Jornal Página 3
Coluna
Dedo na Moleira
Por Waldemar Cezar Neto

Corto a árvore ou alargo a calçada?

Fui intimado hoje a colocar piso podotátil na minha calçada, pela qual nunca vi passar um deficiente visual.

E se um tentasse passar, certamente seria vítima das dezenas de armadilhas para quem não enxerga que estão espalhadas pela cidade.

É lei, considero lei burra, mas vou cumprir. O fiscal pode passar aqui que antes de vencer o prazo de 30 dias colarei sobre o petit-pavet o piso podotátil.

Ah, minhas nove leitoras acharam que era necessário trocar toda a calçada? Não, basta atender as normas e a de petit-pavet atende, exceto pela ausência do podotátil, lei que veio depois, idealizada pelo à época vereador Edson Piriquito.

Piriquito quando vereador fez a lei e quando prefeito nunca a fiscalizou, de forma que a cidade tem o sistema podotátil mais estúpido do planeta.

Porém meu problema não é o Piriquito e sim que para colocar o podotáti preciso cortar uma árvore que está aqui há 16 anos.

Foi plantada por uma amiga já falecida, a minha sogra

Esse trecho da minha rua só tem essa árvore na calçada, mais na esquina um vizinho tem alguns coqueiros.

Tempos atrás a prefeitura alargou calçadas em alguns pontos, para evitar o corte de árvores e ao mesmo tempo possibilitar a passagem de pedestres.

Parece ser a solução e se me autorizarem eu alargo um pouco a calçada, a quem devo pedir a licença?

Ou, se não for permitido, a quem peço autorização para cortar a árvore?

Escrito por Waldemar Cezar Neto, 11/02/2019 às 16h44 | waldemar@camboriu.com.br



Waldemar Cezar Neto

Assina a coluna Dedo na Moleira

Lê, pesca, cozinha, escreve e é diretor chefe do Jornal Página 3.


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br

Página 3
Dedo na Moleira
Por Waldemar Cezar Neto

Corto a árvore ou alargo a calçada?

Fui intimado hoje a colocar piso podotátil na minha calçada, pela qual nunca vi passar um deficiente visual.

E se um tentasse passar, certamente seria vítima das dezenas de armadilhas para quem não enxerga que estão espalhadas pela cidade.

É lei, considero lei burra, mas vou cumprir. O fiscal pode passar aqui que antes de vencer o prazo de 30 dias colarei sobre o petit-pavet o piso podotátil.

Ah, minhas nove leitoras acharam que era necessário trocar toda a calçada? Não, basta atender as normas e a de petit-pavet atende, exceto pela ausência do podotátil, lei que veio depois, idealizada pelo à época vereador Edson Piriquito.

Piriquito quando vereador fez a lei e quando prefeito nunca a fiscalizou, de forma que a cidade tem o sistema podotátil mais estúpido do planeta.

Porém meu problema não é o Piriquito e sim que para colocar o podotáti preciso cortar uma árvore que está aqui há 16 anos.

Foi plantada por uma amiga já falecida, a minha sogra

Esse trecho da minha rua só tem essa árvore na calçada, mais na esquina um vizinho tem alguns coqueiros.

Tempos atrás a prefeitura alargou calçadas em alguns pontos, para evitar o corte de árvores e ao mesmo tempo possibilitar a passagem de pedestres.

Parece ser a solução e se me autorizarem eu alargo um pouco a calçada, a quem devo pedir a licença?

Ou, se não for permitido, a quem peço autorização para cortar a árvore?

Escrito por Waldemar Cezar Neto, 11/02/2019 às 16h44 | waldemar@camboriu.com.br



Waldemar Cezar Neto

Assina a coluna Dedo na Moleira

Lê, pesca, cozinha, escreve e é diretor chefe do Jornal Página 3.


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade