirado na estética do cineasta catarinense Rogério Sganzerla, pretende a criação de dois filmes bem distintos. Um curta-metragem que  aponta para os caminhos percorridos pelo diretor de Joaçaba que o levaram a compor um painel de imagens de um Brasil cinema tão rico e antropofágico e um longa-metragem que mescla a  busca do diretor Rafael Schlichting como narrador em primeira pessoa de sua própria busca por um cinema ensaísto e poético hoje.

Escrito por André Gevaerd, 21/08/2012 às 09h44 | andre@cineramabc.com

Contraponto Lança Documentário Inédito

A Costura do Tempo
LANÇAMENTO

A Contraponto convida para a estréia do documentário A Costura do Tempo (Kátia Klock, Contraponto, 40min), que revisita a história da indústria têxtil e da moda no Vale do Itajaí, em Santa Catarina. O média-metragem será lançado na terça-feira, 21 de agosto, às 19 horas no Teatro Carlos Gomes, em Blumenau.

Logo após a exibição haverá um bate-papo com profissionais de faculdades e empresas que participam do Santa Catarina Moda Contemporânea (SCMC). A sessão é gratuita e aberta ao público.

Quem for ao lançamento receberá o DVD, que será distribuído gratuitamente para espaços culturais, faculdades de moda, pesquisadores e interessados no tema. Nos extras do DVD estão disponíveis mais dois documentários: O Fio da História, entre agulhas e tecidos e O Fio da História, na ciranda da moda.

Infelizmente não poderei estar presente mas quem for porfavor guarde um DVD para mim. Abraço.

Escrito por André Gevaerd, 21/08/2012 às 09h22 | andre@cineramabc.com



18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28

Barbara Sturm

Assina a coluna CINERAMA BC

Nasceu em Balneário Camboriú, resolveu fazer cinema, mudou-se para São Paulo, fez muitos filmes, voltou para Balneário. Continua fazendo filmes. Diretor do Festival CinemaramaBC e idealizador da sala de cinema e eventos, ArtHouse.














Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: [email protected]

Página 3
CINERAMA BC
Por Barbara Sturm

'Cores', da Kinoosfera Filmes, selecionado para o Festival de San Sebastian.

O primeiro longa-metragem da produtora paulista Kinoosfera Filmes, foi o único filme brasileiro selecionado para o cultuado Festival de Cinema de San Sebastián, que acontece no final de Setembro na Espanha.

O filme é dirigido por Francisco Garcia, diretor de curtas-metragens premiados, e tem produção e montagem do catarinense André Gevaerd.

A organização do festival divide a seleção competitiva em duas: uma delas para diretores consolidados, que competem entre si, e outra seleção oficial com filmes de diretores estreantes, nessa sessão entram apenas primeiros filmes, e a mesma é intitulada Novos Horizontes. O filme disputa o prêmio Kutxa-New Directors Award com outros 16 filmes.

'Cores', que é todo em preto e branco e terá sua estréia mundial em San Sebastián, é um conto de amor e traição entre três jovens amigos em São Paulo, uma cidade enorme em plena ascensão econômica.

Escrito por Barbara Sturm, 04/09/2012 às 16h50 | barbara@cineramabc.com

Curtas Catarinenses Invadem as Telas do Mundo

A produção de curta-metragens catarinenses vem surpreendendo o público por sua qualidade, fato comprovado com a forte penetração destes filmes em prestigiados festivais internacionais.

 

Agora foi a vez de "O JARDINEIRO E O PIRATA" de Patricia Monegatto e Stella Bloss (Florianópolis, Santa Catarina, Brasil) e "QUAL QUEIJO VOCÊ QUER" de Cintia Domit Bittar (Florianópolis, Santa Catarina, Brasil) que continuam uma brilhante carreira.

Os dois filmes foram exibidos no festival CINERAMA.BC e tiveram destaque. Além disso, os filmes compartilham o fato de que uma diversificada produção de cinema está acontecendo em Florianópolis, o que nos leva a acreditar que logo logo um ótimo longa metragem será produzido e dirigido por algum cineasta desta nova geração. Assim uma nova visão de mundo sairá de Floripa, mundo afora.

 

 

Parabéns aos realizadores e ao cinema catarinense.

Veja abaixo maiores informações sobre os festivais:

 

ÁPEIRON
Lisandro José Bauk / Rosario, Santa Fe (Argentina)
ATRAPADO EN ACCIÓN
Manuel Bello / Montevideo (Uruguay)
CAPERUCITA Y EL LEÑADOR EN EL MONTE (DESPUÉS DEL FINAL FELIZ)
Sonia Bertotti  y Juan Manuel Dominguez / Margarita Belén-Chaco (Argentina)
CONEXIÓN
Juan Manuel Ferraro, Federico Molentino y Matías Castillo / La Paz, Santa Cruz de la Sierra (Bolivia)
DÍAS CON MATILDE
Teresa Arredondo / Santiago (Chile)
EL PRISIONERO
Omar Zambrano, Martín Deus y Juan Chappa / Mérida
:ETAD KADOK
Ezequiel Salinas / Córdoba (Argentina)
FLORA
Lorena Stricker / Córdoba (Argentina)
HERENCIAS
Lucas Schiaroli / Córdoba (Argentina)
JUS (ASINUS)
Marcelo Dídimo Souza Vieira / Fortaleza, Ceará (Brasil)
KÁLAKALÁ
Zipi / Córdoba (Argentina)
LA NUBE
Paulo Pécora / La Habana (Cuba)
LA NUERA DE DON FILEMÓN
Gabriel Guzmán / México
MINUTO 200
Frank Benitez / Bogotá (colombia)
NOELIA
María Alché / Capital federal, Buenos Aires (Argentina)
O JARDINEIRO E O PIRATA
Patricia Monegatt y Stella Bloss / Florianópolis, Santa Catarina (Brasil)
OCÉANO SÓLIDO
Tomás Astudillo / Ecuador
PERO LA NOCHE
Gretel Marin Palacio / La Habana (Cuba)
SALÓN ROYALE
Sabrina Campos / Capital Federal, Buenos Aires (Argentina)
TITANES
Edison Cajás / Santiago  (Chile)

Más información
www.cortopolis.com.ar
[email protected]
Facebook: Cortópolis

TOPO GIGIO IS DEAD
David Miranda Hardy (CL)

LAST RESORT
Barney Eliott (US)

WITHOUT BRAKES
Pancho Ortega (MX)

SCREEN
Carlos Nader (BR)

MR. ARLINDO GOES INSANE
Raoni Reis Novo (BR)

KNOWN SECRETS
James Joint (HN)

WHICH CHEESE DO YOU WANT?
Cíntia Domit Bittar (BR)

SALON ROYALE
Sabrina Campos (AR)

CLOUDS
Manuel Abramovich (AR)

RIVELLINO
Marcos Fabio Katudjian (BR, IT)

DON'T LEAVE JOANA ALONE
Cecilia Engels (BR)

PETAL
Vitor Dourado (BR)

MILA CAOS
Simon Paetau (CO, DE)

MINUTE 200
Frank Benitez (CO)

LINEAR
Amir Admoni (BR)

MAGNOLIA
Diana Montenegro (CO)

COLORED PENCILS
Alice Gomes (BR)

THE CABLE CARS
Federico Actis (AR)

THE BLACK SHEEP
Hernan Salcedo (VE)

PORTRAITS
Iván D. Gaona (CO)

THE CRIMES
Santiago Esteves (AR)

THE MISSING LOOK
Damián Dionisio (AR)

THE SUIT
Agostina Galvez, Luna Paiva (AR, FR)

THE ROOM
Sebastián Quintanilla (MX)

THE CRY OF CHARAL
Daniel Guillen (MX)

BOA
Rafael Lessa (BR)

AFTER THE FALL
Bruno Bini (BR)

SHE
Sheila Coto (AR)

COMING AND GOING
Frederico Pinto (BR)

THE LAST COUNCIL
Itandehui Jansen (MX)

GIVE ME POSADA
Cecilio Vargas Torres (MX)

THE MAN BESIDE NORMA
Camila Luna (CL)

EVERY TIME I REMEMBER, I FORGET
Laura González (UY, ES)

Buenos Aires Recyclers
Nikki Schuster (AT)

ANGST
León Rechy (MX)

THE FACTORY
Aly Muritiba (BR)

GOOD NIGHT
Felipe Dallanese (BR)

APNEA
Jeremy Hatcher (CL)

Little Lamb
Antonino Isordia (MX)

AURELIA AND A DREAM
Kathrin Frank (AR)

More info

http://www.lakino-bln.com/index.php?id=22

Escrito por André Gevaerd, 31/08/2012 às 09h35 | andre@cineramabc.com

Um dos melhores livros de todos os tempos.

O espanhol Luis Buñuel foi um diretor de cinema excepcional. Além de ter feitos as obras-primas Viridiana (em 1961, com o qual conquistou a Palma de Ouro em Cannes) e O discreto charme da burguesia (em 1972), ele nasceu na aldeia de Calanda em 1900, passou pela Guerra Civil Espanhola, viveu os Anos 60 e 70, e morreu apenas em 1983. Além disso, morou em Madrid, Paris, Hollywood e Cidade do México.

Com a ajuda do roteirista Jean-Claude Carrière, Buñuel relembra, em sua autobiografia ‘Meu último suspiro’, detalhes de suas criações, a começar por Um cão andaluz (1928), primeiro filme surrealista, feito em parceria com Salvador Dalí; passando por Os esquecidos (1950) e Nazarin (1958), rodados no largo período em que viveu no México.

Mas se você acha que vai encontrar no livro apenas fofocas de bastidores, explicações de suas histórias ou elogios e críticas a outros artistas, esqueça. Em suas 376 páginas, o livro não entra profundamente em detalhes de produção, na verdade só se aprofunda pontualmente no tema ‘cinema’ no final, quando Buñuel faz um pequeno resumo do que acha de seus filmes. E é esse o grande valor de ‘Meu último suspiro’, através de sua personalidade forte e complexa, boêmia e apaixonada por boxe e pelos prazeres da vida, Buñuel revela sem pudores sua vida, suas intenções, seus medos e algumas passagens polêmicas, como o afastamento do amigo Garcia Lorca e as brigas – incluindo um quase enforcamento – com Gala, mulher de Dalí. E você, leitor, compreende melhor todos esses temas.

Um ótimo exercício para qualquer cinéfilo, e para quem quer algo mais: depois de ler o livro, reveja os filmes de Luis Buñuel e se transforme.

Escrito por Barbara Sturm, 27/08/2012 às 11h20 | barbara@cineramabc.com

BICICLETADA E CINEMA

Para quem achou que já tinha visto de tudo, este ano o Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo - Curta Kinoforum, apresenta a Cine-Cicletada, uma atividade que combina passeio ciclístico e exibição de curtas-metragens.
O passeio começa na Praça do Ciclista, na esquina da Av. Paulista com a Rua da Consolação e segue até o MIS, na Av. Europa e acontece entre os dias 24 e 30 deste mês.
Lá, os cine-ciclistas assistem a uma sessão de curtas-metragens ao ar livre, recuperam o fôlego e continuam até a sede do Festival, na Cinemateca Brasileira, onde haverá discotecagem com o Dj Gigante (Festa Doce Babado).

(cena do inesquecível filme Lucia e o Sexo (2001) de Julio Medem com a atriz Paz Vega)

Pena que o apoio a cultura e esporte em Balneário Camboriú seja muito abaixo do desejado por seus moradores. Esperamos que as coisa melhorem para o ano que vêm.

Atividade foi desenvolvida pelo Coletivo Santa Madeira e Apoio Educacional do SENAC-SP.

PROGRAMAÇÃO
20h00 - Concentração na Praça do Ciclista (esq. Av. Paulista com R. Consolação)
21h00 - Deslocamento até o MIS (Avenida Europa, 158 - Pinheiros) - 2,59 km
21h20 - Sessão Open-Air no MIS
22h00 - Deslocamento até Cinemateca Brasileira (Largo Senador Raul Cardoso, 207-Vila Clementino) - 6,51 km
23h00 - Discotecagem na Cinemateca com Dj Gigante (Festa Doce Babado)
Mapa do trajeto:
http://goo.gl/maps/w8kLb
Dicas:
http://bicicletada.org/O+que+e

 

Escrito por André Gevaerd, 23/08/2012 às 10h27 | andre@cineramabc.com

Filme "Raízes Subterrâneas" Procura Apoio de Finalização em Crowdfunding

Neste exato momento o longa Raízes Subterrâneas necessita de apoio para compor o som do filme e está com um projeto de Crowdfunding no Catarse em busca de contribuintes/patrocinadores para esta fase final.

Para quem ainda não teve contato com o sistema de crowdfunding é bem simples: é a obtenção de capital para iniciativas de interesse coletivo através de múltiplas fontes de financiamento que são em sua grande maioria doações. O financiamento é feito em geral por pessoas físicas ou seja, qualquer pessoa interessada na iniciativa.

O filme tem grande possibilidade de emplacar no circuito de festivais estrangeiros e nacionais devido à sua linguagem poética e ao seu refinamento estético.

Link para catarse

Raízes Subterrâneas já possui 28 apoiadores e espera mais interessados em apoiar. TORNE-SE UM APOIADOR TAMBÉM.

"As contribuições iniciam e R$20,00 e há sempre uma retribuição nossa desde um cartaz do filme a um curso de cinema digital intensivo inteiramente gratuito. Quem quiser e puder, por favor, contribua." diz Claúdia Cardenas.

SAIBA MAIS SOBRE O LONGA-METRAGEM

O longa-metragem Raízes Subterrâneas é um projeto que teve início em 2007 e agora encontra-se em fase final de edição e finalização de som e imagem.Trata-se de um longa-metragem digital contando com o apoio de um elenco e de uma equipe experimentados que estão envolvidos no trabalho sem honorários e apenas por acreditarem no projeto e na riqueza de sua beleza poética.

Foi realizado de modo experimental, ou seja, foi desenvolvida toda uma prática de produção distinta para atender o conceito estético que o orienta. A utilização de uma equipe reduzida foi absolutamente necessária para que o trabalho pudesse ser realizado de modo diferenciado. O roteiro não é tradicional, sua concepção é escrita como um roteiro documental, ou seja, a estrutura é de indicação de sequências. O objetivo é deixar o diretor livre para criar cenas nos locais de filmagens, valorizando a questão da misencene, o que torna seu processo de criação bem mais instigante e desafiador tornando a montagem o estágio último de criação narrativa e não o roteiro tradicional.

SAIBA MAIS SOBRE A PRODUTORA E SEUS PROJETOS:

A Câmera Olho Filmes no momento encontra-se em dupla jornada de trabalho. O diretor Rafael Favaretto Schlichting está em pré-edição de Zulú Anárquico, projeto de curta digital premiado no edital Funcine 2011 que ele pretende transformar em duas versões, uma de curta documental e outra de longa-metragem ficcional. Tarefa bastante incomum e só possível devido à ampla prática de cinema de guerrilha dos dois cineastas da Câmera Olho, Rafael e Cláudia Cárdenas.

Já o processo de realização de Zulú Anárquico, inspirado na estética do cineasta catarinense Rogério Sganzerla, pretende a criação de dois filmes bem distintos. Um curta-metragem que  aponta para os caminhos percorridos pelo diretor de Joaçaba que o levaram a compor um painel de imagens de um Brasil cinema tão rico e antropofágico e um longa-metragem que mescla a  busca do diretor Rafael Schlichting como narrador em primeira pessoa de sua própria busca por um cinema ensaísto e poético hoje.

Escrito por André Gevaerd, 21/08/2012 às 09h44 | andre@cineramabc.com

Contraponto Lança Documentário Inédito

A Costura do Tempo
LANÇAMENTO

A Contraponto convida para a estréia do documentário A Costura do Tempo (Kátia Klock, Contraponto, 40min), que revisita a história da indústria têxtil e da moda no Vale do Itajaí, em Santa Catarina. O média-metragem será lançado na terça-feira, 21 de agosto, às 19 horas no Teatro Carlos Gomes, em Blumenau.

Logo após a exibição haverá um bate-papo com profissionais de faculdades e empresas que participam do Santa Catarina Moda Contemporânea (SCMC). A sessão é gratuita e aberta ao público.

Quem for ao lançamento receberá o DVD, que será distribuído gratuitamente para espaços culturais, faculdades de moda, pesquisadores e interessados no tema. Nos extras do DVD estão disponíveis mais dois documentários: O Fio da História, entre agulhas e tecidos e O Fio da História, na ciranda da moda.

Infelizmente não poderei estar presente mas quem for porfavor guarde um DVD para mim. Abraço.

Escrito por André Gevaerd, 21/08/2012 às 09h22 | andre@cineramabc.com



18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28

Barbara Sturm

Assina a coluna CINERAMA BC

Nasceu em Balneário Camboriú, resolveu fazer cinema, mudou-se para São Paulo, fez muitos filmes, voltou para Balneário. Continua fazendo filmes. Diretor do Festival CinemaramaBC e idealizador da sala de cinema e eventos, ArtHouse.